Opinião | De olho na reeleição, Bolsonaro faz reforma ministerial para agradar o Centrão

Opinião | De olho na reeleição, Bolsonaro faz reforma ministerial para agradar o Centrão

Opinião | De olho na reeleição, Bolsonaro faz reforma ministerial para agradar o Centrão

PL de Alfredo Nascimento no palanque de Bolsonaro em 2022

Coronel Alfredo Menezes desiste do DNIT

Marcelo Ramos se movimenta para disputa majoritária em 2022

Asfalta Manaus pode ser sinal verde para Rotta alçar voos mais altos na próxima eleição

Sob o comando de Flávio Bolsonaro, o presidente Jair Bolsonaro abriu ainda mais o governo ao Centrão, pavimentando seu caminho para disputar a reeleição em 2022.

Anúncios

Esse é o resumo da minirreforma ministerial feita pelo presidente, que demitiu e realocou seis ministros nesta segunda-feira (29), dias depois do ‘sinal amarelo’ de Arthur Lira, presidente da Câmara que mantém em sua gaveta mais de 60 pedidos de impeachment contra o presidente.

⭕

Indicada pelo Centrão

Lira atuou pesadamente na articulação que garantiu a novata Flávia Arruda no comando da Secretaria de Governo, pasta responsável pelo balcão de negócios com o Legislativo, liberando emendas orçamentárias e distribuindo cargos.

Flávia tem sobrenome e partido político.

Ela virou deputada pelas mãos do marido José Roberto Arruda,  ex-governador do Distrito Federal que chegou a ser preso por desvios de recursos públicos.

E é filiada ao PL (antigo PR) de Valdemar Costa Neto, que agora faz juras a Bolsonaro para 2022.

O movimento aproxima mais ainda o partido do deputado Marcelo Ramos e do ex-prefeito Alfredo Nascimento para compor o palanque de Bolsonaro em 2022, no Amazonas.

⭕

Novo Embaixador

As ações para esvaziar o palanque de Lula não pararam por aí.

Flávio também que garantiu um nome palatável ao Congresso no Itamaraty: o embaixador novato Carlos França, que prometeu não criar constrangimentos aos chineses ou americanos, nem aos Senadores.

⭕

Politizar o quartel

Por fim, a indicação de Braga Netto para o Ministério da Defesa garante a Bolsonaro ascendência sobre as Forças Armadas, desde que o presidente não resolva usá-las para fins pessoais.

E você aí preocupado com a pandemia.

⭕

Desistiu do DNIT

Quem entendeu o recado de como a banda toca foi o ex-superintendente da Suframa, Coronel Alfredo Menezes, que teve o nome preterido na indicação ao DNIT.

“Em 2022 eles terão dinheiro e poder, mas, nós teremos o mais importante: O povo ao nosso lado!”, afirmou Menezes, enaltecendo sua relação com o Presidente Bolsonaro e reiterando que será candidato ano que vem.

⭕

Agenda Política

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, deputado federal Marcelo Ramos (PL), continua sua movimentação política de olho em 2022.

Ontem Marcelo visitou a Câmara Municipal de Manaus (CMM).

E hoje (30), ele visita a Assembleia Legislativa do Estado (ALEAM).

⭕

Ensaio

Marcelo já se movimenta nos bastidores da política como pré-candidato ao Governo do Amazonas ou ao Senado.

Ele busca pavimentar a possiblidade de ser uma terceira via, frente a polarização entre Wilson Lima e Eduardo Braga.

Vai que cola…

⭕

Asfalta Manaus

Ontem o prefeito de Manaus, David Almeida, e o vice-prefeito, Marcos Rotta, lançaram o programa Asfalta Manaus, com obras de infraestrutura, que irão beneficiar 14 bairros da capital com mutirões de tapa-buracos, garantindo melhorias em 1,7 mil ruas, a começar pelo Jorge Teixeira, o bairro mais populoso da Zona Leste de Manaus.

⭕

Sinal verde

Outro nome que vem sendo ventilado para disputar o Governo é o do vice-prefeito, Marcos Rotta.

Tudo indica que Rotta ganhou o sinal verde para maturar seu nome, até porque o vice não precisaria renunciar para concorrer, ao contrário do prefeito David Almeida, que caso fosse candidato ao governo em 2022, precisaria renunciar o posto seis meses antes da eleição.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-22

Deixe um comentário