A volta do caso Paulo Preto apavora caciques do PSDB

A volta do caso Paulo Preto apavora caciques do PSDB

Apontado como operador do PSDB de São Paulo, Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto, chegou a ter 113 milhões de reais em quatro contas na Suíça em 2016. A revelação foi feita por integrantes do Ministério Público do país europeu, que compartilharam  espontaneamente a descoberta com as autoridades brasileiras.

A existência de contas em nome do ex-diretor da Dersa, órgão paulista responsável por obras rodoviárias do estado, não é uma novidade. O fato novo são os valores movimentados, que podem favorecer uma delação de Vieira de Souza sobre sua relação com o PSDB paulista no âmbito da Lava Jato.

Caso isso ocorra, o principal atingido deve ser o ex-governador e senador José Serra, mas também pode sobrar para Aloysio Nunes Ferreira, seu sucessor no Ministério das Relações Exteriores. Embora Vieira de Souza tenha ocupado um cargo relevante na Dersa durante o governo de Geraldo Alckmin, o presidenciável tucano não é alvo das investigações envolvendo o ex-diretor, ao menos por ora.

Deixe um comentário