Você está visualizando atualmente Opinião | Bolsonaro e parlamentares convocam manifestação contra Moraes e por Cleriston

Opinião | Bolsonaro e parlamentares convocam manifestação contra Moraes e por Cleriston

Opinião | Bolsonaro e parlamentares convocam manifestação contra Moraes e por Cleriston

Atos na avenida Paulista (São Paulo) e na Ponta Negra (Manaus) estão confirmados

Capitão Alberto Neto quer CPI do Abuso de Autoridade para investigar os abusos do STF

STF e Senado em pé de guerra por contra de projeto que impõe limites a ministros

Gilmar Mendes: “Supremo está preparado para enfrentar o Poder Legislativo. Esse tribunal não admite intimidações”

Plínio Valério: “Declarações destemperadas como as do ministro Gilmar ameaçam a Democracia”

Roberto Cidade intensifica agendas casadas com vereadores e deputados nos bairros de Manaus

Vereador Mitoso assume liderança do MDB na CMM

PT-AM diz ‘não’ à filiação do ex-vice-governador Carlos Almeida

Manifestação

O ex-presidente Bolsonaro, deputados federais e senadores mobilizam uma manifestação na Avenida Paulista, em São Paulo, no próximo domingo (26), em defesa do “Estado Democrático de Direito” e em memória do Cleriston Pereira, um dos réus do 8 de janeiro que faleceu, na última segunda (20), no presídio, em Brasília.

O ato também acontece na Ponta Negra, em Manaus, as 16h.

Impeachment de Moraes

Alguns parlamentares também reforçaram que o ato será em apoio ao pedido de impeachment do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, que vem sendo apontado como culpado pela morte de Cleriston, que tinha um parecer de liberdade provisória da Procuradoria-Geral da República (PGR), mas que não foi analisado pelo ministro do STF antes de sua morte.

Cleriston da Cunha, ele era um dos apoiadores de Jair Bolsonaro presos pelo STF nas manifestações de 8 de janeiro.

Convocação

Num vídeo divulgado, Bolsonaro aparece dizendo que apoia a manifestação de domingo.

Líderes evangélicos, como Silas Malafaia, fazem coro.

Repetem o chamado parlamentares bolsonaristas, a exemplo de Magno Malta, Nikolas Ferreira, Gustavo Gayer e André Fernandes. 

CPI do Abuso de Autoridade

A tentativa de instalar a CPI do Abuso de Autoridade, na Câmara dos Deputados, para investigar os abusos do Supremo Tribunal Federal (STF) segue a todo vapor.

Os deputados federais tentam garantir as assinaturas que faltam para instalação, após criticarem uma série de “arbitrariedades” por parte do STF, e especialmente a “omissão” do ministro Alexandre de Moraes, no caso da morte de um dos réus do 8 de janeiro, na Papuda, em Brasília.

Assinaturas

O pedido apresentado pelo deputado Marcel van Hattem (Novo-RS) precisa de 171 assinaturas para ser protocolado, e depois passar para a instalação, conforme o regimento interno da Câmara.

Atualmente, o pedido conta com 148 assinaturas. Do Amazonas, apenas o deputado federal Capitão Alberto Neto assinou o documento.

Os deputados tentam conseguir as 23 assinaturas que faltam para instalar a CPI ainda neste ano.

Pé de guerra

A aprovação no Senado da PEC que limita decisões individuais de ministros do STF colocou em choque Judiciário e Legislativo.

Durante sessão no plenário, os ministros Luís Roberto Barroso e Gilmar Mendes criticaram duramente a proposta.

Em resposta, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse que a Corte não é palco para discussões políticas.

“Traição de Wagner”

A PEC contou com votos de senadores aliados de Lula, em especial o do petista Jaques Wagner, acusado de traição por ministros do supremo.

Esperneio supremo

Ministros do STF aproveitaram a sessão de quinta-feira para “mandar recados” ao Congresso, oscilando entre o exagero retórico e a ameaça.

Texto

O texto aprovado interfere na rotina do STF, restringindo a capacidade de qualquer ministro suspender a eficácia de lei ou ato normativo com efeito geral ou de atos dos presidentes da República, do Senado, da Câmara ou do Congresso.

A pressão recai agora sobre a Câmara dos Deputados, que tem a missão de apreciar a matéria ainda este ano.

Mandato de 8 anos

Outros projetos ainda estão sendo avaliado pelo Senado para tentar conter os excessos do STF, como o que determina tempo mais restrito para o mandato de ministros do Supremo, de oito, de autoria do senador Plínio Valério.

Ameaça a democracia

Em suas redes sociais o senador Plínio Valério se mostrou surpreso com a reação de alguns ministros que se consideram Deuses do Olímpio.

“Tem 2 ministros do STF raivosos porque o Congresso resolveu legislar. O STF é o poder que interpreta dúvidas da Constituição de 1988, não a Constituição imaginária que criaram na cabeça deles. Temo que declarações destemperadas como as do ministro Gilmar ameacem a Democracia que tanto bradam.”

E agora?

O artigo 2.º da Constituição diz que os três poderes são independentes e harmônicos entre si. Mas não há mais harmonia há muito tempo.

O que estamos vendo é uma total desarmonia.

E aí vem a pergunta: havendo desarmonia, quem é o poder moderador?

Dom Pedro II não está mais aqui. Ao papa não se recorre mais.

Quem é, então?

Agendas casadas

O presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Roberto Cidade, tem intensificado as agendas conjuntas com vereadores, deputados estaduais e federais nos bairros mais populosos da capital.

Ontem, Roberto, que é pré-candidato à prefeitura de Manaus, participou de uma agenda lotada de pessoas no Bairro de Santo Antônio, acompanhado pelo vereador Lissandro Breval e pelo deputado federal Fausto Santos Jr.

Lideranças

Este mês, o presidente da Aleam já realizou agendas em pelo menos outros 07 bairros, contando com a participação dos deputados Felipe Souza, Mario César Filho e João Luiz, além dos vereadores Diego Afonso, Capitão Carpê, Allan Campelo e Bessa.

Além disso, está colado no governador Wilson Lima, que está com uma aprovação altíssima em Manaus, participando de todas as entregas e ações do governo estadual.

Essa intensa atividade já se reflete na ascensão de Cidade nas pesquisas eleitorais.

Nova liderança

O vereador Luis Mitoso, recentemente filiado ao partido do senador Eduardo Braga e membro da base do prefeito de Manaus, David Almeida, assumiu a liderança do Movimento Democrático Brasileiro do Amazonas (MDB Amazonas) na Câmara Municipal de Manaus (CMM).

Alinhamento

O convite para a filiação foi estendido pelo presidente da legenda no estado, o senador e ex-governador Eduardo Braga, na semana passada.

Essa nova adesão reforça a presença e a influência do MDB com membros da base do prefeito David Almeida.

Deu ruim

O BNC Amazonas noticiou que a direção estadual do PT-AM recusou recentemente o pedido de filiação do ex-vice-governador do estado, Carlos Alberto Almeida.

Infiltrado

A decisão foi tomada após uma impugnação apresentada no Diretório Municipal pelo DJ Ruan Octávio, que alegou que Almeida é bolsonarista e está tentando se filiar ao PT por conveniência.

Goleada

No julgamento da impugnação na instância regional, dos 10 dirigentes petistas presentes, apenas dois votaram a favor do ex-vice-governador.

Esses votos foram da RUM, corrente petista do presidente do PT-Manaus, Valdemir Santana, que apoia a filiação de Carlos Almeida.

Última cartada

Apesar da decisão desfavorável, o ex-vice-governador ainda pode persistir em sua tentativa de se tornar um membro do PT, contudo, agora ele precisará recorrer à direção nacional do partido.

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário