You are currently viewing Fifa exclui a Rússia da Copa do Mundo

Fifa exclui a Rússia da Copa do Mundo

Fifa exclui a Rússia da Copa do Mundo

A Fifa decidiu banir a Rússia das eliminatórias da Copa do Mundo, em razão da invasão da Ucrânia, informa o New York Times. Com  isso, o país não poderá disputar o torneio, que será realizado no Qatar a partir de 21 de novembro.

Anúncios

A punição valerá para todas as seleções do país governado por Vladimir Putin, masculinas e femininas. De acordo com o jornal americano, a Uefa, entidade que comanda o futebol na Europa, endossará o banimento e excluirá os clubes russos que disputam seus torneios, como a Champions League.

O anúncio oficial da decisão já tomada por parte da Fifa e da Uefa estava previsto para as 14h30 desta segunda (28), no horário de Brasília.

Após sofrerem fortes críticas pelas punições brandas que haviam decidido aplicar à Rússia —obrigar o país a competir como “União de Futebol da Rússia”, sem exibir a bandeira ou ter o hino executado—, os dirigentes da Fifa optaram pela exclusão.

Ontem, a Federação Polonesa de Futebol (que, assim como Suécia e República Tcheca, se recusava a enfrentar os russos pelas eliminatórias da Copa), reiterou que não jogaria contra a equipe da Rússia, fosse qual fosse o nome adotado.

“Na sequência das decisões iniciais adotadas pelo Conselho da Fifa e pelo Comitê Executivo da Uefa, que previam a adoção de medidas adicionais, Fifa e Uefa decidiram hoje em conjunto que todas as equipes russas, quer sejam representantes nacionais ou equipes de clubes, serão suspensas da participação nos torneios tanto da Fifa como da Uefa até segunda ordem.

Essas decisões foram adotadas hoje pelo Bureau do Conselho da Fifa e pelo Comitê Executivo da Uefa, respectivamente os mais altos órgãos de decisão de ambas as instituições para assuntos tão urgentes.

O futebol está totalmente unido e em total solidariedade com todas as pessoas afetadas na Ucrânia. Ambos os presidentes esperam que a situação na Ucrânia melhore significativa e rapidamente, para que o futebol possa voltar a ser um vetor de unidade e paz entre os povos.”

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário