Sinal amarelo

Sinal amarelo

Com um custo de mais de 8 bilhões de reais aos cofres públicos, os estádios da Copa do Mundo de 2014 têm chamado menos atenção pelas partidas de futebol e mais pelos jogos de interesses entre políticos e empreiteiras.

Das 12 arenas erguidas ou reformadas para o Mundial, 10 delas estão envolvidas em investigações de corrupção de norte a sul do País.

Em delação premiada, ex-executivos da Andrade Gutierrez, investigados na Operação Lava Jato afirmaram que pagaram propina aos ex-governadores do Amazonas, Eduardo Braga (MDB) e Omar Aziz (PSD), que atualmente, são senadores pelo estado.

Inicialmente, o estádio estava orçado em 499 milhões de reais e foi concluído por 669,5 milhões. Em 2012, o Tribunal de Contas da União apontou superfaturamento de 86,5 milhões. As informações são do Jornal Hoje.

Nos últimos quatros anos, a Arena da Amazônia teve um prejuízo acumulado de 20 milhões de reais.

A falta de jogos na arena levou um desembargador a sugerir, no ano passado, sua utilização para triagem de presos em meio à rebelião que resultou em 56 mortes no Complexo Penitenciário Anísio Jobim.

Operação Cartão Vermelho

Deflagrada nesta segunda-feira 26, a Operação Cartão Vermelho investiga o desvio de 450 milhões de reais na reconstrução da Arena Fonte Nova, sede baiana da Copa do Mundo de 2014.

A Polícia Federal realizou uma busca e apreensão na casa do ex-governador da Bahia e ex-ministro da Casa Civil Jaques Wagner do PT, principal alvo das investigações.

Bonachão

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, disse que não vai apoiar seu correligionário Geraldo Alckmin na corrida presidencial e topará sentar para conversar com outros candidatos.

Arthur desistiu de disputar as prévias com o governador de São Paulo porque avaliou que “não poderia se sujeitar a participar de uma fraude”.

“Ele tem cara de bonachão, mas é uma pessoa bastante tirânica. Não vejo o Geraldo como um mentiroso, eu acho que ele é a mentira. Não consigo me ver nem apoiando o Geraldo, muito menos fazendo campanha para ele.”

Para o prefeito não seria surpresa se fosse expulso do PSDB após ter desistido de disputar as prévias com Geraldo Alckmin:

“Já não duvido de nada nesse partido. Para ser expulso do PSDB, basta não roubar.”

Arthur ainda disse que o PSDB “virou uma massa sem vontade definida”.

Vigilantes

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) reconheceu o direito ao tempo especial para Aposentadoria de Vigilantes, independentemente se trabalham armados ou não.

Com a decisão do ministro Napoleão Nunes Maia Filho, esses trabalhadores são reconhecidos agora como atividade de risco, que dá direito à aposentadoria sem desconto na média salarial, com 25 anos de atividade especial.

A decisão do STJ só foi possível por conta da aprovação da lei 12.740, de 8 de dezembro de 2012, de autoria da então Deputada Federal e hoje Senadora Vanessa Graziottin (PCdoB), que redefiniu os critérios para a caracterização das atividades ou operações perigosas.

No Amazonas, 50 mil trabalhadores serão beneficiados.

Taxa do Lixo

O ex-deputado Marcelo Ramos em publicação no Facebook relembrou que há exatos 5 anos a Taxa do Lixo, criada pelo Amazonino, foi derrubada por ele numa Ação Direta de Inconstitucionalidade junto ao TJ-AM.

Na época o texto aprovado pela Câmara Municipal de Manaus (CMM), definia a cobrança de R$ 10 por mês para moradias que gerassem até 10 litros de lixo por dia, e R$ 90 mensal para imóveis que produzissem mais de 60 litros de resíduos por dia. Para imóveis não domiciliares o valor da tarifa variava entre R$ 30 e R$ 140.

Aproveitando a oportunidade uma seguidora fez o seguinte comentário: “Agora só falta derrubar a taxa de esgoto que é de 100%, sendo que todo esgoto e descartado nos igarapés sem nenhum tipo de tratamento.”

Marcelo, pré-candidato a deputado federal não perdeu tempo e foi direto ao ponto: “Estou estudando isso”.

Tal pai tal filho

O ex-prefeito de Coari, Adail Pinheiro, foi condenado pela Justiça Federal a 11 anos de prisão em regime fechado por corrupção ativa.

Na sentença, é citada a participação dele em esquemas de desvios milionários de recursos do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em 2002 e 2004, revelado pela operação Matusalém.

Adail já havia sido condenado pelos crimes de exploração sexual de crianças e adolescentes. Ele foi preso pela primeira vez em 2008 durante a Operação Vorax, da Polícia Federal, por suspeita de desviar mais de R$ 40 milhões.

Na última sexta-feira (23), o Ministério Público no Amazonas pediu o afastamento do seu filho, hoje prefeito de Coari, Adail Filho.

A ação aponta que a prefeitura tem realizado acordos judiciais milionários sem um critério claro para a escolha do credor, ferindo o princípio da impessoalidade. O prejuízo com tais acordos pode chegar a três milhões de reais.

Japonês da Federal

Foi publicada no Diário Oficial da União na segunda-feira (26) a portaria aposentando Newton Ishii, o japonês da Federal.

Ishii ganhou notoriedade ao conduzir presos da Operação Lava-jato.

Em 2016, foi preso por contrabando e chegou a ser monitorado por tornozeleira eletrônica.

Uber

Usuários, taxistas e empresas de aplicativos de transporte voltarão suas atenções para o Congresso Nacional nesta semana, mais precisamente para a Câmara, que deve votar, a partir desta terça-feira (27), a regulamentação do setor.

Deixe um comentário