Opinião | Prefeito decepciona e sofre críticas e cobranças

Opinião | Prefeito decepciona e sofre críticas e cobranças

Opinião | Prefeito decepciona e sofre críticas e cobranças

Manaus foi a única Capital do Brasil a suspender a imunização

Ministério Público investiga possível fraude na distribuição das vacinas pela prefeitura de Manaus. Médicas serão obrigadas a depor

Prefeitura vira cabide de emprego para ex-vereadores

Manaus entrou em 2021 com um cenário de incertezas.

Anúncios

Eleito com a promessa de que faria diferente e melhor, o prefeito de Manaus, David Almeida, vem surpreendendo, de forma negativa, todas as expectativas do seu eleitor e até de aliados próximos.

Com 22 dias de muitas trapalhadas, o prefeito continua achando que ainda está em campanha. Com mais promessas e um discurso vazio, vem colocando a culpa pelo caos no combate a pandemia e no Plano de Imunização em todos, menos na sua própria falta de gestão. Todos, na visão do atual do prefeito são culpados, a imprensa, os políticos que o antecederam e até mesmo a população, em especial aqueles que o criticam nas redes sociais.

Mas ações concretas e eficientes, até agora ninguém viu.

Toda essa omissão e desleixo com a população foram motivos suficientes para que ele fosse investigado pela Procuradoria Geral da República, por contribuir com o colapso do sistema de saúde da Capital.

⭕

Aquele 1%

Ainda não existe uma previsão concreta de vacinação para a grande massa da população. E para as poucas doses que chegaram, há uma total desorganização no Plano de Imunização, além da incerteza sobre a idoneidade da ordem e critérios nas aplicações, que foram alvos de denúncias e questionamentos por parte da sociedade e de órgãos de controle.

Sim, a prefeitura de Manaus não fez o dever de casa e por conta disso não só virou piada nacional, como foi necessário suspender a vacinação, para só agora, depois de 20 dias, fazer um planejamento e cronograma de vacinação. Um verdadeiro absurdo.

⭕

Falta de critérios

A falta de critérios adotada na vacinação, com médicos filhos de grandes empresários e políticos influentes, recém contratados, passando à frente de quem já atua há mais tempo na linha de frente no combate ao Covid-19 em hospitais públicos como o Delphina Aziz, 28 de Agosto, João Lúcio, Platão Araújo e demais hospitais públicos e privados, além das cobranças feitas pela sociedade e pelos órgãos de controle como TCE-AM, MPT, MPF, MPE-AM, MPC, DPU e DPU-AM, obrigaram a prefeitura a suspender a vacinação para arrumar a casa.

Manaus foi o única Capital do Brasil a suspender a imunização, já com a vacina em mãos.

⭕

Investigação

Ainda sobre a possível fraude na destinação do primeiro lote da Coronavac, o Ministério Público Federal (MPF) determinou que a prefeitura de Manaus informe o nome dos profissionais de saúde já vacinados, a escala de trabalho dos profissionais na UBS Nilton Lins em janeiro e a lista de atendimentos realizados por eles na unidade de saúde nos dias 18 e 19 deste mês.

⭕

Notificadas

O Ministério Público também notificou as médicas Gabrielle e Isabelle Lins para serem ouvidas pelo órgão como investigadas.

⭕

Cabide de emprego

Após a grande repercussão negativa nas redes sociais, a nomeação de ex-vereadores não reeleitos para a Manauscult, foi tornada sem efeito.

Carlos Portta, Reizo Castelo Branco, Elias Emanuel, André Luiz e Marisson Roger, foram aposentados do serviço público no voto, e agora no grito.

Artistas e trabalhadores da área da cultura também ficaram indignados com as nomeações.

Em nota a Federação de Teatro do Amazonas (Fetam), após um amplo debate entre artistas, técnicos, colaboradores e órgãos de representação da cidade, julgaram inapropriadas as nomeações.

⭕

Cabide de emprego II

Outras nomeações que ainda estão dando o que falar são a da esposa do vice-governador Carlos Almeida, Taciana Almeida, para a Casa Civil e do ex-vereador, Fabrício Lima, para diretor da Semasc.

⭕

Abiu

O Comitê do Amazonas de Combate à Corrupção e ao Caixa Dois Eleitoral cobrou do presidente da Câmara Municipal de Manaus (CMM), vereador David Reis (Avante), que até o presente momento não se pronunciou, que fiscalize as ações de imunização da prefeitura de Manaus.

Deixe um comentário