Você está visualizando atualmente Opinião | Seca no Amazonas já é realidade

Opinião | Seca no Amazonas já é realidade

Opinião | Seca no Amazonas já é realidade

Ano passado, seca afetou todas as 62 cidades do Amazonas e atingiu diretamente mais de 600 mil pessoas

Industrias tiveram prejuízo de R$ 1,4 bilhão

Arrecadação do estado caiu R$ 1 bilhão

Defesa Civil recomenda estoque de comida e água no AM

Robôs invadem redes de Roberto Cidade

Wilson Lima pede prioridade ao Ministério das Cidades para avanço de projetos de habitação no Amazonas

STF extingue condenação por corrupção a Dirceu na Lava Jato

Seca no AM

Considerando a reunião realizada nesta segunda-feira, 20, na sede do Ibama-AM, os governos federal, estadual e municipal já tratam a estiagem de 2024 como uma certeza. A informação foi divulgada em primeira mão pelo BNC Amazonas. 

Apesar de os rios amazônicos estarem enchendo e ainda ocorrerem algumas chuvas, a crise climática já é uma realidade. 

Alerta

A reunião destacou que a União, o Estado e o Município de Manaus veem a estiagem como um evento climático severo pelo segundo ano consecutivo. Possivelmente pior que ano passado.

Inicialmente programada para tratar de diversos assuntos, a reunião acabou focando na estiagem iminente.

Enchente Fraca

Os dados referentes à subida dos rios são preocupantes. 

O rio Negro, por exemplo, está atualmente com um nível inferior ao da cheia de 2023. 

No ano passado, essa situação marcou o início da maior vazante da história do Negro.

O rio já subiu 13,34 metros, mas ainda está cerca de 1,75 metro abaixo da cheia de 2023, que foi relativamente pequena.

Vazante Já Começou

Embora as águas continuem subindo no médio rio Solimões (Coari), passando pelo Negro (Manaus) até o baixo rio Amazonas (Parintins), os rios afluentes, que desaguam em rios principais já começaram a vazar ou reduzir sua cheia.

Impactos

A baixa dos níveis dos rios se tornou um problema significativo para a população e a economia da região.

A seca afetou todas as 62 cidades do Amazonas e atingiu diretamente mais de 600 mil pessoas.

Além disso, a estiagem no Amazonas resultou em custo de R$ 1,4 bilhão para as indústrias e possível repetição do quadro neste ano preocupa.

Queda na arrecadação 

Segundo o governador Wilson Lima (União Brasil), a arrecadação no estado do Amazonas foi impactada fortemente pela seca severa de 2023, considerada a maior em 121 anos. 

O prejuízo foi de R$ 1 bilhão.

Queimadas

Além disso, no ano passado, a fumaça das queimadas na floresta amazônica alcançou Manaus, encobrindo a cidade com fuligem por cerca de três meses, afetando mais de dois milhões de pessoas.

Reforço em 2024

Para este ano, o Ibama planeja atuar precocemente em Autazes (AM), que no ano passado foi o principal emissor de fumaça para Manaus. 

O instituto contará com 17 veículos para esse serviço, incluindo novas picapes já prontas para uso.

Outras medidas de prevenção e contenção devem e precisam ser planejadas por todos os poderes. 

Defesa Civil

Os órgãos de monitoramento estão atentos e a Defesa Civil do estado fez um alerta à população que mora em áreas que costumam ser afetadas para que comecem a guardar água, alimentos e remédios.

O secretário da Defesa Civil, coronel Francisco Máximo, antecipou em entrevista para a Rede Amazônica, recomendações para a população.

Estoque

Uma delas é para as pessoas que moram em áreas onde o acesso é feito apenas por embarcações e que foram afetadas na seca do ano passado, para que sofram o mínimo possível este ano.

“Eu sei que é muito difícil abandonar o seu lar. Você precisa cuidar, mas que fique o mínimo de pessoas possíveis, para evitar o isolamento. Você que decidir permanecer, porque vai continuar cuidando da sua propriedade, você deve fazer uma estocagem de água, alimento e medicamentos para enfrentar o período de risco”, disse o secretário.

Pico da vazante

O pico da vazante deve começar em outubro, segundo Máximo, e antes desse período crítico é preciso haver uma preparação por parte da população ribeirinha. 

Ele recomendou que crianças, idosos, enfermos e pessoas com deficiência sejam conduzidas para a sede do município, e caso não haja acolhimento por parte de familiares, essas pessoas podem procurar apoio necessário do estado e município.

Ataque

O deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Manaus pelo União Brasil (UB), Roberto Cidade, usou as redes sociais nesta terça-feira (21/05) citando os ataques virtuais que sofreu em sua página no Instagram, no último fim de semana, por meio de robôs com perfis fakes.

De acordo com Cidade, os ataques tinham como objetivo diminuir o alcance da rede social dele junto aos manauaras internautas. 

Perfis falsos

“No último final de semana, meu perfil no Instagram foi atacado por robôs que o infestaram com falsos seguidores, com o objetivo de espalhar fake news e diminuir o alcance da minha rede social.”, disse o pré-candidato em vídeo publicado no Instagram. 

Ainda segundo Cidade, os ataques possivelmente vinheram do partido Avante, sigla que acomoda o prefeito de Manaus, David Almeida.

Prioridade

O governador Wilson Lima apresentou, nesta terça-feira (21), ao ministro das Cidades, Jader Filho, um pedido de prioridade para avanço de projetos de habitação do estado já aprovados pelo Governo Federal, que fazem parte do Amazonas Meu Lar – maior programa de habitação já realizado pelo governo estadual, que contempla seis projetos, totalizando 720 unidades pelo Minha Casa Minha Vida.

Encontro 

Na reunião, realizada em Brasília, na sede do Ministério das Cidades, o governador esteve acompanhado dos secretários de Desenvolvimento Urbano e Metropolitano (Sedurb), Fausto Júnior; do chefe da Casa Civil, Flávio Antony; e da Unidade Gestora de Projetos Especiais (UGPE), Marcellus Campêlo; além do diretor-presidente da Superintendência de Habitação (Suhab), Jivago Castro.

Amazonas Meu Lar

Maior programa habitacional do Estado e lançado em 2023 pelo governo Wilson Lima, o Amazonas Meu Lar tem investimentos estimados em R$ 4,7 bilhões e prevê mais de 24 mil soluções definitivas de moradia para a população de baixa renda, sendo 22 mil novas unidades habitacionais e a regularização de 33 mil imóveis.

Lava Jato

A segunda turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu nesta terça-feira (21) extinguir condenação imposta ao ex-ministro José Dirceu pelo crime de corrupção passiva em um processo da operação Lava Jato.

Por 3 a 2, os ministros atenderam ao pedido da defesa de Dirceu e consideraram que o crime já estava prescrito no momento do recebimento da denúncia, em 2016.

Prescrição 

A prescrição ocorre quando o Estado não pode mais punir alguém por um crime, depois de passado um prazo.

No caso em questão, Dirceu foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. 

A pena fixada foi de 8 anos, 10 meses e 28 dias.

A condenação se deu pelo recebimento de propina de um contrato fechado em 2009 entre a Petrobras e a empresa Apolo Tubulars.

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaoponto.am

TikTok: @diretoaoponto.am

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 98566-4150

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário