Você está visualizando atualmente Ministra de Milei diz não saber de brasileiros foragidos na Argentina

Ministra de Milei diz não saber de brasileiros foragidos na Argentina

Ministra de Milei diz não saber de brasileiros foragidos na Argentina

A ministra de Segurança da Argentina, Patrícia Bullrich, afirmou neste sábado (8), não ter informações sobre os brasileiros condenados pelos atos de 8 de janeiro que pediram refúgio no país vizinho.

Dentre os 160 condenados que seguem foragidos da Justiça, a Polícia Federal identificou 65 que solicitaram asilo político na Argentina.

“Por enquanto, isso se mantém como uma propaganda, mas não em um fato jurídico”, afirmou Bullrich, em entrevista para a Rádio Mitre.

“Até agora, não temos nenhuma informação desse tipo. Não temos alerta vermelho sobre essas pessoas”, disse a ministra, acrescentando que o governo argentino não tem “nenhuma lista” desses brasileiros.

Os investigadores acreditam que os fugitivos entraram na Argentina dentro de porta-malas de carros, caminhando pela ponte na fronteira ou, ainda, atravessando o rio Paraná, que separa o país do Brasil.

Os pedidos de refúgio deverão ser analisados pelo Ministério do Interior argentino dentro de um prazo de três meses a partir da solicitação.

Com o protocolo das solicitações, os foragidos ganharam títulos de “permanência provisória” na Argentina, que garantem direitos da residência pelo trimestre.

Os condenados pelo 8 de janeiro estão autorizados a morar, trabalhar, estudar e até mesmo usar os serviços públicos da Argentina enquanto seus pedidos de asilo são avaliados.

Na quinta-feira, 6, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF) mandou prender 208 envolvidos nos atos por descumprimento de medidas cautelares.

Do total, 49 haviam sido localizados e presos até a manhã de sexta-feira, 7. A maioria nos estados de São Paulo (17) e Minas Gerais (7), além do Distrito Federal (7). Os demais 160 são considerados foragidos.

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário