David no PSB ou Podemos | O que ninguém te disse

David no PSB ou Podemos | O que ninguém te disse

A mudança de partido de David Almeida é aguardada desde as eleições suplementares para o Governo do Amazonas de 2017, onde o presidente da Alem foi preterido pelo Senador Omar Aziz, que preferiu apoiar a candidatura de Amazonino Mendes.

Dé lá pra cá, muitos foram os partidos que convidaram e flertaram com David.
Um que despontou foi o PSB do deputado Serafim Corrêa. O Partido Socialista Brasileiro tem história, tempo de televisão e fundo partidário.

Se David realmente topar ser o candidato da oposição ao Governo, esta deverá ser sua nova morada.

E o Podemos

O encontro no começo da semana com o presidente do Podemos e pré-candidato à presidência da República, senador Álvaro Dias, foi um sinal que pode haver uma reviravolta no cenário político.

No Amazonas, o partido é comandado pelo deputado Abdala Fraxe, braço direito de David, que seguirá com o líder, desse recente grupo, independente do caminho e das alianças políticas que possam surgir aos 48 do segundo tempo.

E ai Davi

Um dos grandes receios de David, além do risco de ficar sem mandato, é não ter margem para manobrar no PSB. Aí que entra o Podemos… Poucos acreditam, mas é real a possibilidade de um recuo de candidatura ao Governo do Amazonas para uma composição com o grupo de Amazonino ou com o próprio Omar.
Uma vaga no Senado pode ser a chave de entrada de um realinhamento que vai mexer no tabuleiro político do Amazonas.

Pauta antecipada

Presidente da Aleam, David Almeida confirmou que votação no legislativo estadual vai acontecer na quarta-feira mas prometeu divulgar a pauta antecipadamente na terça-feira.

Briga de foice

Pelos movimentos de bastidores que estão acontecendo, uma vaga de deputado estadual vai ser mais difícil de ser conquistada do que um mandato de federal.

Não é por acaso que alguns estaduais, como Orlando Cidade, por exemplo, anunciaram a intenção de disputar mandatos federais.

Pé no freio

Alguns vereadores que estavam animados para trocar de partido, pisaram no freio até mesmo com relação à possíveis candidaturas esse ano, depois que o TSE decidiu que a janela para troca partidária não atendia ao legislativo municipal.

Troca de Comando

O General Miotto deixou o Comando Militar da Amazônia para assumir o Comando Militar do Sul em Porto Alegre, no final de abril.

Em seu lugar assume o General Nardi.

Selva

A transferência de comando contou com a presença do comandante geral do Exército Brasileiro, general Eduardo Villas Bôas, que agradeceu em nome da tropa e do Brasil os serviços prestados pelo General Miotto na região Norte.

Em sua conta no Twitter o General Villas Bôas deixou a seguinte mensagem: “Nessa condição, é mister iluminar sua liderança, lealdade, flexibilidade, capacidade de trabalho, relacionamento interpessoal, dentre outros atributos. A Amazônia agradece! #ObrigadoSoldado.”

Temer quer disputar reeleição

As circunstâncias políticas podem até fazer Michel Temer mudar de ideia, mas, hoje, sua disposição é de ser, sim, candidato à reeleição, informa o Estadão.

“Já comunicou a vários interlocutores diretos e começou a discutir como fará esse movimento.

Temer não quer apenas defender o que considera legado de seu governo, tirando a economia da UTI. Ele quer proteger também sua reputação. Em vez de esperar que aliados o protejam, decidiu ele mesmo rebater as acusações e críticas que tem recebido e considera injustas.”

A última chance de Lula

Cármen Lúcia e Edson Fachin repudiaram os achaques de Lula.

A ORCRIM agora só tem uma chance para evitar a prisão do criminoso condenado pela Lava Jato: Marco Aurélio Mello.
Diz Merval Pereira:

“A próxima semana será decisiva na disputa que se trava nos bastidores do STF em torno da prisão após condenação em segunda instância, com o objetivo precípuo, porém dissimulado, de evitar a prisão do ex-presidente Lula (…).

Os defensores no Supremo da mudança da jurisprudência manobram para, na sessão da quarta-feira, reabrir a questão, mas apenas um dos ministros, Marco Aurélio Mello, poderá fazê-lo. Seria a última chance para mudarem a jurisprudência antes do julgamento do dia 26 do TRF-4.”

Deixe um comentário