Maus Caminhos ameaçada

Maus Caminhos ameaçada

Grande parte da base das investigações e desdobramentos da operação Maus Caminhos surgiu a par­tir de men­sa­gens de WhatsApp, extraídas dos aparelhos celulares de presos nas operações.  E ontem ela recebeu um duro golpe da Justiça.

Anúncios

A Quinta Turma do Supe­rior Tri­bu­nal de Jus­tiça (STJ) reconheceu a ilegalidade de provas a partir de mensagens arquivadas no aplicativo WhatsApp, obtidas sem autorização judicial, e determinou o desentranhamentos das provas no processo.

Para o relator, a análise dos dados armazenados nas conversas revela manifesta violação da garantia constitucional à intimidade e à vida privada, razão pela qual é imprescindível autorização judicial devidamente motivada.

“No caso, deve­ria a auto­ri­dade poli­cial, após a apre­en­são do tele­fone, ter reque­rido judi­ci­al­mente a que­bra do sigilo dos dados arma­ze­na­dos, haja vista a garan­tia à invi­o­la­bi­li­dade da inti­mi­dade e da vida pri­vada, pre­vista no artigo 5º, inciso X, da Cons­ti­tui­ção”, afir­mou o rela­tor do recurso em habeas cor­pus, minis­tro Rey­naldo Soa­res da Fonseca.

Fontes do Direto ao Ponto afirmam essa decisão pode favorecer muitos investigados e mudar o rumo da operação, e conseqüentemente das eleições no Amazonas.

Tamo Junto

Arthur, Omar, Alfredo e Pauderney, juntos? Pelo menos foi assim que se sucedeu o encontro com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles nesta quarta-feira (21) em Brasília.

Os políticos do Amazonas foram em busca da liberação de investimentos para Manaus. “Temos muitos projetos que dependem do apoio do Governo Federal e que a boa saúde financeira e fiscal de Manaus pode assumir”, afirmou o prefeito.

Polarizando

Uma conversa “tête-à-tête” entre o governador Amazonino Mendes e o senador Eduardo Braga está agitando os bastidores políticos, que já preveem apoio mútuo para as próximas eleições.

Se assim for, pelo menos dois grupos concorrentes já estão definidos: o prefeito Arthur Neto e o senador Omar Aziz de um lado e Eduardo e Amazonino do outro.

Dobradinha

Aumentam cada vez mais as informações de que o ex-presidente do STF, Joaquim Barbosa, namora o PSB para concorrer à Presidência da República.

Na mesma medida, aumentam as chances do presidente da Assembleia Legislativa, David Almeida, se filiar ao mesmo partido e concorrer ao governo do Estado.

Surpresa

A votação desta quarta-feira (21), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) não saiu tão bem como esperava a bancada de oposição ao governador Amazonino Mendes.

Entenda-se: de dez vetos apresentados, os deputados derrubaram seis, mas cinco desses seis foram derrubados em comum acordo com a própria bancada governista, atendendo a orientação do governador, que reconheceu falhas no envio dos vetos.

Ganhou mas não levou

O projeto que aumentava a idade para o ingresso na Polícia Militar, de 28 anos para 35 anos, teve votação de 12 a 11, a favor da oposição.

Apesar de maioria é insuficiente, posto que o Regimento Interno da Aleam diz que para derrubar um veto, é preciso 13 votos ou mais.

Assim, o próprio presidente do Legislativo, David Almeida declarou: “ganhou, mas não levou”.

Alerta

A votação de hoje mostra que Amazonino ainda é mestre em fingir de morto e, de repente, surgir das cinzas! Ainda quer surpreender muitos parlamentares com asas compridas!

Boataria

Já cansado de ler notícias plantadas em blogs e sites, o deputado Sinésio Campos (PT), saiu-se com essa durante seu discurso nesta quarta-feira: o PT não definiu nenhum nome para concorrer ao governo do Estado. “As pessoas que plantam essas notícias são levianas, querem tumultuar o processo, plantando o germe da discórdia”, disse Sinésio.

Irmãos Batista

Dois dias depois de ameaçar delatar o poder judiciário os irmãos Joesley e Wesley Batista ganharam mais uma batalha. Por três votos a dois, o STJ soltou Wesley batista.

Por enquado, Joesley deve continuar preso em função de outro mandado de prisão, expedido no ano passado pelo ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Temer candidato

O presidente Michel Temer jogou todas as suas fichas na intervenção federal na área de segurança no Rio de Janeiro e ganhou uma “grande chance” para sonhar com novo mandato presidencial, segundo o marqueteiro dele, o publicitário Elsinho Mouco.

“Ele já é candidato”, afirma. “A vela está sendo esticada. Agora começou a bater um ventinho”, comemora.

De quebra, observa o publicitário, arrancou a principal bandeira política de Jair Bolsonaro, hoje segundo colocado nas pesquisas de intenção de voto atrás de Lula.

Deixe um comentário