Opinião | Polícia Federal apura superfaturamento de respiradores no Amazonas

Opinião | Polícia Federal apura superfaturamento de respiradores no Amazonas

Opinião | Polícia Federal apura superfaturamento de respiradores no Amazonas

Em abril, o sistema de saúde do Amazonas entrou em colapso por causa da pandemia do Covid-19.

Anúncios

Foi nesse cenário que, segundo a Polícia Federal, integrantes da cúpula do governo do Amazonas e empresários montaram um esquema de corrupção para fraudar a compra de respiradores.

Ontem (19) o Jornal Nacional e o site O Antagonista divulgaram trechos do processo, gravações e mensagens dos investigados no inquérito.

⭕

Loja de vinhos

A Polícia Federal diz que houve uma triangulação. O governo do estado encomendou 28 respiradores da loja de vinhos FJAP, sem licitação, por quase R$ 3 milhões. Essa, por sua vez, segundo a PF, comprou da Sonoar, que comercializa os equipamentos. A FJAP repassou então para o governo do Amazonas com superfaturamento de 133%.

⭕

Chefe do esquema

Segundo a Procuradoria-Geral da República, o governador Wilson Lima, do PSC, é suspeito de ser o chefe do esquema.

Ele foi alvo de busca e apreensão na primeira fase da Operação Sangria, em junho, e teve parte dos bens bloqueados pela Justiça.

Na semana passada, a PF prendeu cinco suspeitos de envolvimento na fraude. Entre eles, o ex-secretário de Saúde do Amazonas Rodrigo Tobias. Os cinco foram soltos no domingo (18), porque venceu o prazo da prisão temporária.

⭕

Ex-secretário de Saúde livra vice

Rodrigo Tobias reiterou as declarações do vice-governador, Carlos Almeida, livrando-o de qualquer responsabilidade na fraude dos respiradores, mas jogando toda responsabilidade nas costas do governador Wilson Lima.

Segundo Tobias, o operador de Lima no esquema era Gutemberg Alencar, empresário que se apresentava como “indicado pelo próprio governador para orientar o governo onde haveria disponibilidade de respiradores para aquisição”.

⭕

Pressão

O ex-secretário também relatou à PF a pressão que sofreu da subsecretária de Saúde Dayana Mejia e da ex-secretária de Comunicação Daniela Assayag.

“Foram defensoras veementes da aquisição dos equipamentos da Sonoar”, afirmou, em referência aos respiradores.

⭕

Notas

Wilson Lima afirmou que está à disposição para esclarecimentos e que pauta sua gestão pela ética e transparência.

Carlos Almeida declarou que não cometeu qualquer ato ilícito.

⭕

Zun Zun Zun

Nos bastidores cresce a expectativa de uma nova operação da Polícia Federal nas próximas semanas com nova prisões, buscas e apreensões e até um novo pedido de afastamento do governador Wilson Lima e do vice, Carlos Almeida.

⭕

Deputados dos 5%

O Direto ao Ponto apurou que a próxima fase da Operação Sangria, pode atingir até 11 deputados da Assembleia Legislativa do Amazonas. Oito deles por conta de anotações encontradas na mesa do gabinete do governador Wilson Lima, alvo das investigações, na qual consta uma lista com nomes de deputados estaduais do Amazonas, ao lado de uma anotação: “5%.”

⭕

Quem assume

Caso Wilson Lima seja afastado, quem assume interinamente é Carlos Almeida.

Entretanto, o vice também pode ser afastado. E se o for, o próximo na linha de sucessão é o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas, Josué Neto.

⭕

Eleições na Aleam

Josué fica no cargo de presidente da Aleam até o dia 31/01/2021. Mas a eleição para a presidência acontece em dezembro deste ano e promete ser bem concorrida.

⭕

Prefeitura de Manaus

As eleições municipais podem sofrer influência com essa mexida de tabuleiro. O desgaste com o afastamento de Wilson Lima pode favorecer Amazonino Mendes. Carlos Almeida ainda não se posicionou em relação ao apoio a algum candidato. E Josué Neto está apoiando David Almeida.

E aí, o que você acha que vai acontecer?

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

Deixe um comentário