Opinião | Direto ao Ponto com Sidney Leite

Opinião | Direto ao Ponto com Sidney Leite

Opinião | Direto ao Ponto com Sidney Leite

Hoje o entrevistado do “Direto ao Ponto” é o deputado federal Sidney Leite. O parlamentar de 52 anos nasceu em Maués, no interior do Amazonas, e está em seu primeiro mandato em Brasília.

Anúncios

O parlamentar fala que a maior parte da sua experiência foi no executivo, mas os oito anos na Assembleia Legislativa o trouxeram a bagagem necessária para desenvolver seu trabalho na Câmara.

Reforma Tributária

O político é vice-presidente da Comissão que analisa a Reforma Tributária. O cargo, segundo ele, é estratégico. Os benefícios da ZFM não estão claros no texto original e a ideia é trabalhar para que isso aconteça.

Ele fala que a maior luta dos deputados e senadores do AM é a defesa do modelo que é constantemente atacado.

Governo Bolsonaro

Sidney acredita que entre os maiores erros do governo Bolsonaro está o Ministro da Fazenda, Paulo Guedes que tem norteado o trabalho do executivo.

“É um ministro de uma nota só. Tá muito longe de ser um Posto Ipiranga. Passou esse tempo todo falando da Reforma da Previdência e que com a Reforma da Previdência os problemas estariam resolvidos. Não estão!”, acrescentou.

Governo Wilson Lima

As críticas também se estendem ao executivo estadual. O parlamentar falou que o governo de Wilson Lima está fragilizado e com problemas em diversas áreas.

Ele lembrou de dois setores críticos: saúde e segurança pública. Sidney sugere que o governador faça uma reforma administrativa e de governo.

Governo Arthur Virgílio

Sobre a prefeitura, o deputado federal traz mais críticas. Transporte público, mobilidade urbana e saúde são alguns dos problemas, de acordo com Sidney.

“Manaus não tem 48% de cobertura de atenção básica na saúde. É a pior cobertura do estado”, disse.

Eleições 2020

Sidney não afirmou com todas as palavras, mas se diz preparado para o desafio de assumir uma prefeitura como a de Manaus. O político disse que seu partido vai ter candidato a prefeito da Capital. É um indicativo forte, não?!?!

Internacionalização de Coari

O senador Plínio Valério (PSDB) apresentou no Senado documentos que comprovam que uma “suposta” Organização Não Governamental (ONG), chamada Fundação Opção Verde, detém a posse de 105 mil hectares de terras em Coari, interior do Amazonas. A ONG, de acordo com os documentos, possui uma sócia nacional, brasileira, e três sócios holandeses. O requerimento contou com a assinatura do senador Omar Aziz.

 

Só existe na internet

O que chama a atenção, de acordo com o senador, não é o fato de a ONG ser dona de uma área superior a 1,56 bilhão/m2 de terras na Amazônia. Mas o fato da Organização só existir virtualmente, em um site que saiu do ar ontem. Todas as posses feitas durante o período de 2008 a 2013 foram em áreas ricas em minerais. No caso de Coari, em gás e petróleo.

CPI das ONGs

Plínio aguarda a leitura do pedido de instalação pelo presidente do Senado, Davi Alcolumbre para que sejam indicados os membros para compor a CPI das ONGs, que irá investigar as causas do desmatamento e das queimadas na Amazônia Legal e a liberação de recursos públicos para ONGs e OSCIPs.

Não houve apoio de Braga

O senador Eduardo Braga (MDB), não assinou o requerimento de instalação da CPI, nem tampouco manifestou apoio para que seja instalada a investigação às ONGs que utilizam de maneira inadequada os recursos destinados à preservação ambiental na Amazônia.

Família Pinheiro se cala

Até o presente momento nem o prefeito de Coari, Adail Filho e nem a deputada estadual Mayara Pinheiro, principais expoentes políticos da Terra do Petróleo e do Gás, se manifestaram sobre o assunto. Pra quem pensava que a família Pinheiro era dona de toda Coari se enganou. Pode ser que seja só da metade.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

WhatsApp: 92 99382-4598

Deixe um comentário