Opinião | Governabilidade

Opinião | Governabilidade

O governador eleito, Wilson Lima (PSC), já iniciou conversas com caciques políticos do Amazonas buscando governabilidade e apoio no âmbito legislativo, tanto federal, quando estadual.

Anúncios

Fontes do Direto ao Ponto afirmaram que a conversa de Lima com um Senador pelo telefone, foi bem amistosa e republicana.

Com o segundo Senador o encontro se deu na semana passada, por acaso, em um Hospital em São Paulo, onde ambos se preparavam para um check up e tiveram oportunidade de se conhecer um pouco mais e aprofundar os laços que os unem em prol do Amazonas.

24 dias

Após 24 dias eleito, Wilson Lima ainda não anunciou nenhum nome para as secretarias do Estado que irão compor seu governo.

Na contramão de Bolsonaro que já anunciou 09 ministros, e de governadores como João Doria de São Paulo e Wilson Witzel do Rio do Janeiro, que já anunciaram o primeiro 04 e o segundo 11 secretários, respectivamente.

A importância da definição dos nomes e do início do processo de transição de cada pasta irá facilitar o planejamento e organização de quem assumir os cargos, consequentemente trará reflexos positivos no inicio de sua gestão.

Supersecretário

O Blog do Hiel Levy publicou que o vice-governador eleito, Carlos Almeida, deve assumir uma “supersecretaria” que vai reunir as pastas da Segurança Pública, Justiça e Cidadania e Administração Penitenciária. Uma espécie de Sérgio Moro do Amazonas, segundo Hiel.

Se a informação se confirmar, e Almeida melhorar os números da segurança pública, pode dar um drible em Luiz Castro e se credenciar para disputar a prefeitura de Manaus com o apoio do Governador.

Arthur, Omar e Pauderney no mesmo partido

Depois do desastre eleitoral em 2018, o PSDB avalia uma proposta de fusão com outros partidos.

A iniciativa será apresentada pelo deputado Marcus Pestana, secretário-geral do PSDB, à direção executiva da sigla.

Para o deputado, as quatro siglas para a possível fusão são: PPS, PSD, PV e DEM.

Uma união complicada no Amazonas. Como diz o ditado: “Muito cacique pra pouco índio”.

Polícia Federal fecha academia de irmão de Senador

A Polícia Federal (PF) realizou na manhã desta quarta (21) busca de documentos e apreensão de aparelhos da academia AZ Fitness, no Parque das Laranjeiras.

A academia tem como um dos sócios o empresário Murad Aziz, irmão do senador Omar Aziz (PSD). Murad foi um dos presos na operação CashBack, desdobramento da Maus Caminhos, e esta solto graças a um habeas corpus concedido pelo desembargador Olindo Menezes, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF-1).

Os aparelhos da academia foram retirados do prédio e encaminhados para um deposito da PF que, segundo as investigações, foram comprados com dinheiro desviado pelo esquema..

A nova fase da Maus Caminhos prendeu empresários envolvidos no esquema de desvio de recursos da saúde que ultrapassam os R$ 600 milhões.

Senado arquiva projeto que afrouxava Lei da Ficha Limpa

A repercussão negativa levou o senador Dalírio Beber (PSDB-SC) a pedir a retirada de pauta do projeto que flexibilizava a Lei da Ficha Limpa.

Por maioria simples, os senadores aprovaram o pedido e a matéria foi definitivamente arquivada.

Trump na posse de Bolsonaro

A equipe de Jair Bolsonaro recebeu sinalização positiva sobre a possível presença de Donald Trump na posse, em 1º de janeiro.

O tema será tratado no encontro de Bolsonaro com John Bolton, assessor de segurança nacional de Trump, em 28 de novembro.

Mais um ministro

O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) anunciou nesta terça-feira (20) o nome do deputado Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) como ministro da Saúde em seu governo.

O anúncio foi feito pelo Twitter após encontro de Bolsonaro com representantes das Santas Casas e deputados da Frente Parlamentar da Saúde.

Mandetta será o terceiro ministro do DEM no governo Bolsonaro. Além dele, já foram anunciados Onyx Lorenzoni (DEM-RS) para a Casa Civil e Tereza Cristina (DEM-MS) para a Agricultura.

Moro anuncia Valeixo na Direção Geral da PF

Sergio Moro anunciou nesta terça (20) que escolheu Maurício Valeixo para ser o diretor geral da Polícia Federal.

Valeixo foi diretor de Inteligência na gestão de Leandro Daiello e atualmente é superintendente da PF no Paraná – cargo que ocupa pela segunda vez – e coordenou a operação de prisão de Lula.

Enquanto os anúncios para ministros e super ministros de Bolsonaro andam de vento em polpa e alguns governadores já tem suas equipes pré-definidas, nenhum movimento é visto no Amazonas.

Operações contra a corrupção

Maurício Valeixo, seguindo orientação de Sergio Moro, vai concentrar esforços e recursos da Polícia Federal em operações anticorrupção.

Há o entendimento de que, diante das restrições orçamentárias e de pessoal, é preciso focar no desmantelamento de organizações criminosas com atuação contra o patrimônio público.

O objetivo é obter o maior retorno para a sociedade.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214

Deixe um comentário