Você está visualizando atualmente Opinião | Amazonino lança pré-candidatura ao Governo do Amazonas

Opinião | Amazonino lança pré-candidatura ao Governo do Amazonas

Opinião | Amazonino lança pré-candidatura ao Governo do Amazonas

Ex-governador pede voto para Arthur e critica Omar Aziz e Coronel Menezes

Amazonino afirma que não fará palanque para Bolsonaro, Lula ou Dória no Amazonas

Arthur Neto: “Comigo no Senado, nenhum presidente teria feito um decreto que prejudicasse a ZFM”

Diretório estadual do PSDB está dividido entre candidatura de Plínio e Amazonino

Ex-governador José Melo é destaque no palanque de Amazonino

Pros deve compor a coligação com PSDB-Cidadania

Lula lança pré-candidatura à presidência da República

Zé Ricardo e Vanessa Grazziotin marcam presença

Oficial

Amazonino Mendes (Cidadania) lançou, no final de semana, sua pré-candidatura oficial ao Governo do Amazonas pela federação formada entre PSDB e Cidadania.

O evento, que aconteceu numa casa de shows no Parque das Laranjeiras, e contou com a presença do presidente nacional do Cidadania, Roberto Freire, e do deputado federal Luiz Carlos, do Amapá, que representou o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo.

Além desses nomes, reuniu também políticos com e sem mandato e mostrou um alinhamento entre Mendes e o presidente estadual tucano, Arthur Neto.

Arthur, inclusive, é o principal responsável pela pré-candidatura de Amazonino, que sofreu e ainda sofre resistência interna de parte do diretório estadual do PSDB, sob influência do senador Plínio Valério.

Rio Negro e Solimões

Em seu discurso, Amazonino lembrou que em diversas ocasiões foi opositor de Arthur Virgílio, mas destacou que a união entre eles em algum momento seria inevitável.

Mendes alcunhou o encontro entre eles de “Rio Negro e Solimões”.

“Essa união era inevitável, era uma questão de tempo. As nossas diferenças não são maiores que esse sentimento de amor pelo Amazonas. Como digo, é o encontro do rio Negro com o rio Solimões. Sou devedor do Amazonas, é minha obrigação devolver a liberdade aos amazonenses”, disse.

Alfinetada

O ex-governador também pediu voto para o pré-candidato ao Senado Federal, Arthur Neto (PSDB), afirmando que ele é a garantia de respeitabilidade no Congresso Nacional.

“É ele que vai impor respeito a este Amazonas que está em frangalhos. Com Arthur na tribuna do Senado, o Amazonas vai acelerar”, disse.

Ao fim de seu discurso, Amazonino indagou os eleitores presentes, que alfinetou — sem citar nomes — os adversários de Arthur, o senador Omar Aziz (PSD) e Coronel Menezes (PL).

“Vocês querem um doido e irresponsável ou puxa saco de presidente no Senado?”, finalizou Amazonino.

Resgate

Já Arthur Neto afirmou que os eleitores amazonenses aceitaram a união entre ele e Amazonino e que o ex-governador e ex-prefeito de Manaus reúnem condições de resgatar e salvar o Amazonas.

“Vejo no Amazonino o homem que vai salvar o povo do Amazonas. Fica, então, oficializado que a federação PSDB-Cidadania tem um pré-candidato para governar o Estado e ele se chama Amazonino Mendes”, disse.

Imbróglio

A fala de Arthur acontece num momento de racha interno no PSDB, já que parte do diretório estadual tucano não aceita que Amazonino seja o candidato da federação e apoiam o nome do senador Plínio Valério.

Na sexta-feira (6), inclusive, membros do PSDB local enviaram a Arthur um documento afirmando que a escolha de Amazonino Mendes não é legal porque não passou por prévias.

O documento é assinado pelos membros Francisco Virgílio Melo da Silva, Sheila Patrícia Rodrigues da Silva e Celso Branco Garcia.

Precipitado

Durante a semana passada, Plínio afirmou em publicação nas redes sociais que a oficialização de Amazonino como pré-candidato da federação era um ato precipitado.

O senador reafirmou, também, que segue como pré-candidato e que buscará junto à Executiva Nacional o respaldo necessário para ser o candidato tucano.

Voz no Congresso

Ainda no evento, Arthur Neto destacou que no cenário nacional, o Amazonas precisa voltar a ter uma voz forte em defesa da Zona Franca de Manaus e do povo amazonense.

“Todos sabem que sempre fui árduo defensor da Zona Franca, do Amazonas e da Amazônia. Se estivesse lá [no Senado], presidente nenhum, nem esse que aí está, nem outro do passado, teria feito um decreto que prejudica a Zona Franca e o emprego dos amazonenses. Pararia a Casa, travaria as votações nas comissões, como já fiz tantas vezes, até que fizesse justiça aos interesses do meu Estado”, lembrou o ex-senador.

Melo festejado

Quem esteve no evento e foi bastante festejado pelos presentes foi o ex-governador José Melo, cassado em 2017 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por compra de votos nas eleições de 2014.

A aparição dele confirma que o Pros, partido do qual é filiado, deverá compor a chapa PSDB-Cidadania, assim como o PMB e o Democracia Cristã.

O presidente do DC, Cícero Lima, também prestigiou e discursou no evento, onde fez elogios a Amazonino e afirmou que a “abelhinha está voltando”.

Nem um nem outro

Em meio à polarização entre direita x esquerda e a busca de uma terceira via, que segue firme no Brasil, Amazonino disse que não fará palanque para nenhum presidenciável no Amazonas.

É provável que o PSDB tenha João Doria como candidato a mandatário da nação, mas o recado do pré-candidato ao Governo é claro: não quer se indispor nem com bolsonaristas – que são maioria na Capital – nem com lulistas, que são a maioria do eleitorado no interior.

“Vou me manter distante da campanha presidencial. Deixo o povo do Amazonas com direito sagrado de por si escolher o seu presidente”, disse.

Pré-candidato

Por falar em esquerda, Lula lançou oficialmente sua pré-candidatura à presidência da República em evento realizado em São Paulo no sábado (7).

Em seu discurso, Lula tentou se contrapor a Jair Bolsonaro (PL) e acusou o presidente de autoritarismo e incompetência.
O petista também insistiu no discurso de que foi vítima de “uma das maiores perseguições da história” e disse não ter “desejos de vingança”.

“O grave momento que o País atravessa, um dos mais graves da nossa história, nos obriga a superar eventuais divergências. Queremos unir os democratas de todas as origens e matizes para enfrentar a ameaça totalitária”, disse.

Na plateia

Quem prestigiou o evento de Lula foram os dois principais candidatos da esquerda do Amazonas a deputado federal: Zé Ricardo (PT) e Vanessa Grazziotin (PCdoB).

Ambos, inclusive, são cotados como possíveis surpresas do pleito eleitoral.

Nas redes sociais, Grazziotin fez uma brincadeira com a volta de Lula ao comando do Brasil: “Voltou o Pantanal (novela da Globo). Voltou o Orkut. Sabe quem mais vai voltar?” indagou em uma publicação com a foto do ex-presidente.

Emoção

Zé Ricardo também usou as redes sociais para falar sobre o evento de oficialização da pré-candidatura de Lula. Ele destacou que a solenidade foi marcada por emoções.

“O evento foi marcado cheio de emoções e esperança de que o Brasil volte a ter um futuro que a gente lembra”, escreveu no Instagram.

O parlamentar também disse que Lula lembrou da Zona Franca de Manaus e que num eventual governo petista o modelo será fortalecido novamente.

“O presidente Lula citou os ataques que a Zona Franca de Manaus sofre nos últimos 3 anos, nossa maior riqueza que vai ser fortalecida novamente!”, concluiu.

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

Receba a coluna no seu WhatsApp: 92 98422-0558

Redação: 92 99189-4271

Editor-chefe: 92 99109-1099

Este post tem um comentário

  1. Francisco assis

    Nenhuma novidade, o velho discurso engana besta. Todos pelo poder que o dinheiro dá.

Deixe um comentário