Você está visualizando atualmente Opinião | ‘Estamos juntos no combate ao Covid 19’, afirma ministro da Saúde

Opinião | ‘Estamos juntos no combate ao Covid 19’, afirma ministro da Saúde

Opinião | ‘Estamos juntos no combate ao Covid 19’, afirma ministro da Saúde

O Ministro da Saúde, Nelson Teich, desembarcou em Manaus, nesse domingo (03), acompanhado do secretário executivo do Ministério da Saúde (MS), general Eduardo Pazuello e do deputado federal Capitão Alberto Neto (Republicanos).

O Amazonas é o primeiro estado visitado pelo primeiro escalão do novo ministério.

Reforço federal

Segundo o ministro, o reforço federal conta com a contratação de 267 profissionais da saúde para atuar no Amazonas, sendo 31 deles de outros estados.  Além de 244 mil unidades de EPIs, 45 respiradores, medicamentos e álcool em gel.

Inverso Amazônico

O governador Wilson Lima fez um apelo ao ministro Nelson Teich. Que se antecipe a campanha de vacinação em massa contra a gripe no Amazonas, por conta do inverno amazônico e da alta incidência de outras síndromes respiratórias no Estado. E que o governo federal disponibilize kits de testes para o Covid-19.

“Precisamos testar a maior quantidade possível de pessoas”, solicitou o governador.

Linha de frente

Ainda em Manaus nesta segunda-feira (4) o ministro visita o hospital Delphina Azir, o Hospital de Campanha Municipal, o Hospital de Retaguarda Nilton Lins e as instalações do Comando Militar da Amazônia.

Oito horas de Moro

Após prestar mais de oito horas de depoimento à Polícia Federal em Curitiba, no último sábado (2), o ex-ministro da Justiça Sergio Moro postou em seu perfil no Twitter, após ser chamado de Judas por Bolsonaro, que “há lealdades maiores do que as pessoais”.

Desconstrução

Nos últimos dias, Moro tem sido alvo de ataques nas redes sociais do núcleo mais radical do bolsonarismo. A intenção é carimbar no ex-juiz a pecha de traidor, por ter deixado o governo acusando o presidente Jair Bolsonaro de querer interferir na PF e influenciar em inquéritos no STF.

Moro que sempre representou a luta contra a corrupção, com a imagem do juiz/ministro austero e incorruptível, que não verga diante das pressões dos poderosos que ousou desafiar, está mais uma vez sob ataque. Dessa vez está sendo atacado pelos dois lados, das extremas, direita e esquerda.

Provas robustas

Em depoimento, Moro reiterou as acusações e entregou trocas de mensagens, áudios e emails capazes de sustentar o que vem falando desde o dia de sua despedida do governo.

Centrão de volta ao poder

Conhecido por dar as cartas do poder, o Centrão avança agora em áreas do governo antes restritas aos militares da reserva e da ativa. Em um esforço pessoal para montar sua frente anti-impeachment no Congresso, o presidente Jair Bolsonaro tenta abrigar os partidos do bloco em diretorias estratégicas de agências, bancos regionais, fundações, estatais e superintendências que operam orçamentos bilionários.

Menezes ameaçado

Com a abertura da máquina federal aos apadrinhados do centrão, quem entra na mira é o superintendente da Suframa, Coronel Alfredo Menezes.

Quem será dos afilhados do presidente que vai ganhar essa queda de braço. O antigo, ou os novos? Não dá mais pra dizer.

Congelamento

O Senado aprovou em uma sessão remota no final de semana, com voto favorável dos senadores do Amazonas, Eduardo Braga, Omar Aziz e Plínio Valério, o congelamento de salários de servidores públicos até dezembro de 2021.

A medida prevê uma economia de R$ 130 bilhões.

A suspensão de reajuste de salários por dezoito meses não se aplica aos que trabalham nas áreas da saúde, segurança pública e Forças Armadas.

60 Bilhões

O senado também aprovou uma ajuda de R$ 60 bilhões aos estados e municípios que serão pagos em quatro parcelas mensais. Segundo o senador Omar Aziz (PSD), será destinado para o Amazonas R$ 2 bilhões.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

Deixe um comentário