Você está visualizando atualmente Opinião | 1/3 do Congresso eleito é investigado

Opinião | 1/3 do Congresso eleito é investigado

Um terço do novo Congresso é acusado de crimes como corrupção, lavagem, assédio sexual e estelionato ou é réu em ações por improbidade administrativa com dano ao erário ou enriquecimento ilícito. No total, são 160 deputados e 38 senadores.

O levantamento feito pelo Estado envolve casos em andamento nos Tribunais de Justiça dos Estados, na Justiça Federal, no Superior Tribunal de Justiça (STJ) e no Supremo Tribunal Federal.

No Amazonas 60% da nova bancada federal responde a processos. Proporcionalmente é o Estado que possui mais investigados em sua bancada.

Parlamentares da ‘nova Câmara’ devem R$ 158,4

Se está difícil para grande parte dos novos deputados, imagine para  você. Pelo menos 96 dos 513 deputados eleitos para a próxima legislatura devem, juntos, mais de R$ 158,4 milhões à União. Os valores inscritos na dívida ativa se referem a tributos não pagos e foram levantados pelo Estado na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN).

As pendências estão registradas no CPF dos parlamentares e em CNPJ de empresas das quais são sócios. Elas incluem pendências previdenciárias e outros tipos de tributos não quitados.

Intriga

O presidente Assembleia Legislativa do Amazonas, David Almeida (PSB), classificou como “especulações sem fundamento” informações de que ele pode deixar o PSB de Serafim Corrêa.

“Pura especulação. Sou grato ao PSB. Não sei de onde tiraram essas informações”, afirmou David.

Nos bastidores circula a informação que David está atuando em favor da candidatura de Belarmino Lins (PP) e contra a candidatura de Serafim, à presidência da ALE-AM.

David considera que as informações são pura especulação e afirmou que mantém com Serafim Corrêa e com o presidente do PSB, Marcelo Serafim, a melhor relação possível desde que se filiou à sigla.

“Falamos diariamente”, disse.

Até 100% de desconto

Mais de 400 mil contribuintes em dívida com a Prefeitura de Manaus poderão quitar ou parcelar seus débitos aderindo ao Programa de Parcelamento Incentivado (PPI-Manaus), lançado nesta segunda-feira, 5/11, pela Prefeitura de Manaus.

Com o programa, pretende-se recuperar de R$ 80 milhões a R$ 100 milhões de crédito, além da entrada de recursos no Tesouro Municipal na ordem de R$ 30 milhões. O volume de débitos dos contribuintes atinge hoje marca superior a R$ 6 bilhões. A adesão ao programa vai até o dia 21 de dezembro para pessoas físicas ou jurídicas com débitos inscritos ou não em Dívida Ativa municipal.

Bolsonaro a favor do uso de snipers

Em entrevista ao Datena, Jair Bolsonaro diz ser a favor do “drone que atira” e do uso de snipers em ações de confronto com bandidos.

O presidente eleito disse que “vivemos em guerra” e “não tem outro caminho”.

Bolsonaro e os governadores

Jair Bolsonaro se reúne com os governadores eleitos na semana que vem, no dia 14 de novembro. Até lá, pretende evitar pedidos de encontros particulares.

Reforma trabalhista reduz estoque de ações na Justiça

O TST informa que a reforma trabalhista fez despencar o número de novas ações e reduziu o estoque de processos antigos na Justiça trabalhista.

De janeiro a setembro deste ano, o número de novas ações trabalhistas caiu 36%, em comparação com o mesmo período do ano passado.

Em dezembro de 2017, aguardavam julgamento 2,4 milhões de processos. Esse número caiu para 1,9 milhão em agosto passado.

E teria caído mais se setores do judiciário não insistissem em resistir à reforma.

É um mau momento, Zanin

O STF está tentando se aproximar de Jair Bolsonaro.

A manobra desesperada de Cristiano Zanin, que pediu mais um habeas corpus para tirar Lula da cadeia, chegou num mau momento para os ministros, porque ninguém está disposto a declarar guerra contra o presidente eleito.

Gabriela Hardt já mostra a que veio

Gabriela Hardt negou pedido de Cristiano Zanin para adiamento da audiência de hoje, na ação penal da reforma do sítio de Atibaia.

Zanin alegou que o MPF não teria juntado o acordo de delação de Carlos Pachoal, executivo da Odebrecht. Mas Gabriela mostrou-lhe que o acordo estava nos autos.

O pedido, é claro, foi negado. A juíza também ressaltou que vai manter todas as audiências já designadas anteriormente por Sergio Moro.

 

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214                                                                                                                               

E-mail: [email protected]

Deixe um comentário