Você está visualizando atualmente Opinião | Manifestações pacíficas contra eleição de Lula tomam as ruas de grandes cidades

Opinião | Manifestações pacíficas contra eleição de Lula tomam as ruas de grandes cidades

Opinião | Manifestações pacíficas contra eleição de Lula tomam as ruas de grandes cidades

Em Manaus, 30 mil pessoas estiveram na manifestação em frente ao Comando Militar da Amazônia

Lulista atropela 16 manifestantes, entre elas crianças, no interior de São Paulo

Em vídeo, Bolsonaro pede para que manifestantes desobstruam rodovias

Alckmin vai coordenar equipe de transição do governo Lula

Presidente da Aleam, deputado Roberto Cidade, reforça transparência no processo de tramitação da LDO 2023

Sinésio declara apoio à reeleição de Cidade na presidência da Aleam

Manifestações

Eleitores do presidente Jair Bolsonaro saíram às ruas nesta quarta-feira (2), feriado de Finados, para protestar contra a eleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Foram registrados atos pelo menos em Manaus, Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Recife, Fortaleza, Natal, Belém, Porto Alegre, Florianópolis e Curitiba.

Em algumas capitais e outras cidades no interior, os manifestantes se juntaram nesta terça perto de quartéis e instalações militares e, vestidos de verde e amarelo, pediram “intervenção federal” ou alguma outra solução que apure a lisura do processo eleitoral, com faixas e brados.

Comando Militar da Amazônia

Em Manaus, a manifestação ocorreu em frente ao Comando Militar da Amazônia (CMA), localizado na avenida Coronel Teixeira, no bairro Ponta Negra.

Pelo menos 30 mil pessoas estiveram na manifestação.

Intervenção

Além de intervenção militar, manifestantes ainda acusam fraude na contagem de votos, feita pelas urnas eletrônicas, pedindo auditoria das Forças Armadas.

Também apontam desequilíbrio na disputa, pela suposta supressão de inserções de rádio da propaganda de Bolsonaro no Norte e Nordeste – acusação feita pela campanha do presidente, mas arquivada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

“Selva”

Na manifestação esteve presente o ex-candidato ao Senado, Coronel Menezes (PL). Em suas redes sociais ele disse: “Que dia para não ser esquecido! Viva o Brasil! Viva Manaus. Selva!”.

Romero Reis, ex-candidato a prefeitura de Manaus, em 2020, também esteve presente na Ponta Negra.

“Supremo é povo”, disse o empresário, nas suas redes sociais.

Bloqueios

Além das manifestações, caminhoneiros e motoristas ocuparam rodovias desde domingo.

Apesar de decisões da Justiça Federal e do Supremo Tribunal Federal (STF) com ordens para as polícias liberarem o trânsito, a Polícia Rodoviária Federal (PRF), acionada para dispersar o movimento, registrou, até às 21h desta quarta-feira (2), 126 interdições ou bloqueios em 14 estados: Acre, Amazonas, Espírito Santo, Goiás, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Pará, Paraná, Rondônia, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

Até a noite desta quarta-feira, a PRF já havia desmobilizado 732 manifestações.

Atropelamento

Ainda sobre as manifestações, duas crianças estão entre os atingidos após um motorista da turma que faz o L atropelar o grupo de manifestantes que participava de um bloqueio na rodovia Washington Luís, em Mirassol (SP).

De acordo com a prefeitura da cidade, o atropelamento ocorreu por volta das 16h desta quarta-feira (2), e o carro avançou sobre as pessoas que estavam no meio da pista e atropelou 16 pessoas. Duas estão em estado grave.

Bolsonaro

Em vídeo publicado no início da noite desta quarta-feira (2) nas suas redes sociais, o presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu para que seus apoiadores desobstruam as rodovias.

Bolsonaro disse no vídeo que está “tão chateado e tão triste” quanto seus apoiadores, mas que era necessário “ter a cabeça no lugar”.

Respeito a CF

“Os protestos, as manifestações são muito bem-vindas. Fazem parte do jogo democrático, e ao longo dos anos, muito disso foi feito pelo Brasil. Mas tem algo que não é legal: o fechamento de rodovias pelo Brasil prejudica o direito de ir e vir das pessoas. Tá lá na nossa Constituição. E nós sempre estivemos dentro dessas quatro linhas. Tem que respeitar o direito de outras pessoas que estão se movimentando, além das manifestações causarem prejuízo à nossa economia”, disse o presidente.

O presidente finalizou a mensagem apontando que trabalhou “para resgatar o sentimento patriótico, a família, a liberdade, não vamos jogar isso fora”.

Direita

Dessas eleições pode-se dizer que os conservadores, apesar do resultado das urnas e de todo o estranho processo eleitoral para a presidência da República, teve a maior votação de sua história e sai gigante das urnas.

Fez uma ampla bancada de deputados e senadores, governadores, e formaram várias lideranças políticas e técnicas pelos quatro anos que passaram.

Preparem-se para mais quatro anos de Bolsonaro, porque ele já é candidatíssimo à presidência em 2026.

Esquerda

O consórcio que assume o poder no país a partir de agora é formado pela esquerda, com Lula e sua turma, com nomes do alto escalão do poder judiciário, a grande mídia e artistas ávidos pelo retorno da Lei Rouanet. Infelizmente ao que tudo indica essa equipe vai voltar a ignorar e colocar em prática seu plano de poder e de interesses nada republicanos.

Já vimos esse filme diversas vezes, mas nunca antes sob uma justificativa de defender a democracia, é claro.

Da comemoração ficaram vários sinais: festas com tiros de fuzis pelo crime organizado, bandeiras do Che Guevara, carros em chamas, arrastões, furtos, invasões, atropelamentos, entre outras aberrações e atrocidades. Tudo em nome do “amor e do bem.”

Para completar, a cereja do bolo, foi anunciada por um ministro argentino, a criação de um banco comum, uma moeda única, o Peso-Real, para ver se dá conta de cobrir os conhecidos rombos da Economia dos hermanos com o dinheiro dos brasileiros.

Governo de transição

Quatro dias após o fim das eleições, a transição para o governo Lula deve começar oficialmente nesta quinta-feira.

Às 14h, Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil de Bolsonaro, deverá receber Geraldo Alckmin, Gleisi Hoffmann e Aloizio Mercadante no Palácio do Planalto para o início das tratativas.

O vice eleito foi escolhido para comandar a equipe.

Entre os principais desafios de Alckmin na transição estão: encontrar uma solução para o orçamento secreto e buscar espaço para o cumprimento das promessas de campanha.

Orçamento

Começou a tramitar na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), referente ao exercício de 2023, enviado pelo Governo do Amazonas, no último dia 31 de outubro.

O PL prevê orçamento de mais de R$ 26 bilhões para o exercício 2023, sendo R$ 2 milhões a mais do que em 2022.

De acordo com o presidente da Casa, deputado estadual Roberto Cidade (UB), a LDO chegou no prazo devido e começa a tramitar nas comissões necessárias para que esteja apta no prazo para receber as emendas que os deputados queiram apresentar.

Reeleição

Falando em Roberto Cidade, ele recebeu o apoio do deputado estadual Sinésio Campos (PT), que gravou um vídeo declarando apoio a sua reeleição para à presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

Cidade é favorito para recondução ao cargo.

“Com a experiência dessa Casa, eu tenho certeza que o melhor nome para continuar presidindo essa casa é o Roberto Cidade”, disse Sinésio.

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário