Opinião | Prefeitos querem suspensão das Eleições

Opinião | Prefeitos querem suspensão das Eleições

Opinião | Prefeitos querem suspensão das Eleições

Em carta aberta encaminhada ontem (26), ao Congresso Nacional, aos deputados, senadores e à sociedade, a Associação Amazonense de Municípios (AAM) e demais entidades representativas do movimento municipalista brasileiro solicitaram a não realização das eleições deste ano.

Unificação

Na carta as entidades solicitam também a unificação dos mandatos dos prefeitos e vereadores com os demais cargos eletivos estaduais e federais e a realização de eleições gerais em 2022.

Covid-19

O principal motivo para a solicitação de mudança do pleito, previsto para os dias 4 e 25 de outubro deste ano, é a pandemia do Covid-19. É o que informou o presidente da AAM e prefeito de Maués, Junior Leite.

Interferir

“Poderá comprometer e interferir em diversos setores da disputa além de oferecer riscos à saúde da população, principalmente no interior do Amazonas, desde a participação plena da sociedade, afastamento de servidores públicos para funções eleitorais e possíveis aglomerações de pessoas ocasionadas pelas campanhas”, afirmou Junior Leite.

Preocupado

Em suas redes sociais o prefeito Arthur Virgílio mostrou preocupação com o plano de reabertura do comércio no dia 1° de junho, apresentado pelo governador do estado.

No vídeo o prefeito afirmou que as aulas municipais estão programadas para retornar no mês de agosto.

“Estou com muito medo. Cautela e caldo de galinha não fazem mal a ninguém”, disse Arthur.

Falsa ilusão

O prefeito também pediu para que não sejam criadas falsas ilusões em relação à economia, e que o país já estava sofrendo uma crise econômica há dois anos.

“Adoraria não estar certo, adoraria que estivesse tudo bem e que não acontecesse nada demais, que a gente pudesse reabrir tudo, mas quero aqui fazer uma advertência às pessoas: não vamos criar nas pessoas uma falsa ilusão de achar que se sair para a rua todo mundo, todos vão estar empregados no dia seguinte.” concluiu.

Nova onda

O ministro interino da saúde, general Eduardo Pazuello, alertou sobre uma nova onda de Covid-19 em Manaus. A advertência foi feita durante a inauguração da primeira ala indígena para tratamento de Covid-19, no Hospital de Combate à Covid-19, na Nilton Lins.

Estudo realizado pela Ufam

De acordo com um estudo apresentado pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam) em parceria com a Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapeam), é possível um novo pico explosivo de coronavírus no início de junho em Manaus, ainda mais intenso do que o primeiro, ocorrido no início de maio, caso haja o afrouxamento do distanciamento social.

85 mil pessoas

Segundo a pesquisa existem, pelo menos, 85 mil pessoas infectadas pelo coronavírus só em Manaus (cerca de 10% a 15% da população), e que qualquer medida de afrouxamento do distanciamento social pode representar aumento expressivo no número de pessoas contaminadas. Durante as semanas observadas, segundo a pesquisa, o nível de isolamento social era de 40%, considerado baixo.

Suspensão revogada

O Governo do Amazonas revogou o Decreto que suspendia o transporte intermunicipal e interestadual terrestre de pessoas em ônibus e microônibus (públicos e privados), vans e similares, táxis e transporte por aplicativo, inclusive os compartilhados, resguardando as exceções.

Parintins 2020

A empresa Amazon Best, contratada pelos bois Caprichoso e Garantido para a venda dos ingressos do Festival Folclórico de Parintins 2020, o qual seria realizado nos dias 26, 27 e 28 de junho, comunicou o adiamento do evento, devido a pandemia.

A nova data do evento ainda precisa ser definida pela Secretaria de Estado da Cultura, Prefeitura de Parintins e pelas Agremiações Folclóricas – Caprichoso e Garantido.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook: facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

Deixe um comentário