Você está visualizando atualmente Opinião | Alfredo Nascimento rebate contestação de Menezes e reitera confiança em Capitão Alberto Neto: “Tudo decidido com Bolsonaro”

Opinião | Alfredo Nascimento rebate contestação de Menezes e reitera confiança em Capitão Alberto Neto: “Tudo decidido com Bolsonaro”

Opinião | Alfredo Nascimento rebate contestação de Menezes e reitera confiança em Capitão Alberto Neto: “Tudo decidido com Bolsonaro”

Presidente do PL no Amazonas disse que Bolsonaro pediu para Menezes ser vereador

Bolsonaro só irá pedir votos para candidatos do PL

Eduardo Bolsonaro, Bia Kicis, Carlos Jordy e outras lideranças da direita gravam vídeos em apoio a Alberto Neto

Omar Aziz sai em defesa de Coronel Menezes

Amazonas Meu Lar: Wilson Lima assina repasse de R$ 446 milhões à Caixa Econômica para financiar entrada de imóveis

Pesquisas deixam Lula em alerta

Escolhido

O ex-senador, deputado federal, ministro e presidente estadual do Partido Liberal no Amazonas, Alfredo Nascimento, foi direto ao ponto em relação à contestação de Coronel Menezes contra a estratégia e a decisão partidária, assim como do ex-presidente Bolsonaro, de lançar o Capitão Alberto Neto como pré-candidato à prefeitura de Manaus.

Decisão de Bolsonaro

Ontem (27), durante coletiva de imprensa na sede do PL, Alfredo foi categórico ao afirmar que as tratativas em relação à disputa pela prefeitura de Manaus foram conduzidas por telefone e pessoalmente com Bolsonaro. Ele ressaltou que Bolsonaro decidiu que o melhor nome da direita no Amazonas para a disputa era do deputado federal Capitão Alberto Neto.

“Ele ainda perguntou o que eu achava e eu disse eu acho o que o senhor achar, pois a decisão é partidária”, afirmou.

Vice

Sobre a decisão em torno do vice na chapa do PL, Alfredo também esclareceu que não vetou nem escolheu o nome de ninguém, referindo-se ao Coronel Menezes.

“Trapalhão”

“Sobre vice quem vai decidir que composição que vamos fazer política é o presidente Bolsonaro. Não serei eu. Isso tudo que está sendo posto, aliás o Coronel Menezes está dizendo que eu atrapalhei a direita quem está saindo é ele que está atrapalhando a direita.”, afirmou o presidente do PL.

Chapa

O vice na chapa do PL só deverá ser escolhido em agosto, assim como o vice dos demais candidatos.

Essa decisão estratégica é tomada após análises detalhadas e tem como principal objetivo ampliar o arco de alianças.

Composição

Política é a arte do diálogo em busca do convencimento. E nesse quesito, Menezes vem sendo reprovado sucessivamente.

Ele não conseguiu convencer Bolsonaro, Alfredo, Valdemar, Alberto Neto e os demais membros do PL de que era o nome capaz de vencer a eleição. Da mesma forma, não persuadiu o governador Wilson Lima e todos os outros partidos que tentou aliança para disputar a prefeitura de Manaus, de que era um candidato competitivo.

Ninguém acredita no Menezes.

Política é pragmática

No histórico de Menezes pesam derrotas, brigas e desconfiança.

Ele foi demitido da Suframa por arranjar confusão com toda a bancada federal do Amazonas. Sem capacidade para o diálogo, dividiu a direita na eleição de 2020. Em 2022, colocou uma faca no pescoço do governador Wilson Lima e foi candidato ao Senado, mesmo sendo advertido de que havia nomes mais competitivos. Resultado: levou uma surra do senador Omar Aziz, um dos maiores algozes de Bolsonaro.

Portanto, em relação a Menezes, já ficou muito claro que ele é, no jargão popular, um cavalo paraguaio.

Confiança

Essa confiança que Menezes tinha de Bolsonaro acabou. É uma questão superada, afinal, quem vive de passado é museu.

Bolsonaro, já enfrentando problemas devido à perseguição política, está buscando soluções confiáveis e pragmáticas para vencer eleições em todo o Brasil em 2024. Isso é fundamental para formar uma base sólida que ajudará a fortalecer a direita em 2026, na disputa pela presidência da República e por cadeiras no Congresso Nacional.

Sem Bolsonaro

A decisão de Menezes de sair do PL é única e exclusivamente dele, assim como a de trair o presidente Bolsonaro e tentar dividir a direita.

É importante lembrar que Bolsonaro deixou claro para ele que queria que Menezes fosse candidato a vereador pelo PL. Além disso, Bolsonaro relembrou Menezes que ele mesmo começou sua vida política exercendo o cargo de vereador.

Alerta

Ainda sobre os bastidores dessa conversa entre Bolsonaro, Menezes e a cúpula do PL no Amazonas, o ex-presidente foi direto ao ponto e alertou que se ele saísse do PL, não iria pedir votos para ele, seja como candidato a prefeito, a vice ou como candidato a vereador.

Ele deixou claro que só iria pedir votos para os candidatos do PL.

Mau perdedor

Então, a decisão de Menezes de mudar de partido, ignorando uma orientação direta de Bolsonaro, após tudo o que o presidente fez por ele, deixa claro para quem ainda tinha dúvidas sobre o verdadeiro caráter de Menezes.

Aqueles que o conhecem sabem que sua mentalidade é centrada em si mesmo: primeiro eu, segundo eu, terceiro eu. O resto é resto.

Parte superior do formulário

Parte inferior do formulário

Futuro

Política é dinâmica e toda decisão tem suas consequências.

Escolhas erradas são implacáveis. No campo da direita, aqueles que contrariaram Bolsonaro viram suas carreiras políticas implodirem. Exemplos disso são João Dória, Joice Hasselmann e Alexandre Frota. No âmbito regional, erros de cálculo político praticamente aposentaram nomes promissores como Marcelo Ramos, Hissa Abrahão, Marcos Rotta e Carlos Almeida.

Com o tempo como senhor da razão, veremos nas eleições de 2024 e 2026 as consequências das escolhas de Menezes.

Ombro amigo

Outro fato no mínimo curioso dessa história é que o único político do Amazonas que saiu em defesa do Coronel Menezes foi justamente seu adversário da última eleição, o Senador Omar Aziz (PSD).

Omar se disse solidário a Menezes e afirmou que ele deveria ser respeitado.

A fala repercutiu nas redes sociais.

“Omar, convida o Menezes para ser candidato a vereador pelo PSD”, disse um internauta.

“Pode levar esse melancia para o PSD”, disse outro.

Estranho

O afago de Omar destoa um pouco de suas atitudes políticas, como presidente do PSD, o que é conhecido por alguns.

Ele já vetou o direito de David Almeida disputar a reeleição ao governo do Amazonas em 2017, quando assumiu como governador tampão, após a cassação de José Melo.

Também interfere nas articulações e decisões do PT no Amazonas, devido à sua relação com Lula e acordos com a direção nacional do PT.

Bolsonaro em Manaus

Mudando de assunto, Capitão Alberto Neto confirmou em suas redes sociais a data em que o ex-presidente Jair Bolsonaro estará em Manaus.

“Confirmado para os dias 10 e 11 de maio a vinda do presidente Bolsonaro e Michelle Bolsonaro em Manaus. Nosso presidente já definiu os dias em que estará na nossa cidade para fortalecer nosso projeto nas eleições deste ano e consolidar a união da direita na nossa capital”, disse Alberto Neto.

Apoio

Falando em Alberto Neto, ele vem recebendo apoio de relevantes nomes da direita de todo o Brasil.

Eduardo Bolsonaro, Bia Kicis e Carlos Jordy já gravaram vídeos declarando apoio ao bolsonarista na disputa pela prefeitura de Manaus.

Amazonas Meu Lar

O Governador Wilson Lima assinou contrato do programa habitacional para que o Estado repasse à Caixa Econômica Federal um total de R$ 446 milhões.

O programa deverá beneficiar 13 mil famílias com moradia digna em áreas próximas a comércios, farmácias e supermercados.

Lula em alerta

Mais uma pesquisa, dessa vez do PoderData, mostrou queda na popularidade de Lula.

Acuado pelos levantamentos, o presidente tem buscado dialogar com grupos entre os quais sofre maior resistência, como os de militares, evangélicos e grandes produtores rurais.

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaoponto.am

TikTok: @diretoaoponto.am

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 985566-4150

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário