Governo Federal enrola Amazonino e bancada do Amazonas

Governo Federal enrola Amazonino e bancada do Amazonas

O governo federal não cedeu aos argumentos da bancada amazonense no Congresso Nacional.

Anúncios

A bancada, acompanhada do governador Amazonino Mendes, se reuniu no início da tarde desta terça com o ministro Eduardo Guardia, da Fazenda, com o intuito de anular o decreto número 9.394/18, que altera alíquotas do IPI, prejudicando a Zona Franca de Manaus.

Jogo duro

A reunião aconteceu na casa do presidente da Câmara Federal, deputado Rodrigo Maia. E o próprio anfitrião decretou ao fim: “daqui não sai nada”.

Nova investida

O senador Omar Aziz, líder da bancada, confirmou que não houve nada conclusivo, mas que os parlamentares irão tentar uma nova reunião com a equipe econômica do governo.

Ao telefone, Temer teria dito à bancada que não iria prejudicar o PIM, mas na hora de negociar mandou ministros para a linha de frente.

Tapa-buraco

Só pra lembrar, o governo federal adotou essa decisão de reduzir a alíquota do IPI para as indústrias de concentrados de bebidas da ZFM, para cobrir o rombo deixado com a greve dos caminhoneiros.

Solução

A senadora Vanessa Grazziotin deu entrada no projeto de decreto legislativo para sustar as medidas do Governo.

A matéria já está na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado.

No teor do decreto, a senadora alegou que “Constituição Federal impede que os contribuintes sejam surpreendidos com a cobrança imediata do aumento da carga tributária. Além do mais, assegura o tratamento diferenciado para a Zona Franca de Manaus”.

Seguro-ribeirinho

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado (CAE) aprovou projeto de lei, de autoria da Senadora Vanessa, que assegura pagamento do seguro-desemprego a trabalhadores extrativistas vegetais de pelo menos 37 produtos diferentes, como, por exemplo, o cupuaçu, o açaí, a quina, jaborandi, copaíba, látex, castanha-do-pará, piaçava, malva, bacaba, breu, jatobá, juta, entre tantos outros.

83.500

O projeto (PLS 156/2018) prevê o pagamento de seguro-ribeirinho aos trabalhadores que ficarem impedidos de exercer sua atividade em períodos que for imprópria e não recomendável a exploração extrativista.

Para ter direito ao benefício, o trabalhador deverá exercer o extrativismo ininterruptamente. Hoje, são cerca de 83.500 trabalhadores nessa condição, na sua quase totalidade nos municípios do interior da região amazônica.

CPI nos ônibus

Por falar em greve, depois que terminou a paralisação dos rodoviários de Manaus, os vereadores querem saber como são vendidas essas passagens às empresas.

O vereador Chico Preto apresentou um pedido de CPI da bilhetagem, mas até agora só conseguiu seis assinaturas, sendo necessárias no mínimo 14.

Comissão Mista

Sobre a proposta de CPI da bilhetagem, o deputado José Ricardo já se ofereceu para compor uma comissão mista – formada por vereadores e deputados estaduais – para investigar a caixa preta do sistema de transporte coletivo.

Como se isso já não tivesse sido tentado antes…

Sarcasmo mode on

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio, está divulgando em toda parte que o acordo entre os rodoviários e os empresários foi muito pior do que aquele acordo oferecido por ele (prefeito) em maio.

Os rodoviários vão receber 5,5% de aumento mas não terão as faltas abonadas e terão que repor os dias parados.

“Durante a rodada de negociação mediada pela Prefeitura de Manaus, no dia 30 de maio, foi oferecido um reajuste de 6,5% e abono das faltas. Não consigo entender. Acho que sou meio burro”, ironizou o prefeito.

Arthur não conseguiu esconder o veneno escorrendo ao comentar o fim da greve.

The New York Times

A matéria, intitulada “Fartos de Corrupção, Novos Rostos Tomam Conta da Velha Política no Brasil” (do inglês “Fed Up With Corruption, Fresh Faces Take On Brazil’s Political Old Guard”, em tradução livre), traçou o perfil de jovens com carreiras de sucesso, que decidiram dar um tempo do escritório e concorrer a um cargo político na esperança de dar novos ares ao já desacreditado cenário político brasileiro.

A empresária amazonense e pré-candidata a deputada federal pelo PR, Michelle Guimarães foi destaque na edição.

Renova BR

A reportagem do The New York Times cita ainda o instituto Renova BR, organização fundada por empreendedores com objetivo de buscar a renovação dos quadros políticos brasileiros.

Um dos nomes do Renova no Amazonas é do empresário do setor de navegação Dodó Carvalho, pré-candidato a deputado federal pelo PSD.

O antiBolsonaro

O foco de Geraldo Alckmin neste momento é tornar-se o antiBolsonaro. Por enquanto, está só na vontade.

Datafolha inicia pesquisa

Os pesquisadores do Datafolha vão às ruas a partir desta quarta-feira (06) para medir o pulso da corrida presidencial.
No domingo, a “Folha de S. Paulo” publicará o material colhido, de acordo com o registro feito há pouco no TSE.
Há cenários com e sem Lula (quando Lula não aparece, há as opções naturais, Fernando Haddad e Jaques Wagner).
Pela primeira vez, o Datafolha inclui Josué Alencar na lista de candidatos.

O custo da pesquisa para o jornal é de R$ 398 mil. Serão 2828 entrevistados em todo o Brasil.

Sem compromisso contra as ‘fake news’

Luiz Fux, que está presidindo o TSE, convocou hoje representantes dos partidos brasileiros para assinar um termo de compromisso contra a disseminação de “fake news”, notícias falsas.

A ideia, explica o BuzzFeed, era que as legendas se comprometessem a não espalhar conteúdos falsos ou usar robôs para disseminar conteúdos em redes sociais.

O Brasil tem 35 legendas registradas no TSE. Só dez compareceram à assinatura do termo: DEM, PC do B, PSDB, PDT, PRB, PSC, PSD, PSL, PSOL e Rede.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214                                                                                                                               

E-mail: [email protected]

Este post tem um comentário

  1. Soninha Carneiro

    Para combater as fake news é necessária a aprovação do projeto do Senador Eduardo Braga (MDB-AM) que criminaliza o uso de robôs nas redes sociais para manipular as informações e substituir pessoas. Trata-se do PLS 413/17 que está em exame na COMISSÃO de Constituição e Justiça do Senado. Sem ele, vai ficar difícil.

Deixe um comentário