Opinião | Bolsonaro visita o Amazonas pela quarta vez em menos de um ano

Opinião | Bolsonaro visita o Amazonas pela quarta vez em menos de um ano

Opinião | Bolsonaro visita o Amazonas pela quarta vez em menos de um ano

Presidente frustra novamente as expectativas e não anuncia investimentos no Estado

‘CPI da Covid tem dois folgados do Amazonas’, diz Bolsonaro em entrevista a Sikera Jr

David Almeida sai em defesa de Pazuello e diz que ex-ministro foi fundamental para Manaus

Assembleia aprova auxílio permanente a 300 mil famílias

Idade para ingresso na Polícia Militar e Corpo de Bombeiros passa de 28 para 35 anos

Mais de 265 mil pessoas não tomaram a segunda dose em Manaus

Comando Vermelho exige que postos de gasolina em Manaus reduzam preços

Empatou com Lula

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) esteve mais uma vez no Amazonas, onde cumpriu agenda política/religiosa ontem (27) em Manaus. Essa é a quarta passagem do chefe da nação ao Estado em menos de um ano e a sexta vez desde que assumiu o mandato em janeiro de 2019.

Anúncios

Com esta visita, o presidente da República se iguala ao ex-mandatário Lula (PT), que em oito anos na presidência também pisou seis vezes em solo amazonense.

Frustração

Assim como da última vez que esteve por aqui – na inauguração do residencial Cidadão Manauara 2 – em 18 de agosto, Jair Bolsonaro frustrou a classe política e a população local por não anunciar nenhum investimento ao Estado.

Na terça-feira (26) a noite, após um jantar com o presidente, o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), fez uma publicação nas redes sociais na qual externou sua expectativa por anúncios de ações do Governo Federal na cidade.

R$ 1 bilhão

Nos bastidores, chegou-se a cogitar que Bolsonaro anunciaria aportes da ordem de R$ 1 bilhão para Prefeitura de Manaus e Governo do Amazonas.

No entanto, assim como há dois meses, tais investimentos não foram anunciados na passagem presidencial pela capital amazonense.

Em defesa de Pazuello

Por falar em David Almeida, o chefe do Executivo Municipal saiu em defesa do ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello – bastante criticado pela mídia e parte da classe política por sua postura à frente da pasta.

O prefeito afirmou que o general do Exército prestou um apoio fundamental a Manaus durante a segunda onda da Covid em janeiro.

A declaração foi dada durante a 1º Consagração Pública de Pastores do Amazonas, no Centro de Convenções Vasco Vasques, evento que faz parte da agenda de Jair Bolsonaro na cidade.

“Folgados”

Bem como na última vez que veio a Manaus, Bolsonaro deu entrevista ao apresentador Sikera Jr.

No bate-papo, entre outros assuntos, o presidente falou da CPI da Covid e aproveitou para criticar os senadores do Amazonas integrantes do colegiado: Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (MDB).

Segundo Bolsonaro, a Comissão serviu apenas para atacar o Governo Federal.

“O G7 (grupo de senadores da CPI), que tem dois folgados aqui do Amazonas, chegam em Brasília para fazer política, abrem a CPI com o relatório pronto e começam, praticamente, a torturar muitas pessoas”, disse Bolsonaro ao se referir à médica Nise Yamaguchi e ao empresário Luciano Hang.

Auxílio permanente

A Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou ontem (27), o Projeto de Lei (PL) 531/2021, oriundo do Governo do Amazonas, e instituiu o Auxílio Emergencial Permanente – uma espécie de Bolsa Família para 300 mil famílias em situação de vulnerabilidade social.

Serão 158 mil beneficiários na capital e 142 mil no interior que receberão o valor mensal de R$ 150.

Mudança na regra

A Aleam também aprovou o PL 470/2021 que aumentou de 28 para 35 anos a idade limite para ingresso na Polícia Militar e Corpo de Bombeiros do Amazonas.

Outra mudança é que a partir de 2023, para se tornar praça será necessário ter nível superior completo e para ingressar no quadro de oficiais será necessário ser bacharel em Direito.

Os concursos para PM também terão que destinar, no mínimo, 10% das vagas para mulheres e as provas acontecerão 60 dias após a publicação do edital.

Segunda dose

De acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), 265.184 pessoas estão atrasadas com segunda dose da vacina contra a Covid-19 em Manaus.

O dado é preocupante, sobretudo após o secretário de Saúde do Estado, Anoar Samad, revelar que 84,6% dos pacientes internados em UTI com coronavírus não tinham tomado nenhuma dose ou apenas a primeira dose da vacina.

Comando Vermelho

O Comando Vermelho mandou donos de postos de gasolina de Manaus reduzirem os preços dos combustíveis.
A facção ameaçou atear fogo em estabelecimentos e caminhões de combustível e deu prazo de uma semana para que empresários tomem providências.

Em mensagem divulgada nas redes sociais na noite de ontem, o Comando Vermelho diz que está do lado dos “irmãos que estão sendo prejudicados”.

“Safados dos cartéis”

“O Comando pede para os safados dos cartéis de postos baixarem o preço da gasolina. Estamos dando o prazo de uma semana, estamos do lado dos nossos irmãos que estão sendo prejudicados. Se não [cumprirem], vamos botar o trem na rua e colocar fogo em postos de gasolina e caminhões.“

O último reajuste nos preços foi anunciado pela Petrobras na segunda-feira (25) e entrou em vigor no dia seguinte. O valor cobrado dos distribuidores pela gasolina passou de R$ 2,98 para R$ 3,19 por litro, uma alta de R$ 0,21.

O preço da gasolina em Manaus chegou a R$ 6,59 e em alguns municípios no interior do Amazonas já é vendido a mais de R$ 8.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário