Você está visualizando atualmente Opinião | Paralisação dos rodoviários

Opinião | Paralisação dos rodoviários

Pela 15ª vez neste ano os rodoviários paralisaram ônibus. Desta vez, na tarde desta quinta-feira (12), dentro do Terminal de Integração 1, na avenida Constantino Nery, Zona Sul, e em ruas do Centro de Manaus.

Segundo o presidente do STTRM, Givancir Oliveira, a paralisação foi organizada pelos próprios trabalhadores e é considerada “de advertência”.

“Estou a caminho do Centro para tentar convencê-los a voltar ao trabalho. Foi um movimento dos próprios trabalhadores que estão revoltados com essa situação dos salários que estão atrasados há mais de uma semana”, disse Oliveira.

Sinetram confirma

Segundo o Sinetram, as empresas estão com dificuldades financeiras e estão “buscando o restabelecimento de fluxo de caixa suficiente para que todos os compromissos sejam quitados”.

Greve Geral

Givancir Oliveira afirma que se as empresas de transporte não regularizarem os salários e os compromissos firmados com a categoria até o dia 20 de julho, Manaus vai parar. “É greve geral”.

Showzinho

O prefeito de Manaus Arthur Virgílio (PSDB), classificou de “showzinho, um pocket show” a paralisação dos rodoviários.

“Se manquem. Se estão achando que vão eleger fulano de tal, algum deles lá, não vão. Não é por aí. Esse é o caminho da derrota. Tirem isso da cabeça. Ideia de jerico”.

Fim do semestre

Terminaram na manhã desta quinta-feira (12) os trabalhos no plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), com a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias do Estado para 2019.

Depois do clima quente da quarta-feira, com direito a troca de ofensas entre deputados, a votação foi realizada em consenso.

Na mesma

Sobre a divisão de recursos, manteve-se o que o governo queria: redução de verbas para a Defensoria Pública e aumento para o Tribunal de Justiça e para o Tribunal de Contas do Estado.

O Judiciário vai receber 8,1% do orçamento estadual, o Legislativo 6,93%, o Ministério Público do Estado 3,4%, o TCE 3,03% e a Defensoria Pública 1,4%.

O líder do governo na Aleam, deputado Dermilson Chagas, minimizou o corte na Defensoria.

Disse que “se houver necessidade, o governo poderá enviar outra mensagem aumentando o percentual da Defensoria”.

Ineditismo

Quem está comemorando sem parar é o deputado José Ricardo que teve 26 emendas de sua autoria aprovadas.

Esta é a primeira vez que José Ricardo consegue emplacar tantas emendas. A principal delas é a que destina recursos para o reajuste da data-base dos servidores estaduais, que foi adotada por todos e tornou-se uma emenda coletiva.

Participação popular

Embora não tenha participado da votação por ainda estar convalescendo de sarampo, José Ricardo teve suas propostas defendidas por Serafim Correa, Luiz Castro e Alessandra Campêlo.

Eles defenderam maior participação da população na elaboração dos orçamentos estaduais, tanto do Executivo, quanto do Legislativo e Judiciário.

A ideia é realizar Audiências Públicas ou receber propostas e sugestões via internet com todos os interessados de cada Poder.

 CPI silenciosa

Depois de aprovar a instalação da CPI das Licitações, para investigar mais de 300 contratações feitas pelo governo do Estado sem licitação, a oposição ficou em silêncio.

Mas o vice-líder do governo, deputado Vicente Lopes, declarou que também vai assinar o pedido de CPI. E justificou: “Amazonino não tem nada a esconder. É tudo transparente. Claro que eu assinarei”, disse ele.

Exagerado

O deputado federal Silas Câmara está anunciando como “mega evento” o lançamento da sua candidatura à reeleição, que acontece nesse sábado, às 17, no Clube do Pará.

Lula ‘está bem’

Franklin Martins visitou Lula na tarde de quinta-feira (12). Na saída, disse que o ex-presidente “está bem”.

“O presidente está seguro de que suas ideias estão no povo.”

Collor diz que Lula sofre injustiça

Fernando Collor voltou a dizer que é pré-candidato à Presidência, mesmo depois de seu partido, o PTC, afirmar que não lançaria candidatura ao Planalto.

Em entrevista à Rádio Guaíba, o primeiro presidente brasileiro afastado por impeachment também defendeu Lula. Disse que “não há provas” contra o petista e que, mesmo na cadeia em Curitiba, ele tem o direito de gravar para a campanha eleitoral.

Moro em Portugal

fake news de que Sérgio Moro estava em Portugal no domingo, quando se deu o solta-prende-solta-prende de Lula, foi de uma força impressionante.

Quem botar no Google “Moro” e “Portugal”  dará de cara com 24 milhões de links. Repita-se: 24 milhões de links.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214                                                                                                                               

E-mail: [email protected]

Deixe um comentário