Você está visualizando atualmente Opinião | Lula é vaiado em evento com prefeitos de todo o Brasil

Opinião | Lula é vaiado em evento com prefeitos de todo o Brasil

Opinião | Lula é vaiado em evento com prefeitos de todo o Brasil

O petista estava presente na Marcha em Defesa dos Municípios

Rombo do governo se aproxima dos recordes da pandemia – e deve piorar com socorro ao RS

União, estados, municípios e estatais acumularam, em um ano, déficit nominal de R$ 999 bilhões

Câmara aprova projeto que pune invasores de terra; Amom foi o único do Amazonas a votar contra

Reitor da UEA lança livro com reflexões sobre políticas públicas no Amazonas e Brasil

Vaia

O presidente Lula (PT) foi vaiado nesta terça-feira (21) durante a Marcha em Defesa dos Municípios, da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), em Brasília (DF).

Ao ser anunciado pelo cerimonial, o petista foi recebido com vaias e alguns gritos de “Fora, Lula”.

Recepção ‘calorosa’

Após a recepção ‘calorosa’ ao petista, o presidente da CNM, Paulo Ziulkosi, pediu que os prefeitos e os outros participantes que não vaiassem as autoridades.

“Nós temos que primar pelo respeito às nossas autoridades. Não estamos aqui para disputa de direito, de centro, de esquerda”, afirmou.

Presentes

Além de Lula, o vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços, Geraldo Alckmin (PSB), outros 18 ministros, e os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), e do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), estavam presentes no evento.

Pauta

O principal tema da edição deste ano da Marcha é a manutenção da desoneração da folha de pagamento dos municípios – tema que vem sendo negociado entre Executivo e Legislativo nas últimas semanas e deve ser apreciado por Câmara e Senado nos próximos dias.

Evento 

Segundo estimativas da CNM, cerca de 10 mil pessoas devem participar da Marcha, entre prefeitos, vice-prefeitos, secretários municipais e vereadores. 

O evento vai termina hoje (23), no Centro Internacional de Convenções do Brasil (CICB), em Brasília.

Gastão

Com o governo gastando mais do que arrecada e pagando o maior volume de juros em sete anos, o rombo total das contas públicas brasileiras se aproxima dos recordes atingidos na pandemia de Covid-19. 

E o quadro tende a se agravar com as despesas necessárias para o socorro e a reconstrução do Rio Grande do Sul.

Rombo de R$ 999 bilhões

União, estados, municípios e estatais acumularam, em um ano, déficit nominal de R$ 999 bilhões. Esse foi o saldo das finanças dos governos após o pagamento dos juros da dívida.

Os dados, atualizados até março, são do Banco Central.

Divisão

Mais de 90% desse rombo de quase R$ 1 trilhão se deve aos resultados de governo federal (déficit nominal de R$ 829 bilhões) e Banco Central (-R$ 87 bilhões). O restante vem de estados e municípios (-R$ 75 bilhões) e empresas estatais (-R$ 8 bilhões).

Série histórica

Na relação com o PIB, o patamar atual é mais próximo do observado entre os anos de 2015 e 2017, quando ficou constantemente acima de 9%, chegando a 10,7% do PIB em janeiro de 2016. 

Até a pandemia, esse era o pior resultado da série histórica, iniciada em 2002.

Base de Lula

O deputado federal Amom Mandel (Cidadania), foi o único parlamentar do Amazonas a votar contra o texto base do Projeto de Lei (PL 709/2023) que cria punições para invasores de propriedades rurais e também de imóveis urbanos. 

O texto foi votado na Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), na última terça-feira (21/03). 

Dos oito deputados federais do Amazonas, apenas Amom seguiu a orientação do governo Lula e votou contra a matéria.

Alinhamento

Pelo voto dado na Câmara, Amom está mais alinhado às ideias do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), bem conhecido no Brasil por se apossar de terras.

Outros votos

Do Amazonas votaram a favor: Adail Filho (Republicanos), Capitão Alberto Neto (PL), Pauderney Avelino (União Brasil), Sidney Leite (PSD) e Silas Câmara (Republicanos). 

Átila Lins (PSD) e Saullo Vianna (União) não constam como votantes na sessão.

Lançamento

Análises, propostas e discussões sobre o cenário da administração pública, especialmente no Amazonas, são o tema central do livro “Políticas públicas no Brasil: Reflexões contemporâneas”, de autoria do reitor da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), Prof. Dr. André Luiz Nunes Zogahib. 

O lançamento acontece nesta quinta-feira (23), às 18h30, na sede da Academia Amazonense de Letras (AAL), localizada na avenida Ramos Ferreira, 1.009, Centro. 

Livro

O livro contém artigos publicados no Jornal do Commercio, de Manaus, durante os anos de 2021 e 2022. Com reedições e atualizações, além de textos inéditos, o reitor da UEA busca traçar estratégias, por meio de análises, no sentido de contribuir para a construção de políticas públicas bem executadas, que são fundamentais para um país e um Amazonas economicamente sustentáveis.

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaoponto.am

TikTok: @diretoaoponto.am

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 98566-4150

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário