Opinião | Manaus vive onda de ataques e incêndios após PM matar liderança do tráfico

Opinião | Manaus vive onda de ataques e incêndios após PM matar liderança do tráfico

Opinião | Manaus vive onda de ataques e incêndios após PM matar liderança do tráfico

Wilson Lima determina reforço no policiamento e forças de segurança

Secretário de Segurança Pública do AM é ameaçado de morte

David Almeida pede intervenção federal a Bolsonaro

Capitão Alberto Neto deixa terno de lado e veste a farda para ajudar a Polícia

Órgãos públicos param atividades nesta segunda

Manaus virando Rio de Janeiro

Imagens cinematográficas foram presenciadas nas últimas 48 horas em Manaus. Cenas que até então só eram vistas em filmes e nos noticiários acontecendo no Rio de Janeiro, ao que parece, já se tornou uma realidade por aqui.

Anúncios

Em retaliação à morte de Ercik Batista Costa, 30, conhecido como Dadinho, membros do Comando Vermelho (CV) – uma das facções criminosas que comandam o tráfico no Amazonas – saíram às ruas da capital ateando fogo em ônibus, agências bancárias, órgãos públicos e na Bola das Letras, recém-revitalizada pela Prefeitura.

Até delegacias e viaturas de polícia foram alvos da ousadia dos traficantes.

Vídeos dos marginais promovendo os atos criminosos circularam nas redes sociais. Em todos eles, o recado era o mesmo: vingar a morte de Dadinho.

Ameaças

O principal alvo da ira dos traficantes foi o secretário de Segurança Louismar Bonates. Nos vídeos que viralizaram na internet, em pelo menos dois os bandidos ameaçaram o chefe da pasta.

Polícia nas ruas

Ontem (6), o governador Wilson Lima se reuniu com o comando das policias Civil e Militar e da Secretaria de Segurança.

A determinação foi reforçar o policiamento em Manaus e Região Metropolitana. Até o fechamento desta edição, 14 pessoas envolvidas nos atos haviam sido presas.

“Isso é uma reação do tráfico de drogas e a todas as ações de enfrentamento que nós estamos fazendo a essas atividades criminosas.”, afirmou Wilson Lima em coletiva de imprensa.

Ainda em suas redes sociais o governador afirmou que estava “em tratativa direta com a Casa Civil da Presidência da República, Ministério da Justiça e Comando Militar da Amazônia. Todos estão prontos para atuarmos em conjunto.”

Intervenção federal

O prefeito David Almeida (Avante), esteve na Bola das Letras logo após o local ser destruído pelo fogo. Em entrevista à imprensa, informou que ligou para o governador e para o comandante do Exército no Amazonas e pediu a intervenção das Forças Armadas na segurança local por meio de uma operação da Garantia da Lei e da Ordem (GLO).

Armar a guarda municipal

Visivelmente irritado com a ousadia dos criminosos, o prefeito disse que irá armar a Guarda Municipal de Manaus.

“Vamos armar a nossa Guarda Municipal. Só não armamos ainda por conta de decretos que impedem a criação de novas estruturas, mas eu vou encontrar o caminho necessário porque se eu estou com minha Guarda Municipal armada aqui isso não teria acontecido. Meus guardas estavam aqui”, afirmou.

Vestiu a farda

A ação ostensiva da polícia militar nas ruas teve o reforço do deputado federal Capitão Alberto Neto, que deixou o terno de lado e vestiu a farda da Polícia para ajudar os colegas de tropa.

Em contato com o Direto ao Ponto na noite de ontem (6), o parlamentar disse que estava na Compensa em busca de prender traficantes do Comando Vermelho e que chegou a trocar tiros com os marginais.

Transferência e Força Nacional

O parlamentar, que é vice-líder do governo Bolsonaro, pediu ao presidente que os líderes de facções que estão em prisões do Amazonas sejam transferidos para presídios federais e o envio do Exército para reforçar o policiamento no Estado.

Lockdown do terror

Órgãos públicos de todos os poderes decidiram paralisar as atividades presenciais nesta segunda (7), em decorrência da ameaça de novos ataques criminosos e da decisão do Sinetram em manter os ônibus nas garagens pela manhã.

Em nota, governo do Estado, Prefeitura de Manaus, Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Câmara Municipal de Manaus (CMM) e Tribunal de Contas do Estado (TCE-AM) informaram que o atendimento presencial à população estará suspenso e foi recomendado o trabalho remoto.

A sociedade espera uma ação rápida e enérgica para combater o crime organizado no Amazonas.

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Rebeca a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário