Você está visualizando atualmente Opinião | Pesquisa Projeta: Brena Dianná atropela Mateus Assayag em Parintins

Opinião | Pesquisa Projeta: Brena Dianná atropela Mateus Assayag em Parintins

Opinião | Pesquisa Projeta: Brena Dianná atropela Mateus Assayag em Parintins

Entre 2023 e 2024, cinco pesquisas eleitorais realizadas por dois institutos apontam liderança absoluta de Brenna

Mateus Assayag é o mais rejeitado na Ilha Tupinambarana

A disputa em Parintins é palco de uma queda de braço entre o governador Wilson Lima e os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga

Wilson Lima prestigia sabatina de ministro Jorge Campbell no Senado

Atlas/CNN: 69,3% dos evangélicos desaprovam Lula

Brena atropela

Parintins, a terra dos bois Caprichoso e Garantido, caminha para uma mudança no comando político da cidade.

O grupo do atual prefeito Bi Garcia, que comanda a cidade há quase 20 anos, vem sendo atropelado nas intenções de voto pela vereadora Brena Dianná do União Brasil, apoiada pelo governador Wilson Lima e pelo presidente Lula.

Brena colocou 18 pontos percentuais de vantagem em relação ao segundo colocado.

Liderança

Nos cinco levantamentos divulgados, quatro em 2023 – pelos institutos Perspectiva e Projeta – e um ontem (18) pela Projeta, Brena Dianná aparece liderando com folga na Ilha Tupinambarana. 

Estimulado

No cenário estimulado, onde os entrevistadores apresentam uma lista com o nome dos candidatos, Dianná (UB) detém 46,52% das intenções de voto, seguida por Mateus Assayag (PSD) com 27,88%, e Michele Valadares (Novo) com 13,06%.

Espontânea 

No cenário espontâneo, Brena também lidera com 20,96% das intenções de voto. Seguida por Mateus Assayag com 12,2% e Michele Valadares com 2,41%. 

Outros nomes citados e aparecem com menos de 1% das intenções de voto.

Indecisos

A pesquisa ainda aponta que 61,51% dos eleitores ainda não tem candidato a prefeitura de Parintins. 

Rejeição

Entre os pré-candidatos, Mateus Assayag é o mais rejeitado. 41,41% dos entrevistados afirmaram conhecê-lo e que não votariam em Mateus de jeito nenhum. 

Já 21,13% dos eleitores também disseram que não votariam em Michele Valadares de jeito nenhum.

Brena Dianná é o menos rejeitada com 14,43%.

Dados

A pesquisa, realizada no mês de junho, teve uma amostra de 582 entrevistados e possui uma margem de erro de 4,05% com um nível de confiança de 95%. Registrada na Justiça Eleitoral sob o número AM-01769/2024, ela reflete uma mudança significativa no cenário político de Parintins.

Tendência

Em contraste, o grupo de Bi Garcia, mesmo com uma longa trajetória de governo, enfrenta o desgaste natural de duas décadas no poder, além das críticas sobre questões de administração e desenvolvimento local, denúncias de corrupção e descaso no abastecimento e contaminação da água de Parintins.

Sentimento de mudança

A campanha de Brena Dianná tem se mostrado eficaz em capitalizar o desejo de mudança da população, com um compromisso de um governo mais alinhado com as necessidades da cidade e com os anseios dos jovens eleitores, em especial as mulheres.

Guerra

Com a proximidade das eleições, a expectativa é de que o debate se intensifique ainda mais.

A disputa promete ser uma verdadeira guerra, tão disputada quanto os festivais de boi-bumbá que fazem a fama de Parintins.

Seja qual for o resultado, o processo eleitoral de 2024 ficará marcado na história como uma das mais importantes batalhas eleitorais da terra dos bois Caprichoso e Garantido.

Queda de braço

A disputa em Parintins também é palco de uma queda de braço entre o governador Wilson Lima, aliado de Brena, e os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga, aliados de Mateus, com pano de fundo para a disputa de 2026 para o governo do Amazonas e duas vagas ao Senado.

Parintins é o terceiro maior colégio eleitoral do interior do Amazonas, com pouco mais de 70 mil eleitores.

Presença

O governador do Amazonas, Wilson Lima (União Brasil), confirmou que estará presente na sessão da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, marcada para esta quarta-feira, 19, onde será realizada a sabatina do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell Marques, natural do Amazonas.

Comitiva

A presença de Wilson Lima será acompanhada por uma comitiva de juízes e desembargadores que se deslocam para Brasília com o mesmo objetivo de apoiar o ministro durante o processo. 

Este apoio expressivo do setor jurídico amazonense sublinha a importância da ocasião.

CNJ

No Senado, Mauro Campbell Marques passará por um procedimento formal, respondendo a perguntas dos senadores como parte dos requisitos para a sua nomeação ao cargo de corregedor Nacional de Justiça no Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 

Esta posição é de extrema relevância, pois o corregedor tem a autoridade para tomar decisões significativas, incluindo o afastamento de membros do Judiciário, com base em uma única assinatura.

Desaprovação 

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é desaprovado por 69,3% dos cristãos evangélicos, segundo pesquisa do instituto AtlasIntel produzida em parceria com a CNN Brasil.

Já entre os que mais aprovam a gestão do petista estão os eleitores que não acreditam em Deus, com 60,2%.

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaoponto.am

TikTok: @diretoaoponto.am

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 98566-4150

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário