Opinião | Moro cai em armadilha e perde Coaf

Opinião | Moro cai em armadilha e perde Coaf

Os membroas da comissão mista que analisa a reforma administrativa do do presidente Jair Bolsonaro (PSL) aprovaram, nesta quinta-feira (9), destaque que retira o Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) do Ministério da Justiça.

Anúncios

O placar foi apertado, com 14 votos favoráveis à volta do órgão ao Ministério da Economia e 11 contrários. Um parlamentar se absteve. O governo esperava contar com ao menos 15 votos favoráveis à atual estrutura, com o Coaf mantido sob o guarda-chuva da pasta de Moro

Outro golpe

Ele também terá que lidar com questões indígenas, o que não desejava, pois tomaram muito tempo de ministros anteriores.

A comissão retirou a demarcação das terras indígenas do Ministério da Agricultura e a Fundação Nacional do Índio (Funai) do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos e devolveu ambos à Justiça.

“Não é pessoal”

O ministro Sergio Moro disse que o Coaf não é uma questão pessoal:

“Sobre o COAF, nunca fiz a permanência dele no MJSP uma questão pessoal. Defendi a medida para fortalecer o combate à corrupção, à lavagem de dinheiro, ao crime organizado e ao financiamento ao terrorismo. Já expliquei antes a relevância da permanência do COAF no MJSP.”

É pessoal

O Coaf pode até não ser uma questão pessoal de Sergio Moro, mas Sergio Moro é uma questão pessoal do Centrão, que está fazendo de tudo para desidratá-lo.

A derrotada de ontem foi articulada entre líderes do PR, PP, PSD e DEM, com o apoio da oposição liderada pelo PT.

Volta, ou perde o cargo

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) decidiu lotar o ex-deputado estadual Platiny Sorares na Escola Superior da Magistratura do Amazonas.

O tribunal teve dificuldade para fazer o político, que é concursado, retornar ao seu posto após o fim de sua licença.

Que inclusive pensaram em exoneração, pois Platiny não voltou ao seu posto em 1º de fevereiro de 2019 após eleição em que perdeu.

Fundeb Transparente

Os deputados estaduais derrubaram nesta quarta-feira (08/05) o veto do Governo do Amazonas sobre o projeto de lei que obriga o Estado a criar um site exclusivo para divulgar informações sobre a aplicação de recursos do FUNDEB pelo Executivo.

O projeto é de autoria do ex-deputado estadual José Ricardo (PT).

O projeto ficou conhecido como “FUNDEB Transparente”.

Cadê o líder

Há quase 45 dias sem líder na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam).

Nos bastidores era dado como certo a divulgação do governador até essa sexta-feira. Mas até agora nada.

Oposição aproveita vácuo

Enquanto a ausência dessa figura vai se tornando “normal” na Assembleia, a oposição aproveita esse vácuo e já articula uma nova CPI, desta vez para investigar contratos sem licitação patrocinados pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

CPI da Seduc

De iniciativa do deputado Wilker Barreto (Podemos), o ensaio de CPI já recebeu mais duas assinaturas: dos colegas Dermilson Chagas (PP) e Augusto Ferraz (DEM).

“Não está na minha pauta”

Em nota encaminhada ao Direto ao Ponto sobre sua coluna de ontem, que aventa uma candidatura do deputado Marcelo Ramos à Prefeitura de Manaus, o parlamentar afirmou que não trabalha pra viabilizar candidatura à Prefeitura.

“Estou absolutamente dedicado ao mandato de deputado federal e à tarefa de presidir a Comissão que trata do tema mais importante hoje no país. Não irei me dispersar da missão que o povo do Amazonas me deu. Eleições não estão na minha pauta”, afirmou Marcelo Ramos.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

WhatsApp: 92 99382-4598

Deixe um comentário