CPI da Saúde volta a ganhar força

CPI da Saúde volta a ganhar força

Com o fim do carnaval nos próximos dias, o retorno dos trabalhos na Assembleia Legislativa promete grandes emoções.

O governador Amazonino Mendes além de ter uma base governista pequena, a menor entre os últimos governadores que passaram pelo Estado, corre o risco de enfrentar uma CPI que promete fazer uma devassa nas contas da Secretaria de Saúde.

Ano eleitoral

Amazonino quando assumiu o governo, denunciou um rombo R$ 1,2 bilhão na Saúde. Passado os meses de governo o assunto perdeu força e pouco se fala sobre tema.

O Negão sabe que uma CPI em ano eleitoral pode desenterrar fantasmas e seus pecados que tendem a puxar o pé de gente graúda. Provavelmente até o dele.

Operação Maus Caminhos

O pedido para a instalação da CPI é fundamentado entre outros pontos, na ‘Operação Maus Caminhos’, desencadeada pela Polícia Federal que evidenciou por meio de investigações e prisões, o desvio de verbas da saúde, especificamente nos plantões de técnicos e enfermeiros, com valores superfaturados.

Carnavalesco

No país do samba do crioulo doido, o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, que é do PMDB admite a possibilidade de o apresentador de TV Luciano Huck ser uma opção de candidatura à Presidência para partidos do centro.

Huck, que ainda não é filiado a nenhum partido, pende para o PPS, mas o DEM quer levá-lo de qualquer jeito, enquanto o PSDB da ala de Fernando Henrique Cardoso é o seu mentor.

Samba antigo

Pois a notícia mais esperada no meio político para depois do carnaval é qual será a decisão de Luciano Huck.

Ele anunciou que está em recesso carnavalesco, analisando as propostas e depois do carnaval anuncia se aceita, ou não, concorrer à presidência da República.

Definidos

Por enquanto, quem já posa de pré-candidato à presidência, além do eterno Lula da Silva, é o senador Álvaro Dias, do Podemos; o deputado militar Jair Bolsonaro, que está no PSC mas já disse que vai para o PEN; o atual ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, está plantando raízes fortes em seu partido, o PSD; o banqueiro João Amoedo quer ser o diferencial pelo Partido novo (PN); e o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes, do PDT, aposta em seu nome para um provável cenário de disputa sem Lula, e por aí vai.

Por fora

O que as agências de notícias não contam é que o prefeito de Manaus, Arthur Neto (PSDB) está mandando fazer pesquisas eleitorais com seu nome incluso, para tentar convencer a cúpula do tucanato de que tem viabilidade.

Na sexta (9), a empresa Pesquisa365 divulgou pesquisa feita com dois mil eleitores filiados ao PSDB, em 85 cidades brasileiras, incluindo as 27 capitais. A pesquisa diz que entre os tucanos, Arthur Neto, possui 27,9% dos votos para a presidência.

 

Dizem por aí…

O esfriamento da relação entre o deputado federal Pauderney Avelino (DEM) e o governador Amazonino Mendes começa a tomar maiores proporções. Paudeney já articula colocar seu bloco na rua no retorno dos trabalhos da ALEAM com os deputados estaduais, Augusto Ferraz (DEM) e Platiny Soares (DEM). A ordem foi dada: Botar pra cima da CPI da Saúde.

Deixe um comentário