Você está visualizando atualmente Opinião | David Almeida vai ou não para o PL?

Opinião | David Almeida vai ou não para o PL?

Opinião | David Almeida vai ou não para o PL?

Por enquanto, muita especulação e nada de concreto

Fato é que David, por enquanto, continua no Avante

Bolsonaro quer Capitão Alberto Neto como prefeito de Manaus

Alfredo Nascimento quer reeleição de David Almeida

Valdemar Costa Neto não cumpre a palavra e gera crise dentro do PL

Como ficam Lula, Wilson Lima, Omar Aziz e Eduardo Braga nessa história

STF e maconha: Toffoli pede vista, e julgamento da descriminalização do porte é paralisado pela 3ª vez

Lula sofre derrotas em série e vê bolsonaristas da oposição ocuparem espaços-chave na Câmara dos Deputados

Fim do prazo

Ontem (6), encerrou-se o prazo estipulado pelo presidente nacional do PL, Valdemar Costa Neto, para a filiação do prefeito de Manaus, David Almeida, ao partido.

Durante esse período, houve uma variedade de informações contraditórias sobre a possível filiação de David, com algumas fontes afirmando e outras negando o ingresso do prefeito no PL.

Até o momento, a situação permanece indefinida, e essa incerteza tem gerado diversas repercussões e especulações no cenário político do Amazonas.

Possível filiação

Hoje (7), o jornalista Jefferson Coronel divulgou em primeira mão que David havia assinado a ficha de filiação; no entanto, horas depois, ele voltou atrás e disse que o prefeito não havia assinado a ficha, mas que sua fonte garantia que David fechou um acordo com Valdemar Costa Neto, o presidente do PL Amazonas, Alfredo Nascimento, o presidente de honra do PL, Jair Bolsonaro, e o presidente do PL Manaus, Capitão Alberto Neto.

Por enquanto, apenas David Almeida se manifestou sobre o assunto.

Nota oficial

Em nota oficial, ao contrário do que tem sido veiculado nesta quinta-feira (7), o prefeito de Manaus esclarece que não assinou ficha de filiação ao PL.

David Almeida continua no Avante, partido pelo qual ele concorreu e venceu as eleições em 2020.

Em recentes entrevistas à imprensa, David Almeida tem dito que as questões partidárias serão decididas no momento oportuno.

Bolsonaro

Nos bastidores, circula a informação de que Bolsonaro rechaça a candidatura de David Almeida.

Isso se deve ao fato de que David apoiou a reeleição do senador Omar Aziz (PSD) no ano passado, fez críticas direitas ao presidente Bolsonaro e chegou a afirmar que solicitaria aos deputados estaduais do Avante a concessão do Título de Cidadão do Amazonas ao ministro do STF, Alexandre de Moraes.

Por esses e outros motivos, Bolsonaro não cede em sua posição e quer Capitão Alberto Neto como candidato do PL para a prefeitura de Manaus.

Lulistas

David, que desde o ano passado construiu uma aliança com os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga (MDB), interlocutores de Lula no Amazonas e peças chaves para o prefeito conseguir recursos federais com o governo Lula, segundo fontes de bastidores, tem apalavrado com os dois que não iria para o PL.

Isso lhe garantiria recursos e muito transito no judiciário.

Tempo

Pelo que apurou o Direto ao Ponto, Alfredo Nascimento negociou com Valdemar e conseguiu uma prorrogação de mais dez dias para que David acerte os últimos detalhes antes de se filiar ao PL.

Esse possível acordo afastaria Capitão Alberto Neto e Bolsonaro da eleição em Manaus.

Portanto, muita coisa pode acontecer nos próximos dez dias, inclusive nada.

Prazo final

Vale ressaltar que, segundo a legislação, a definição partidária determina que os candidatos escolham o partido até o dia seis de abril.

Com toda essa indefinição, quem mais se beneficia são David Almeida e Amom Mandel (Cidadania), que lideram as intenções de voto em todas as pesquisas eleitorais desde o ano passado, alternando o primeiro lugar dependendo do Instituto de Pesquisa.

Inclusive, informações de bastidores apontam que Amom é o candidato que David deseja enfrentar no segundo turno.

Partido

O fato é que, até o momento, David permanece no Avante, e, na realidade, nada está definitivamente decidido em relação ao partido pelo qual o prefeito concorrerá à reeleição.

Ontem, ele esteve em Brasília para conversar com Luis Tibe, presidente nacional do Avante. Além disso, manteve diálogos com representantes do PL e de outros cinco partidos, entre eles o Republicanos e o Podemos.

A estratégia de David é clara: definir no último momento.

O tempo joga a seu favor.

Pegou mal

Já para Valdemar Costa Neto, toda essa indefinição tem gerado constrangimento e instabilidade dentro do PL, envolvendo Bolsonaro, senadores e deputados federais por todo o Brasil.

Se ele não honra a palavra dada ao deputado federal Capitão Alberto Neto e ao presidente Bolsonaro, a quem ele pretende cumprir?

Em Brasília, sempre se afirmou que Valdemar é um homem e político de palavra, o que sempre foi um trunfo em suas negociações políticas.

Será que essa postura mudou? Vale a pena arriscar a integridade do partido por conta de Alfredo Nascimento?

2026 está logo ali, e Bolsonaro e os eleitores da direita têm boa memória.

2026

Outro ponto amplamente discutido na reunião de líderes do PL foi a estratégia para 2026, visando eleger o maior número possível de deputados federais e senadores aliados de Bolsonaro e comprometidos com as pautas do partido, inclusive para impor limites ao Supremo Tribunal Federal.

O próximo prefeito de Manaus, teoricamente, com o empenho da máquina municipal, combinada com o poder de transferência de voto do ex-presidente Bolsonaro, teria a capacidade de influenciar na eleição e eleger de dois a três deputados federais e, pelo menos, um senador pelo Amazonas.

Daí a relevância de um prefeito alinhado com os planos da direita.

Reação

Como toda ação tem uma reação, surge a dúvida: Como ficam o presidente Lula, o governador Wilson Lima e os senadores Omar Aziz e Eduardo Braga nessa história?

Irão assistir passivamente a toda essa movimentação ou planejam interferir?

Ou será que tudo já está previamente combinado?

As respostas para essas perguntas serão reveladas em breve, e você pode acompanhar toda essa movimentação aqui no Direto ao Ponto.

Maconha e o STF

Com o placar em 5 a 3 para não considerar crime a posse de maconha para uso pessoal, o ministro do STF Dias Toffoli pediu vista e suspendeu novamente o julgamento sobre o tema na Corte.

Contra

A análise foi retomada com o voto de André Mendonça, que foi contra a descriminalização da droga. Na sequência, Nunes Marques também votou contra – eles se juntaram a Cristiano Zanin, que já havia feito sua argumentação em 2023.

A favor

Até agora, votaram pela descriminalização Gilmar Mendes, Edson Fachin, Rosa Weber, Luis Roberto Barroso e Alexandre de Moraes.

Indecisos

Além de Dias Toffoli, Cármen Lúcia e Luiz Fux ainda precisam julgar.

Vitória Bolsonarista

A deputada bolsonarista Caroline de Toni (PL-SC) foi eleita nova presidente da Comissão de Constituição de Justiça e de Cidadania da Câmara, considerada a mais importante da Casa.

Com a maior bancada, o partido de Bolsonaro teve prioridade para escolher quem presidirá a comissão e não cedeu durante as negociações de líderes, em derrota para o governo Lula.

A comissão de Educação também terá o comando de um bolsonarista, o deputado Nikolas Ferreira (PL-MG), além de outras três comissões permanentes.

Já o PT ficou com a comissão da Saúde.

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaoponto.am

TikTok: @diretoaoponto.am

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Deixe um comentário