Carteirada ou abuso de autoridade

Carteirada ou abuso de autoridade

O vereador Álvaro Campelo (PP-AM), se envolveu em uma discussão em uma blitz feita pela Polícia Militar, na noite de sábado (17), em frente à UFAM, no Coroado.

Anúncios

A notícia tomou conta das redes sociais com um vídeo no qual o vereador chama o policial militar de mentiroso e liga para o comandante-geral da Polícia Militar, coronel David Brandão, reclamando da abordagem do PM, identificado por ele como “tenente Monteiro”.

O vereador se manifestou após o vídeo viralizar afirmando que foi extorquido pelo PM.

Nota Oficial

Assessoria de Comunicação da Polícia Militar do Amazonas emitiu a seguinte nota sobre o ocorrido:
O Comando-Geral da Polícia Militar informa que o vereador foi multado por descumprimento do artigo 167 do Código de Trânsito Brasileiro.

O auto de infração TD0004485 foi emitido de forma eletrônica às 20h24 da noite de sábado (17/02), durante blitz da Operação Catraca, realizada pela Polícia Militar na Avenida General Rodrigo Otávio.

A Operação é voltada à fiscalização dos ônibus do transporte coletivo, com foco na prevenção de assaltos. Segundo a equipe policial que trabalhava na ocasião, o carro do vereador estava atrás de dois ônibus que foram parados para abordagem.

Assim como ele, outros quatro veículos de passeio e duas motocicletas foram parados naquela ocasião. Contudo, o vereador teria começado a buzinar. Quando os policiais se aproximaram e pediram a documentação, ele teria se recusado e acelerado o veículo. A passageira estava sem cinto, deitada na cadeira rebaixada. Naquele instante, o vereador foi notificado da infração, mas não quis assinar a multa.

É importante ressaltar que, assim como qualquer cidadão, o vereador pode recorrer e apresentar defesa na Junta Administrativa de Recursos de Infração (JARI). Denúncias sobre a conduta de servidores da Segurança Pública devem ser feitas na Corregedoria-Geral, localizada na sede da SSP, no shopping Via Norte, Nova Cidade.

O Comandante-Geral da Polícia Militar, Coronel David Brandão, reafirma sua total confiança na tropa de policiais militares que serve à sociedade amazonense e enfatiza que a atividade dos policiais militares é exercida com total independência e respeito às leis.

Repercussão

Cabe à justiça apurar o caso, mas a atitude do vereador está sendo amplamente criticada entre os internautas, que acusaram o vereador de tentar aplicar a famosa “carteirada”.

Abuso de autoridade

Em 2017 o Senado aprovou o substitutivo ao projeto de lei que modifica a Lei de Abuso de Autoridade.
O texto abrange atos que podem ser cometidos por servidores públicos e membros dos três poderes da República, do Ministério Público, dos tribunais e conselhos de contas e das Forças Armadas. Ele segue para a Câmara dos Deputados.

Entre as práticas classificadas como abuso de autoridade o projeto prevê também punição para a popular “carteirada” — o ato de uma autoridade fazer uso do seu cargo para exigir vantagem ou privilégio indevido.

Também será punida a autoridade que procurar colocar obstáculos à análise de um processo ao pedir vista por tempo excessivo, impedindo que ele seja apreciado pelo órgão colegiado ao qual ela pertence.

Golpe no PSDB

O prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto chamou de “farsa” as prévias que disputaria com o governador de São Paulo Geraldo Alckmin, para definir quem representará o PSDB na sucessão presidencial.

Em áudio enviado a um grupo de WhatsApp integrado por ex-presidentes da legenda, Virgílio acusou Alckmin de protelar o embate interno por “medo”.

Declarou: “Essa postergação foi ficando tão grosseira a ponto de significar a inviabilização de qualquer prévia decente. E eu não me submeterei a pantomima. Não me submeterei a nada que signifique uma farsa.”

Gemidão do Whatsapp

O “gemidão do zap” fez mais uma vítima, desta vez foi a secretária da Sejel, Janaína Chagas, durante uma entrevista ao vivo em um programa de rádio na tarde do domingo (19). O famoso áudio ecoou no meio da fala da secretária e só não a deixou mais desconcertada do que o seu assessor, dono do celular do qual partiu o gemido.

Vampirão da Tuiuti

De volta à Marques de Sapucaí para o desfile das campeãs, a escola de samba Paraíso do Tuiuti conseguiu uma proeza: transformou triunfo em vexame. Fez isso ao arrancar a faixa presidencial do peito do seu vampiro-presidente.
Dessa vez, o personagem que satirizou Michel Temer desfilou sem o adereço.

Censura

Vozes do barracão da escola contaram que um emissário do Palácio do Planalto pediu à Liesa (Liga “Independente” das Escolas de Samba do Rio) que vetasse a presença da versão carnavalizada de Temer na avenida.

Ironia

Em maio de 2017 quando assumiu a presidência, Temer posou para a foto oficial de duas maneiras: com a faixa presidencial e sem ela.

Acabou optando por pendurar nos gabinetes de Brasília a fotografia sem a faixa.
Ao desfigurar o Drácula da Paraíso do Tuiuti, Temer acabou aproximando a fantasia da realidade.

Intervenção no Rio

O plenário da Câmara dos Deputados vota nesta segunda-feira (19) o decreto de intervenção na segurança do Rio de Janeiro anunciado na última sexta-feira pelo governo federal. Uma sessão deliberativa extraordinária foi convocada para as 19h.

Os parlamentares amazonenses foram convocados pelo presidente da Câmara Rodrigo Maia (DEM) para participar da sessão.

É a primeira vez que a Câmara analisará uma intervenção federal desde que a Constituição foi promulgada em 1988.

Deixe um comentário