Opinião | Deboche e Política: Sobre Marcelo Ramos e Anitta

Opinião | Deboche e Política: Sobre Marcelo Ramos e Anitta

Opinião | Deboche e Política: Sobre Marcelo Ramos e Anitta

A cada dia o desafio de conviver com as divergências de opinião vem se mostrando mais difícil no Brasil. Existe uma intolerância ao diferente que impede muitas pessoas de divergirem com argumentos e contrapontos. Pensar de forma diferente não faz de você inimigo de ninguém, vocês só tem opiniões distintas sobre aquele assunto.

A falta de tolerância encontra o lado negro da força quando se fixa na negação da existência do outro, quando falta a capacidade de lidar com diferentes modos de pensar extrapolam a linha do respeito, transformam-se em violência verbal e até física, nos casos mais extremos.

Intolerância digital

As plataformas e aplicativos de redes sociais na internet se transformaram em um dos principais fronts de discussão entre pessoas e grupos opostos.

Mas nem sempre as discussões se fixam na troca de ideias, na exposição de argumentos, e não são raras as vezes em que viram troca de insultos, levando inclusive para o lado pessoal.

Marcelo vs Anitta

O bate boca nas redes sociais entre o deputado federal Marcelo Ramos e a cantora Anitta, sobre o polêmico projeto de lei 2633/2020 que propõe regularizar a questão fundiária no Brasil, ganhou as manchetes e viralizou nas redes sociais.

E o que era para ser um assunto sério acabou virando piada quando Marcelo levou um pito da funkeira após debochar dos fãs da artista, os “anittaminions”, segundo o parlamentar.

Quem fala o que quer

Ao ver o post, Anitta disparou: “Não vamos parar… vamos evoluir… porque  estão todos se disponibilizando a aprender mais sobre política pra saber como cobrar pessoas como o senhor. Aliás… anittaminions também são eleitores. Não deboche do povo. Você trabalha pra eles”.

Marcelo podia ter dormido sem essa.

342 Amazônia

Vale lembrar que o projeto de lei no qual Ramos é relator tem recebido muitas críticas de ambientalistas e da classe artística. O cantor Caetano Veloso, a atriz Malu Mader, Frejar, Bruno Gagliasso, Betty Faria, entre outros artistas do movimento 342 Amazônia, já demonstraram preocupação com a lei.

Verdades sobre o PL da Regularização Fundiária

O projeto não estimula a invasão de terras públicas e a grilagem. Isso não é verdade!

Ele cria um processo simplificado de regularização para aqueles que demonstrarem posse mansa, pacífica e produtiva desde 2008. Portanto, são pequenos produtores rurais que ocupam a terra, sem qualquer conflito, há 12 anos e assim não há o que se falar em novas invasões e nem em grilagem.

Mais verdades

Apesar de ter mandado mal com a Anitta, o deputado Marcelo Ramos acertou no discurso quando disse que é fácil falar da Amazônia estando longe… É fácil falar da Amazônia estando em luxuosos apartamentos no Rio, em São Paulo e até Nova York. Mas, a verdade é que muitos desses artistas não conhecem a realidade de milhares de homens e mulheres do interior do Amazonas, pequenos produtores sem acesso ao crédito, sem assistência técnica, sem ninguém responsável pelas estradas vicinais essenciais para escoar a sua produção.

Bem comum

A verdade é que já está mais que na hora de enfrentar os interesses e a ideologia de poucos, que impedem o desenvolvimento do nosso Estado. O interesse tem que ser o bem comum, a partir da argumentação e da compreensão lúcida sobre a realidade.

Política também se aprende

A política está presente em todos os aspectos que rondam nossa vida.Ela é o instrumento de transformação da sociedade.

A própria Anitta despertou para a importância desse poderoso instrumento. Mesmo recebendo críticas por ter confundido alguns assuntos como a separação dos três poderes, em sua 1ª live onde cobrou esclarecimentos sobre matérias importantes que tramitam no Congresso Nacional, o importante foi o exemplo dado de que nunca é tarde para se aprender. E esse interesse precisa ser incentivado.

O que muitos não viram, foi que ela aprendeu e compartilhou, com uma linguagem popular, para mais de 3 milhões de pessoas, o que são e como funcionam os poderes Executivo, Legislativo e Judiciário.

Incentivo

É preciso reconhecer e valorizar esse tipo de iniciativa. Quanto maior o interesse e a participação das pessoas na política, reconhecendo seus direitos e deveres, e entendendo como funcionam as instituições que deveriam representá-las, mais rápido vamos caminhar para um futuro melhor.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

Deixe um comentário