Opinião | Família Pinheiro mostra força e Keitton é eleito prefeito de Coari

Opinião | Família Pinheiro mostra força e Keitton é eleito prefeito de Coari

Opinião | Família Pinheiro mostra força e Keitton é eleito prefeito de Coari

Keitton Pinheiro teve 53,2% contra 35,0% dos votos de Robson Tiradentes

Êxito nas urnas fortalece projeto político da família Pinheiro

Alfredo Nascimento enquadra Marcelo Ramos e diz que vice-presidência da Câmara é do PL
Parlamentar diz que não tem apego a cargos

Marcelo Ramos flerta com PDT e PSB

Em artigo, Coronel Menezes enaltece filiação de Bolsonaro ao Partido Liberal (PL) e detona Braga, Aziz e Ramos

Pesquisa de Senado e Câmara Federal do Amazonas será publicada nesta terça-feira

Legado mantido

Candidato da família Pinheiro, que comanda há mais de uma década Coari, Keitton Pinheiro (PP), saiu vitorioso do pleito suplementar do município, realizado ontem (5) e continuará administrando um orçamento de cerca de R$ 200 milhões por ano, o segundo maior do estado atrás somente de Manaus.

Anúncios

Keitton teve 53,24% dos votos contra 35,00% de Robson Tiradentes (PSC), 11,31% de Zé Henrique (PL) e 0,44% de Mil Mitoso (PSB) e mantém, desta forma, o legado da família que comanda a Terra do Petróleo e do Gás há pelo menos 15 anos.

“É com trabalho, fazendo a diferença na vida do cidadão, que conquistamos o respeito e apoio dos coarienses para alcançar esta vitória”, escreveu nas redes sociais a deputada estadual Dra. Mayara Pinheiro (PP) – prima de Keitton – logo após o término da apuração.

A eleição

O pleito em Coari foi determinado pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) em dezembro de 2020, após a corte cassar o mandato de Adail Filho (PP), reeleito um mês antes, por entender que ele completaria o terceiro mandato seguido de um mesmo grupo familiar.

A nova eleição, no entanto, só foi confirmada quando em outubro deste ano, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidiu manter a decisão dos desembargadores.

Clima quente

Por conta da rivalidade acirrada entre as famílias Pinheiro e Tiradentes, o clima durante a campanha ficou quente na cidade, com troca de acusações e insultos de ambos os lados e ameaças de morte.

Um jovem militante do partido de Keitton foi baleado após um comício e suscitou versões de ambos os lados. A família Pinheiro acusou os adversários e Tiradentes disse se tratar de um assalto comum na cidade.

Passado obscuro

Coari tem um passado sombrio quando o assunto é eleição. Além de sucessivos afastamentos de prefeitos da cidade, há o caso do ex-mandatário do município, Arnaldo Mitoso, que foi preso em 2016 após ser condenado por homicídio pelo Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

Ele é acusado de assassinar, em 1995, o então prefeito do município, Odair Carlos Geraldo, com dois tiros. Naquela ocasião, Mitoso era vereador.

Projeto fortalecido

O êxito nas urnas fortalece ainda mais o projeto da família Pinheiro para os próximos anos. O ex-prefeito Adail Filho (PP) deve confirmar sua candidatura a deputado federal em 2022, bem como a irmã dele, Dra. Mayara Pinheiro (PP), será candidata à reeleição de deputada estadual.

Já o patriarca Adail Pinheiro informou que em 2026, quando voltará a estar elegível, será candidato a prefeito do município, que em tese nunca deixou de comandar.

Cenários

Adail Filho certamente chegará ao pleito de 2022 com chances de vitória. Não ficará no PP, do deputado federal Átila Lins, primeiro porque é uma ameaça ao próprio Átila, segundo que o partido está no arco de aliança do governador Wilson Lima.

A tendência é Adail migrar para um partido comandado por Amazonino ou Eduardo Braga.

Mayara, ao que tudo indica, tem sua reeleição garantida à Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam). No entanto, a parlamentar tem ciência de que dificilmente repetirá o feito de 2018, quando foi a mais votada do pleito com mais de 50 mil votos.

Nota

Em nota, Robson Tiradentes Jr e seu vice Coronel Ayrton Norte agradeceram os votos recebidos de seus apoiadores, que segundo eles foram incansáveis durante a breve campanha desta eleição suplementar.

“Seguimos acreditando na democracia e que somente políticas públicas sérias, baseadas nas necessidades do povo, podem proporcionar dignidade e a certeza de dias melhores.”, afirmaram em um trecho da nota.

Termômetro

A eleição de Coari foi um termômetro do que está por vir em 2022? A eleição terminou ontem, mas ainda vai repercutir nos bastidores da política por um tempo.

Foi um pleito para se avaliar com cautela e que surpreendeu muita gente, principalmente se considerarmos os dados de duas pesquisas eleitorais. A DMP/Tiradentes dava vitória a Robson Tiradentes e a Pontual, que apontava uma vitória de Keitton, assinalava uma diferença bem menor e não de 18 pontos percentuais.

A 10 meses das eleições de 2022, duas coisas são certas: a primeira é que ainda tem muita água pra rolar e a segunda é que o pleito de Coari deve servir de calibragem para uns e ajuste de rota para outros políticos.

Marcelo pressionado

Em situação desconfortável no Partido Liberal desde a filiação de Jair Bolsonaro, o deputado federal Marcelo Ramos, mesmo gozando da simpatia do presidente nacional da sigla, Valdemar Costa Neto, tem sido pressionado pelo mandatário da legenda no Amazonas, Alfredo Nascimento, a dar adeus.

Após ter afirmado que Ramos não tem clima de permanecer porque é crítico do presidente da República, em entrevista recente a um veículo de comunicação local, Alfredo fez críticas mais acintosas a Marcelo e lembrou que a vice-presidência da Câmara dos Deputados pertence ao partido.

Até logo

“Marcelo está lá (como vice-presidente da Câmara) porque Bolsonaro ajudou. O grupo, que compõem os partidos que apoiam Bolsonaro, votou para ter presidente e vice-presidente. Mesmo assim ele se insurgiu. É um direito que ele tem. Que ele tenha boa sorte”, afirmou Alfredo.

Desapego

Questionado pelo Direto ao Ponto, Ramos disse que só trata do assunto com o presidente nacional do PL e que não troca suas convicções por cargos.

“Eu não estou preocupado com isso, não troco minhas convicções por cargos e nem tenho tempo porque estou cuidando de coisas mais importantes e que mudam a vida das pessoas. Quando tiver que tratar disso, tratarei com o presidente nacional do PL”, afirmou.

Volta às origens

No final de semana, Marcelo já visitou duas de suas possíveis casas novas. Ambos partidos de esquerda.

O PDT de Hissa Abrahão, onde teve duas conversas, uma com a pré-candidata ao Governo do Amazonas, defensora pública Carol Braz, e a segunda com ex-secretário de Educação e pré-candidato ao Senado, Luiz Castro.

Marcelo também esteve no final de semana com Serafim Corrêa, que comanda o PSB no Amazonas, partido que Ramos já foi filiado.

‘Bolsonaro no PL’

Em artigo publicado no Direto ao Ponto, o ex-superintendente da Suframa, Coronel Alfredo Menezes, fala sobre a oficialização da filiação do Presidente Bolsonaro no Partido Liberal.

Para Menezes, o PL vai proporcionar ao presidente uma estrutura partidária organizada e trabalhando a seu favor nos mais de 5.800 municípios do país.

O Coronel ainda foi categórico ao afirmar que “os senadores Eduardo Braga e Omar Aziz, ‘O Pai da Maus Caminhos’, e o deputado esquerdista Marcelo Ramos, certamente não estarão caminhando conosco em 2022.”

Pesquisa Direto ao Ponto

Por conta eleição suplementar de Coari, o Direto ao Ponto Pesquisas adiou para esta terça-feira (7), a divulgação da pesquisa de intenção de votos para Senado e Câmara Federal.

Agradecemos a compreensão dos nossos leitores e pedimos desculpas por termos informado que a pesquisa seria divulgada nesta segunda-feira (6).

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Rebeca a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário