Você está visualizando atualmente Opinião | PL pode pedir a anulação da eleição para presidente da República deste ano

Opinião | PL pode pedir a anulação da eleição para presidente da República deste ano

Opinião | PL pode pedir a anulação da eleição para presidente da República deste ano

Auditoria contratada pelo partido afirma que não é possível validar os resultados gerados de cinco modelos de urnas

General Villas Bôas emite nota enigmática em dia de manifestações pelo Brasil

‘A história ensina que as pessoas que lutam pela liberdade jamais serão vencidas’, disse

Juíza determina adoção de medidas em frente ao CMA

Há 13 dias manifestantes se reúnem em frente ao local para protestar

‘Perdeu, mané’, diz ministro Barroso ao ser indagado sobre urna eletrônica nos EUA

Também em Nova York, Gilmar Mendes diz que não sabe se o crime compensa no Brasil

Hotel e camisa de Janja no ‘Fantástico’, custam R$ 10 mil e R$ 2.5 mil, respectivamente

Casos de Monkeypox caem e de Covid-19 crescem no Amazonas

Burburinho

Correu como pólvora pelas redes a hipótese, levantada pelo site O Antagonista, de que o PL (Partido Liberal) poderia pedir ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) a anulação das eleições de 2022.

O burburinho não foi nem negado nem confirmado.

Sabe-se apenas que circula por aí um relatório parcial de um instituto contratado pela legenda de Jair Bolsonaro e Valdemar Costa Neto para supostamente atestar a confiabilidade das urnas.

Mau funcionamento

O instituto teria apontado o mau funcionamento de urnas antigas e concluído que não é possível validar os resultados gerados pelos equipamentos fabricados em 2009, 2010, 2011, 2013 e 2015.

O presidente do instituto foi a público dizer que não é possível dizer nada por enquanto e que o relatório final da análise sairá apenas em dezembro.

Auditoria

A auditoria é assinada pelo engenheiro Carlos Rocha, do Instituto Voto Legal (IVL), contratada pelo PL. A equipe do IVL argumenta que adotou procedimentos do Tribunal de Contas da União (TCU), como auditoria de conformidade, auditoria operacional, inspeção, acompanhamento e monitoramento.

Em parceria com a Gaio.io, uma empresa de Tecnologia da Informação, construiu-se uma base de dados com todos os arquivos de Boletim de Urna e Log de Urna dos mais de 472 mil equipamentos usados na votação.

Preparando o terreno

A verdade é que a chance de um pedido de anulação da eleição para a presidência da República prosperar no TSE é irrisória.

Por isso, Bolsonaro prepara o terreno para contestar pelos próximos quatro anos, o resultado das urnas e fazer da vida do próximo presidente e dos ministros do Supremo um inferno.

Efeito Trump

É exatamente o que tem feito Donald Trump, desde a derrota para Joe Biden na corrida presidencial norte-americana em 2020.

Trump vem alimentando seu eleitorado e ontem anunciou que vai disputar novamente a Presidência dos EUA.

Enigmático

O general Eduardo Villas Bôas, um dos mais respeitados do País, postou uma nota nas redes sociais e o conteúdo da mensagem soou enigmático diante do momento vivido no Brasil.

Segundo o militar, “pessoas de verde e amarelo que orgulhosamente ostentam, protestam, contra os atentados à democracia, à independência dos poderes, ameaças à liberdade e as dúvidas sobre o processo eleitoral”.

Por fim, destacou que “a história ensina que as pessoas que lutam pela liberdade jamais serão vencidas”.

Críticas à imprensa

O general também fez críticas à atuação da imprensa, que insiste em criminalizar e muitas vezes menosprezar os atos ocorridos em várias cidades do País.

“O inusitado diante dos movimentos foi produzido pela indiferença da grande imprensa. Talvez nossos jornalistas acreditem que ignorando a movimentação de milhões de pessoas elas desaparecerão e não percebem que ao tentar isolar as manifestações podem estar criando mais um fator de insatisfação”, disse.

Adequação

Em resposta à ação do Ministério Público Federal (MPF), que solicitou a retirada de manifestantes de frente do Comando Militar da Amazônia (CMA), na zona Oeste de Manaus, a juíza Jaiza Fraxe, acatou em partes o pedido do órgão, mas negou a dispersão do público do local.

A magistrada determinou, no entanto, que não seja praticada poluição sonora, não sejam gerados transtornos no trânsito e proibiu a participação de crianças e adolescentes como membros da manifestação.

Divergência

Mesmo não determinando a saída dos manifestantes de frente do CMA, Jaiza subiu o tom contra os atos em seu despacho e destacou que trata-se de ações “antidemocráticas”, “inconstitucionais”, “ilegais” e que buscam “romper com o Estado Democrático de Direito” que vigora no Brasil.

Nas redes sociais, muitos internautas convidaram a juíza para visitar a manifestação, e constatar in loco, que ela é pacifica, ordeira, legítima e cheia de famílias de bem lutando por um Brasil sem censura e por transparência nas eleições.

Outros afirmaram que a juíza simplesmente perdeu a noção dos direitos do cidadão garantidos na Constituição Federal e apelidaram ela de Alexandre de Moraes do Amazonas.

Multa

A ação do MPF pedia a dispersão dos manifestantes de frente do CMA sob pena de multa ao Estado do Amazonas e à União de R$ 1 milhão pelo atraso em dar início e de R$ 100 mil pelas horas seguintes desse atraso.

Insistência

Há 13 dias os manifestantes seguem de forma ininterrupta em frente ao CMA protestando contra a vitória de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) no pleito, cobrando mais lisura nas eleições – que foram alvos de várias indagações – e, também, contra a censura imposta pelo Judiciário a veículos de comunicação e perfis nas redes sociais.

“Perdeu, mané”

Viralizou nas redes sociais um vídeo onde o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, após ser indagado por um brasileiro nos EUA se o TSE iria “abrir o código-fonte” das urnas eletrônicas, respondeu de maneira chula com um “perdeu, mané. Não amola”.

A expressão é uma gíria muito utilizada por criminosos cariocas quando praticam assaltos – Barroso é do Rio de Janeiro.

Encontro

Seis ministros do Supremo participam desde o início da semana de uma conferência do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em Nova York (EUA).

Desde que pisaram em solo norte-americano, os magistrados foram alvos de vários protestos em frente ao hotel onde estão hospedados e também nas ruas da cidade.

“Não sei”

Outro vídeo que também circulou nas redes sociais foi o de uma moça que encontrou o ministro Gilmar Mendes no elevador e indagou: “No Brasil, o crime compensa?”

O ministro soltou um sorriso amarelo e respondeu: “não sei”.

Jantar suspeito

Além das respostas atrapalhadas ante à pressão nas ruas, para completar o “combo das trevas” da viagem dos ministros aos EUA, pegou mal a imagem de Barroso jantando com Cristiano Zanin, que é advogado de Lula.

Vale lembrar que o encontro aconteceu no mesmo dia em que Barroso afirmou em seu discurso no evento, que a Suprema Corte Brasileira não tem lado político.

Assim fica muito difícil de acreditar…

Só pra quem pode

A entrevista de Janja, esposa de Lula, ao ‘Fantástico’, teve como cenário o Emiliano, considerado um dos hotéis-boutique mais caros de SP.

Instalado na rua Oscar Freire, considerada a mais chique do País, tem sua diária a partir de R$ 10 mil.

Inacessível para um assalariado, valor irrisório para a futura primeira dama do País, que também esbanjou personalidade na entrevista com uma blusa de R$ 2.580,00.

Casos em baixa

Nas duas primeiras semanas de novembro o número de casos de Monkeypox – conhecida como Varíola dos Macacos – no Amazonas foram menores do que em relação às últimas semanas de outubro.

Foram 54 casos entre 17 a 30 de outubro e apenas sete confirmações de 31 de outubro a 13 de novembro.

Os dados são da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS).

Casos em alta

Na contramão disso, os casos de Covid-19 saltaram de 2.143 nas duas últimas semanas de outubro para 2.210 nos primeiros 14 dias de novembro.

Ou seja, a média está em alta e em crescimento.

Nunca é demais lembrar que usar máscaras em locais fechados e lavar as mãos com água e sabão além do uso de álcool é de extrema importância.

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário