Opinião | Zona Franca preocupa parlamentares  

Opinião | Zona Franca preocupa parlamentares  

Os senadores Omar Aziz e Vanessa Grazziotin, os deputados estaduais Serafim Corrêa, Adjuto Afonso e José Ricardo, se manifestaram nos respectivos parlamentos e nas redes sociais, sobre a preocupação com a Zona Franca de Manaus, por conta da fusão dos Ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria de Comércio resultando na criação do superministério da Economia proposta por Paulo Guedes.

Anúncios

Para os parlamentares a medida ameaça diretamente a ZFM e pode resultar no fechamento da Suframa.

Fim dos incentivos

Em entrevista à imprensa, Paulo Guedes, o futuro superministro da Economia, afirmou que pretende combater os subsídios do setor industrial, salvando assim a “industria brasileira, apesar dos industriais brasileiros”.

As afirmações são preocupantes para o Amazonas e testará a força e articulação da bancada federal no Congresso Nacional, em breve composta pela sua maioria por novos parlamentares.

Josué ganha força

A corrida pela presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas ganha novos capítulos. Fontes do Direto ao Ponto afirmam que o deputado estadual Josué Neto (PSD) já conseguiu os votos necessários para garantir a presidência da Casa no biênio de 2019/2020.

Claro que tudo passará pelo crivo do futuro governador Wilson Lima (PSC). As conversas já foram iniciadas.

Abdala Fraxe assume vaga

Por decisão do ministro Luís Roberto Barroso (TSE), que deferiu o registro de candidatura do deputado estadual Abdala Fraxe (Podemos), o parlamentar assume o mandato para o qual foi reeleito com 18.715 votos em 2019.

Contrariando assim a decisão do pleno do Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas (TRE-AM) que negou a candidatura de Abdala condenado no TRF-1, e em segunda instância por crime comum em 2003.

Evangélicos ajudam Bolsonaro a identificar petistas

Técnicos ligados à bancada evangélica estão ajudando a equipe de Jair Bolsonaro a identificar funcionários comissionados do governo federal que têm ligação com o PT e o MDB.

A ideia é iniciar o governo sem espiões e com pessoas que jogam contra e dos dois lados.

No ministério, fusão

A reunião para discutir as primeiras medidas do governo Jair Bolsonaro acertou a concentração de várias pastas em duas: Paulo Guedes será o superministro da Economia, que irá absorver outros ministérios, e a Agricultura pode ficar com o Meio Ambiente. Veremos!

Na Previdência, confusão

Antes da reunião, Guedes reclamou da área política do novo governo falar de economia, mais propriamente, da reforma da Previdência – um recado indireto para Onyx Lorenzoni, que tem menos pressa em tratar do tema.

Depois da reunião, Onyx saiu dizendo que quem decidirá sobre o tema é Jair Bolsonaro, e Guedes pareceu vencedor do debate.

Mas em Brasília, Rodrigo Maia recomendou ir devagar com o andor.

Previdência atiça a oposição

O PT já avisou que vai ser contra qualquer reforma da Previdência sugerida por Bolsonaro, especialmente se negociada com o atual presidente Michel Temer.

Moro aceita convite de Bolsonaro

O juiz Sérgio Moro aceitou nesta quinta-feira (1º) o convite do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), para ser o ministro da Justiça do novo governo.

A confirmação veio por meio de uma nota, divulgada por Moro, após uma reunião na casa de Bolsonaro, na Barra da Tijuca.

Em seu superministério, Sergio Moro vai elaborar um Plano Nacional contra a Corrupção.

Nada mais natural que um candidato eleito em grande parte pela luta contra a corrupção e o apoio à Operação Lava Jato convide para seu governo o símbolo maior desse combate.

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214                                                                                                                               

E-mail: [email protected]

Deixe um comentário