You are currently viewing Opinião | Farra do Cotão: Silas Câmara foi o deputado mais gastador do Amazonas

Opinião | Farra do Cotão: Silas Câmara foi o deputado mais gastador do Amazonas

Opinião | Farra do Cotão: Silas Câmara foi o deputado mais gastador do Amazonas

Líder da bancada evangélica torrou R$510 mil em verba indenizatória

Delegado Pablo foi o deputado mais econômico

José Ricardo foi o mais gastador no pagamento de salário dos assessores

Passagens aéreas e fretamento de aeronaves consumiram R$ 1,4 milhão de dinheiro público

Deputados federais do Amazonas gastaram quase R$ 9 mil por dia de Cotão em 2021

Em artigo, Arthur Virgílio afirma: ‘Sem soluções ambientais, Brasil se condena à miséria’

Vereador do PT lidera invasão de igreja católica durante missa

‘Lockdowns tiveram pouco ou nenhum efeito na mortalidade por Covid’, diz estudo da Johns Hopkins

Silas gastão

O deputado que mais gastou o Cotão no ano passado foi Silas Câmara (Republicanos). O parlamentar, que é líder da bancada evangélica, consumiu um total de R$ 510.239,35, bem mais que os demais que não chegaram na casa dos R$ 500 mil.

Anúncios

Já pensando no pleito deste ano, onde tentará sua sétima reeleição, Silas investiu pesado na divulgação do seu mandato e do valor total da Ceap destinou R$294.452,66 para este fim.

Além de mais gastão, Silas também foi um dos poucos a fazer uso do auxílio moradia de R$ 29.771,00. Além dele, somente Átila Lins (PP) fez uso deste benefício.

Os demais moram em apartamentos funcionais cedidos pela Câmara dos Deputados.

Outras despesas

Além do uso do Cotão, Silas gastou R$1.311.288,80 com o pagamento do salário de 31 servidores lotados em seu gabinete.

Atuação tímida

Se os gastos chamam atenção, a atuação de Silas, ao menos em números, não é tão chamativa. Durante todo o ano passado, o deputado fez apenas 19 discursos em plenário, apresentou 98 proposituras e relatou quatro projetos.

Mais econômico

O mais econômico entre os parlamentares da bancada amazonense na Câmara foi o Delegado Pablo (PSL). Ele fez uso de R$238.096,63 do Cotão nos 12 meses do ano passado.

O valor é menos da metade do gasto por Silas Câmara.

O bolsonarista pagou aos seus 28 servidores R$ 1.193.120,82 de salário de janeiro a dezembro.

Pablo apresentou 131 proposituras, relatou 30 projetos e discursou 18 vezes no plenário.

Mão e boca aberta

O deputado José Ricardo (PT) ficou na cola de Silas no volume de gastos. Ele foi o segundo no uso do Cotão com R$482.335,79 investido e o primeiro colocado no quesito pagamento de salário.

De janeiro a dezembro, o petista pagou R$ 1.336.884,23 aos seus 28 assessores.

O parlamentar apresentou 493 proposituras, relatou 23 projetos e fez 117 discursos, sendo o deputado amazonense que mais fez uso da tribuna.

Mais atuante

O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos — recém-filiado ao PSD, mas que esteve no PL durante 2021 — foi o terceiro que mais gastou com a Ceap: R$482.173,28. Além disso, pagou R$1.317.656,74 de salários para seus 34 assessores.

Por outro lado, foi disparado o deputado mais atuante. Foram 1.476 proposituras apresentadas, 1.385 relatas e 113 discursos feitos.

Ano da despedida

Já o deputado Bosco Saraiva (Solidariedade) gastou R$ 481.931,06 de Cotão e R$ 1.217,576,70 com o pagamento de seus 26 servidores.

O parlamentar que se despede neste ano da Câmara Federal – já que não será candidato à reeleição – apresentou 37 proposituras e relatou quatro projetos. Ele fez apenas três discursos na tribuna em 2021.

Capitão efetivo

Um dos mais efetivos parlamentares em 2021 foi Capitão Alberto Neto (Republicanos). Ele apresentou 372 proposituras e relatou 21 projetos. O parlamentar, que é vice-líder do Governo Bolsonaro na Câmara, usou tribuna 83 vezes para ser pronunciar.

Alberto Neto fez uso de R$ 466.734,73 da Ceap e investiu R$ 1.175,756,12 no pagamento do salário de 33 assessores.

Ponte aérea

Dos R$ 3.199.977,16 gastos pelos deputados com o Cotão, R$ 1.433.168 foram destinados para a compra de passagens aéreas e fretamento de aeronaves. O valor representa 44% de todo o gasto com a Cota.

Esse investimento em ano pré-eleitoral normalmente é elevado, já que, os parlamentares passam a intensificar as visitas em suas bases eleitorais no interior.

Os viajantes

Nesse quesito, os que mais gastaram foram os deputados Sidney Leite (PSD) e Átila Lins (PP). Leite tem forte atuação no município de Maués, onde inclusive já foi prefeito, e Átila é um parlamentar interiorano, com pouca atuação em Manaus.

O político do PSD gastou R$ 478.350,72 de Ceap e R$ 240.750 foram destinados para fazer viagens. Ele apresentou 76 proposituras, relatou 16 projetos e fez 50 discursos na tribuna.

Fala pouco e viaja muito

Átila Lins fez apenas dois discursos em todo o ano de 2021 e foi o parlamentar que menos falou no ano passado. Por outro lado, foi um viajante assíduo ao interior.

Tanto que dos R$439.578,75 de Ceap utilizados por ele, R$ 229.144,88 foram para o fretamento de aeronaves e compra de passagens.

Lins apresentou 30 proposituras e relatou sete projetos.

R$ 3 milhões no ano

Os oito deputados federais do Amazonas usaram juntos R$ 3.199.977,16 da Cota para o Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap), conhecida popularmente como Cotão, em 2021.

O valor equivale a um gasto diário de quase R$ 9 mil e daria, por exemplo, para pagar uma parcela do Auxílio Emergencial no valor de R$ 400 para quase oito mil pessoas.

Mensalmente, os deputados recebem R$ 43.570,12 para gastarem com passagens aéreas, fretamento de aeronaves, divulgação do trabalho parlamentar, entre outras despesas.

Alerta

Em artigo publicado no Direto ao Ponto, o ex-senador e ex-prefeito Arthur Virgílio Neto, alertou a urgente e necessária guinada na política ambiental do Brasil e na sua política de desenvolvimento econômico para a região Amazônica, com foco em aproveitamento das potencialidades naturais de forma sustentável.

“Se o Brasil não ficar esperto nessa questão, além de perder o bonde da história, perder seu maior patrimônio e trunfo para o futuro, estará condenado também a exportação do agronegócio.”, afirmou o ex-senador, reiterando sua preocupação com as possíveis restrições e sanções que o Brasil pode sofrer com a política do desmatamento zero que pode ser adotada pela Europa.

Invasão

O vereador Renato Freitas, do PT, liderou uma invasão da Igreja Nossa Senhora do Rosário, em Curitiba, neste sábado (5), durante uma missa, interrompendo a celebração.

Dezenas de pessoas, com bandeiras do PT e do PCdoB, entraram à força no templo e começaram a gritar palavras como “racistas” e “fascistas”.

Sem atender aos pedidos do padre que queria continuar a missa, Freitas fez um discurso dizendo, no meio da igreja, que os católicos tinham relação com a conivência das pessoas com fé católica a autoridades “fascistas”.

Lockdown

Estamos no terceiro ano da pandemia de Covid-19. Do uso obrigatório de máscaras aos passaportes de vacinação, as restrições governamentais às nossas liberdades permanecem em vigor. Entretanto, pelo menos nos EUA, a era dos lockdowns que limitavam os americanos às suas casas para “retardar a propagação” acabou.

Uma nova meta-análise de estudos mostra que toda a dor e sacrifício que sofremos com essas imposições não teve muito resultado – apesar de seus enormes custos.

Pouco ou nenhum efeito

A nova revisão de pesquisa foi liderada pelo economista Steve Hanke e publicada pela Universidade Johns Hopkins, uma das mais conceituadas do mundo. Foram avaliados 24 estudos relevantes examinando o rigor do lockdown, o impacto das campanhas para que o povo não saísse de casa e a eficácia de restrições específicas.

A meta-análise conclui que “os lockdowns tiveram pouco ou nenhum efeito na mortalidade por Covid-19, reduzindo a mortalidade por Covid-19 em apenas 0,2%, em média”.

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário