Você está visualizando atualmente Coronavírus | Principal infectologista do governo dos EUA prevê mais de 100 mil mortes no país

Coronavírus | Principal infectologista do governo dos EUA prevê mais de 100 mil mortes no país

Coronavírus | Principal infectologista do governo dos EUA prevê mais de 100 mil mortes no país

O principal especialista em doenças infecciosas do governo dos Estados Unidos, Dr. Anthony Fauci, afirmou neste domingo (29), em entrevista à rede CNN, que o país certamente terá “milhões de casos” de Covid-19 e mais de 100 mil mortes.

Segundo Fauci, diretor do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas dos EUA, a estimativa é de que o número de fatalidades fique entre 100 mil e 200 mil. Neste momento, são mais de 124 mil casos confirmados nos EUA e mais de 2 mil mortes. Os governadores de estados mais atingidos, como Washington e Nova York, pedem mais velocidade do governo federal principalmente na disponibilização de equipamentos para atendimento dos pacientes e para as equipes médicas.

Medidas de isolamento vs. economia

Sobre a discussão quanto à flexibilização de medidas de afastamento social, Fauci diz que apoiaria apenas em áreas de menor impacto, se houver disponibilidade aprimorada de testes para monitorar essas localidades. Neste momento, ele se diz cético sobre essa possibilidade.

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, disse neste domingo que a decisão de reabrir a economia do país já na Páscoa será uma decisão de saúde pública, e não econômica.

Mnunchin reconhece o aumento do número de desempregados e o declínio do PIB, já que 1 em cada 3 americanos permanece sob ordens do governo de ficar em casa para diminuir a disseminação do coronavírus, que já matou mais de 2 mil norte-americanos. Mas ressalta que o principal objetivo do presidente Donald Trump é a saúde das pessoas.

Mnuchin disse ainda que seu próprio foco principal é receber dinheiro de estímulo do pacote de ajuda recém repassado de US$ 2,2 trilhões do Congresso imediatamente nas mãos de trabalhadores e empresas.

Ele lembrou que os trabalhadores americanos receberão depósitos diretos em três semanas, enquanto um programa federal destinado a ajudar metade da força de trabalho, incentivando pequenas empresas a contrair empréstimos para manter seus trabalhadores por oito semanas, estará em funcionamento na sexta-feira.

Coronavírus no mundo

No mundo, o coronavírus já infectou 684.652 pessoas e matou pelo menos 32.113, de acordo com dados coletados pela universidade americana Johns Hopkins. Cerca de 145.696 pessoas se recuperaram do novo coronavírus, que infectou pessoas em 176 países.

Os Estados Unidos agora têm o maior número de casos no mundo, com 124.763 casos e pelo menos 2.191 mortes. A China, onde o vírus foi detectado pela primeira vez em dezembro, tem 82.120 casos e 3.304 mortes. A Itália, epicentro da pandemia na Europa, tem mais casos do que a China, um total de 92.472, e 10.023 mortes. A Espanha tem 78.797 casos e 6.528 mortes. A Alemanha tem 50.247 casos e 455 mortes, e o Irã tem 38.309 casos e 2.640 mortes. A Coreia do Sul, admirada por seu amplo uso de medidas de teste e contenção, tem 9.583 casos e 152 mortes.

Fonte: Gazeta do Povo

Deixe um comentário