Opinião | Revista Time incluiu Bolsonaro como possível personalidade do ano

Opinião | Revista Time incluiu Bolsonaro como possível personalidade do ano

A revista Time, dos Estados Unidos, decidiu incluir o presidente eleito Jair Bolsonaro na enquete que vai ajudar a escolher quem é a personalidade do ano no mundo. O resultado da votação estará na capa da publicação em dezembro.

Anúncios

Bolsonaro vai concorrer com outros 54 nomes. Entre eles, estão os presidentes Donald Trump (EUA) e Xi Jinping (China), o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, e o fundador da Amazon, Jeff Bezos.

Também concorrem com o futuro presidente do Brasil o cantor Kanye West e a duquesa britânica Meghan Markle – esposa do príncipe Harry -, além dos mergulhadores que resgataram em julho um grupo de meninos de caverna na Tailândia.

Escolha

Apesar de a votação da Time ser aberta ao público, a escolha final é dos editores da revista. No ano passado, a publicação deu o “título” ao movimento #MeToo, que denunciou casos de assédio e abuso sexual nas redes sociais.

A Time elege a Personalidade do Ano desde a década de 1920 e já estampou em sua capa escolhas polêmicas como o ditador Adolf Hitler em 1938.

Liderança

Até o fim desta terça-feira (27), a votação popular de personalidade do ano era liderada pelo grupo sul-coreano de música pop BTS. O novo presidente brasileiro aparecia na antepenúltima colocação da lista.

63% aprovam escolhas de Bolsonaro

A pesquisa XP/Ipespe divulgada hoje mostra que 63% dos entrevistados aprovam a montagem do governo de Jair Bolsonaro e as primeiras medidas anunciadas pela equipe do presidente eleito.

Apenas 26% desaprovam; e 11% não sabem ou não responderam.

Para 56%, a corrupção vai diminuir

A pesquisa também mostra que 38% dos entrevistados dizem acreditar que a corrupção daqui a 6 meses terá diminuído e 18% que terá diminuído muito, ou seja: a expectativa de diminuição da roubalheira é comum a 56%.

Para 23%, a corrupção terá ficado como está.

Para 9%, ela terá aumentado; e para 8%, terá aumentado muito, ou seja: a expectativa de aumento da roubalheira é comum a apenas 17%.

O otimismo com Jair Bolsonaro e Sergio Moro, pelo visto, é grande.

67% aprovam reforma da Previdência

Em relação à Previdência, 67% dos entrevistados consideram necessária a reforma da Previdência, enquanto 28% rechaçam a necessidade da medida.

Apenas 5% não sabem ou não responderam.

65% consideram atual Congresso ruim

A XP/Ipespe mostra que 65% dos entrevistados consideram o atual Congresso Nacional ruim ou péssimo, enquanto 28% consideram regular; e apenas 5%, ótimo.

A avaliação ainda pode piorar, se os parlamentares aprovarem projetos contra a Lava Jato até o fim do ano.

TCE-AM julga contas de Melo, David e Amazonino

As contas dos três governadores do Amazonas, que administraram o Estado no ano de 2017, serão apreciadas pelo Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), em sessão especial, no próximo dia 18 de dezembro (terça-feira), às 9h.

O orçamento do governo do Estado do ano passado foi de R$ 14,6 bilhões.

Complexidade

Segundo o conselheiro Júlio Pinheiro, relator das contas de José Melo, David Almeida e Amazonino Mendes, a existência de três governadores do estado durante o ano de 2017 tornou mais complexo o processo de julgamento. Por isso, o colegiado concedeu mais prazo para o julgamento.

No ano passado, o Amazonas teve como governador José Melo, que após cassação foi substituído pelo deputado David Almeida. Com as eleições suplementares de outubro de 2017, o governo foi assumido por Amazonino Mendes.

Melo foi o primeiro governador cassado da história do Amazonas.

Mais prazo para julgar contas de Arthur

As contas do prefeito de Manaus, Arthur Neto, referentes a 2017, foi adiada para o próximo dia 12 de dezembro (quarta), após o procurador, Carlos Alberto de Almeida, solicitar ao conselheiro-relator, Mario de Mello, a prorrogação de prazo para concluir o seu parecer.

O orçamento da Prefeitura do ano passado se estabeleceu em R$ 4,7 bilhões.

Palavra final

Independente das indicações do TCE-AM, a decisão final sobre a aprovação ou reprovação das contas do governo do Amazonas e das prefeituras fica a cargo da Assembleia Legislativa do Amazonas e das respectivas Câmaras Municipais, que é quem dá a palavra final sobre a aprovação ou rejeição de contas.

Porém

Apesar de não ser vinculativo, é praticamente um suicídio eleitoral para os parlamentares contrariar um parecer técnico do Tribunal de Contas.

Além disso, caso o órgão rejeite o balanço apresentado governo do Amazonas e pela prefeitura de Manaus, os municípios ficam sem uma certidão necessária para contratar convênios estaduais e federais, que em muitos casos garantem uma verba extra, além de realizar operações de crédito.

Contas rejeitadas

Em agosto de 2016, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu que os candidatos com contas rejeitadas pelo TCE poderiam se candidatar, desde que tivessem o aval de dois terços do respectivo legislativo de origem na apreciação dos balanços.

A medida foi criticada por entidades, já que daria um caráter político para a questão. A votação no STF terminou por seis votos a cinco e venceu o entendimento de que, também nos TCEs, muitos conselheiros são indicações políticas e que pode haver reprovação por alguma rivalidade anterior, por exemplo.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 98413-2214

WhatsApp: 92 99382-4598

Deixe um comentário