You are currently viewing Opinião | Motociata de Bolsonaro em Manaus reúne mais de 12 mil motos e carros

Opinião | Motociata de Bolsonaro em Manaus reúne mais de 12 mil motos e carros

Opinião | Motociata de Bolsonaro em Manaus reúne mais de 12 mil motos e carros

Menezes se destaca ao ir na garupa do presidente

Governador recepciona líder da nação, mas não participa do passeio

Bolsonaristas: Pablo, Alberto Neto, Fausto, Péricles e Alfredo Nascimento marcaram presença

Vereador Marcel Alexandre conversa ao pé do ouvido com mandatário da nação

Evento religioso da Restauração marcou encerramento da agenda presidencial no AM

Marcelo Ramos e Zé Ricardo criticam visita do presidente à capital

David Almeida participa de maratona no Rio de Janeiro

Prefeito ressalta que utilizou recursos próprios

Ex-guerrilheiro da esquerda Gustavo Petro é eleito presidente da Colômbia

Presidente eleito da Colômbia manda soltar presos em primeiro discurso

Multidão

Em sua segunda visita à Manaus em menos de um mês, o presidente Jair Bolsonaro (PL) reuniu uma multidão de apoiadores no último sábado (18).

Anúncios

Pelo menos 12 mil motos e carros participaram da já tradicional motociata comandada pelo mandatário da nação.

Em solo amazonense, o passeio saiu do complexo turístico da Ponta Negra e percorreu todas as zonas da capital, encerrando no sambódromo.

Carinho do público

Mesmo figurando atrás de Lula nas pesquisas de intenções de votos no Amazonas, Bolsonaro provou que tem seu público cativo por aqui.

Desde o início da manhã, quando ele chegou ao aeroporto Eduardo Gomes, vários vídeos e fotos de pessoas em busca de ter contato com o presidente repercutiram nas redes sociais.

A presença de Bolsonaro na casa do apóstolo Rene Terra Nova – pastor da igreja da Restauração —,inclusive, causou tumulto no condomínio de luxo que fica na Ponta Negra.

Moradores se aglomeraram em frente à residência do líder religioso para falar com o presidente e ele prontamente os atendeu.

Com moral

E se teve alguém que faturou politicamente com a motociata de Bolsonaro em Manaus, foi o pré-candidato ao Senado, Coronel Menezes (PL).

Além de buscar o presidente na pista do aeroporto ao lado do governador Wilson Lima (União Brasil), o militar do Exército foi na garupa do presidente durante todo o percurso.

“A população atendeu ao nosso chamado e foi para a motociata. Foi histórico ver muitas famílias, pessoas queridas que queriam ver ou mesmo dar seu apoio ao presidente. Só tenho a agradecer”, disse Menezes ao final do evento.

Sem passeio

Falando em Wilson Lima, ele — ao contrário do que se comentou nos bastidores — fez as honras da casa a Bolsonaro, mas não participou da motociata com o presidente.

Políticos presentes

Além de Menezes e Wilson, outras figuras políticas também marcaram presença na agenda do presidente em Manaus.

Os deputados federais Delegado Pablo (União Brasil) e Capitão Alberto Neto (PL), os deputados estaduais Delegado Péricles (PL) e Fausto Santos Jr (União Brasil) e o presidente regional do Partido Liberal no Amazonas, Alfredo Nascimento, estiveram ao lado de Jair Bolsonaro durante o dia.

“Datapovo”

Pablo e Fausto, inclusive, aproveitaram o fato de Bolsonaro ter reunido uma multidão em Manaus para ironizar as pesquisas eleitorais que colocam o presidente atrás de Lula.

“Data povo é a melhor pesquisa, juntos por um país melhor”, escreveu no Instagram o Delegado Pablo.
Já Fausto lembrou que a voz do povo não falha. “A motociata de Bolsonaro em Manaus é sucesso. Milhares de pessoas de bem, reunidas na defesa da família e dos valores cristãos. Nossa luta é diária”, disse.

Aceno aos evangélicos

A motociata foi encerrada na pista do sambódromo, onde acontecia um evento chamado “Fruto Fiel”, que comemorou os 61 anos de Terra Nova, um dos mais conhecidos líderes religiosos do País, que mora em Manaus.

Por lá, Bolsonaro foi ovacionado e discursou acenando ao público evangélico, ressaltando a importância da oração e da busca pela salvação.

Fatia importante

De acordo com dados da Justiça Eleitoral de 2020, os evangélicos representam mais de 55% dos eleitores da capital do Amazonas, ou seja, uma fatia importante de votos. E Jair Bolsonaro sabe muito bem disso.

ZFM

O presidente também voltou a afirmar que em seu governo a Zona Franca de Manaus não sofrerá danos.

A fala, no entanto, acontece dias após a Advocacia-Geral da União (AGU) – que representa juridicamente o Governo Federal – contestar a liminar concedida pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes, que excepcionalizou os produtos fabricados na ZFM do decreto de redução de IPI no Brasil.

Ao pé do ouvido

Durante o almoço na casa de Rene Terra Nova, Bolsonaro conversou com o vereador de Manaus, Marcel Alexandre (Avante), que é pastor da Restauração.

O encontro foi registrado nas redes sociais do parlamentar e interlocutores do vereador afirmam, inclusive, que a conversa pode mexer no tabuleiro político local.

O que será que pode vir por aí?

Críticas

Mas a oitava passagem de Bolsonaro ao Amazonas como presidente também gerou críticas.

Os deputados federais Marcelo Ramos (PSD) e Zé Ricardo (PT), por exemplo, criticaram a realização de uma motociata no estado na mesma semana em que foi confirmada as mortes do indigenista Bruno Pereira e do jornalista inglês Dom Phillips no Vale do Javari, em Atalaia do Norte.

‘Proselitismo’

O ex-vice-presidente da Câmara disse que a presença de Bolsonaro foi para fazer proselitismo político e campanha eleitoral antecipada.

“Ao contrário do que se que esperava, o presidente Jair Bolsonaro não veio ao Amazonas se desculpar com as famílias de Bruno Pereira e Dom Phillips, assassinados brutalmente em Atalaia do Norte e não veio anunciar nenhuma ação para a segurança pública ou de combate à fome, ou qualquer outro benefício à população”, destacou Ramos.

‘Sem anúncios’

Já o petista disse que o presidente veio mais uma vez ao Amazonas e não entregou nada para a população do Estado.
“Bolsonaro veio pela segunda vez em menos de um mês para Manaus e não trouxe nada de concreto ao Amazonas, como presidente da República. Veio passear e fazer campanha eleitoral com dinheiro público”, escreveu o deputado no Twitter.

Maratona

Quem esteve alheio à movimentação em torno do presidente da República em Manaus foi o prefeito David Almeida (Avante), que desde a publicação dos decretos federais de redução do IPI e o não cumprimento de promessas de recursos federais para Manaus, não tem feito questão de mostrar simpatia ao Governo Federal.

O chefe do Executivo Municipal esteve no final de semana no Rio de Janeiro, onde ontem (19), participou da Maratona do Rio e aproveitou a oportunidade para promover a Maratona de Manaus, que acontece nos dias 22 e 23 de outubro.

“As minhas participações nas demais maratonas têm o propósito de colocar a nossa cidade nos grandes players de corrida e competições do mundo”, afirmou.

Dinheiro próprio

O prefeito fez questão de lembrar que assim como tem feito sempre que viaja para participar de maratonas, não gastou dinheiro público para ir ao Rio de Janeiro.

Esquerda no poder

O economista e ex-guerrilheiro de esquerda, Gustavo Petro, de 62 anos, foi eleito presidente da Colombia. O resultado da apuração dos votos foi divulgado na noite deste domingo (19).

Petro venceu Rodolfo Hernández em segundo turno das eleições presideniais do país.

O vencedor sucederá o presidente conservador Iván Duque, que por lei não pôde se candidatar à reeleição.

“Soltar presos”

Petro é o primeiro presidente de esquerda eleito pelos colombianos.

Em seu primeiro discurso, já cheio de polémicas, Petro falou em soltar presos.

“Quantos jovens presos estão acorrentados e algemados e são tratados como bandidos, simplesmente por ter esperança. Solicito ao procurador-geral da nossa nação, que liberte nossa juventude.”, disse o recém eleito presidente da Colômbia.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário