Anac aprova documentos para licitação da 6ª rodada de aeroportos

Anac aprova documentos para licitação da 6ª rodada de aeroportos

Anac aprova documentos para licitação da 6ª rodada de aeroportos

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) aprovou hoje  (1º) o edital de leilão e a minuta de contrato da 6ª rodada de concessões de aeroportos. Fazem parte da rodada de concessões 22 aeroportos das Regiões Sul, Norte e Centro-Oeste, divididos em três blocos. A previsão é que o certame seja realizado ainda no primeiro trimestre do próximo ano.

Anúncios

Os documentos seguem para análise pelo Tribunal de Contas da União (TCU) junto com os estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental já aprovados pelo Ministério de Infraestrutura. Após a aprovação pelo TCU, haverá o lançamento do edital.

“A grande inovação da 6ª rodada é a cláusula que permite que a proponente individualmente ou representada por consórcio possa contratar pessoa jurídica que detenha a qualificação técnica exigida na operação aeroportuária, aumentando o número de participantes e gerando maior competição no certame. Caso a proponente opte por formação de consórcio, um dos membros deve ser operador aeroportuário com participação mínima de 15% e experiência comprovada”, informou a Anac.

Também será exigida por parte dos interessados experiência recente no processamento de passageiros em volume compatível com os contratos que serão assumidos pela concessionária. Para o Bloco Sul, será exigido do operador ou pessoa jurídica que oferece assistência técnica a comprovação de que operou, em pelo menos um dos últimos cinco anos, 5 milhões de passageiros para arrematar. Para os demais blocos a exigência é de 1 milhão de passageiros.

A duração dos contratos de concessão de todos os aeroportos é de 30 anos. Juntos, os 22 terminais respondem por 11% dos passageiros pagos movimentados no mercado brasileiro de transporte aéreo. Em 2019, foram 23,9 milhões de embarques e desembarques nos aeroportos dessa rodada.

Para o Bloco Norte a contribuição inicial mínima prevista é de R$ 38,7 milhões. O valor estimado para todo o contrato da concessão é de R$ 4 bilhões. A contribuição inicial mínima para o Bloco Sul é de R$ 408,2 milhões. O valor estimado para todo o contrato da concessão é de R$ 8,9 bilhões. A contribuição inicial mínima do Bloco Central é de R$ 22,5 milhões. O valor estimado para todo o contrato de concessão é de R$ 4,9 bilhões.

Fonte: Agência Brasil

Deixe um comentário