Pouco prestígio e muita polêmica

Pouco prestígio e muita polêmica

Nenhum dos três Senadores e oito deputados federais do Amazonas prestigiaram a leitura da Mensagem Anual para o ano de 2018 feita pelo governador Amazonino Mendes, nesta quinta-feira (01), na Assembleia Legislativa do Amazonas. O prefeito de Manaus Arthur Virgílio Neto, também não compareceu ao evento.

Anúncios

A ausência de grandes caciques e de toda a bancada federal do Amazonas, deixa no ar uma pergunta: Será que o Governador está mesmo com essa bola toda?

Surdo-mudo

Amazonino, fez-se de surdo, na manhã desta quinta-feira, durante o discurso do ex-governador e presidente da ALEAM, David Almeida. Ao ser indagado por um jornalista sobre o conteúdo do discurso, respondeu: “Não ouvi, estava sem meu aparelho de surdez”.

Além de surdo, Amazonino também ficou mudo ao ser questionado pelo deputado Serafim Corrêa, com a seguinte incógnita: “Se o Estado está quebrado, como é que existem esses R$ 2,2 bilhões nos cofres estaduais”. Não houve resposta do governador.

O recado foi dado

Em contrapartida, o deputado David Almeida ouviu atentamente o discurso do governador. Fez inúmeras anotações durante o discurso e ao final usou a tribuna para mandar um recado direto: “Não farei oposição cega. Votaremos o que for de interesse público”.

Mas, pelo tom usado, Amazonino não terá vida fácil na Casa.

Oposição definida

David Almeida deu uma dica de quem será oposição ao governo na Aleam. Citou nominalmente os deputados Sabá Reis, Serafim Corrêa, José Ricardo, Luiz Castro, Abdala Fraxe e ele mesmo, ao dizer que esses deputados votam acima de questões pessoais. “Votam no interesse público”.  

Marcha lenta

Amazonino Mendes já foi mais seguro em suas afirmações. Em seu discurso na Aleam repetiu que o Estado precisa de uma reforma administrativa, “porque está grande demais”, só que ele não sabe como vai fazer. Segundo ele, ainda vai discutir o assunto com a equipe, depois de três meses de governo.

Aperto de leve

Amazonino anunciou aperto na cobrança dos impostos. Disse que a Secretaria de Fazenda (Sefaz) já está tomando uma série de medidas contra a evasão fiscal. Ou seja, além de apertar os empresários que não pagam, também vai atrás daqueles que não são legalizados.

De mala e cuia

O deputado David Almeida oficializou sua despedida do Partido Social Democrata (PSD), na manhã desta quinta-feira (1). Agradeceu à sigla, mas disse que não fica mais no partido porque não foi valorizado quando se dispôs a ser candidato a governador, na eleição suplementar de 2017.

Sem esconder as mágoas, David disse que foi o primeiro a se filiar ao PMN (antigo partido do senador Omar Aziz) e logo depois migrou para o PSD, também com Aziz. Segundo ele, foi fiel mas não teve a reciprocidade esperada.

Inovador

David revelou ainda que vai adotar uma iniciativa inédita para definir a que cargo vai concorrer nas eleições deste ano: em março ou abril vai fazer pesquisa com a população, que vai apontar a que cargo ele vai concorrer. Será que vai dar certo?

A espera de um milagre

O vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta ao ser questionado sobre a possibilidade de concorrer e de possivelmente assumir o Governo, respondeu: “Recebo, em nome de Jesus”.

Amém, Rotta…

O início da Reforma

Temer teve aposentadoria suspensa por não provar que está vivo. Governo de SP cancelou pagamento porque presidente não fez comparecimento anual ao INSS.

Já são menos R$ 45 mil reais mensais saindo dos cofres públicos. Bom exemplo presidente.

Dizem por aí…

São cada vez mais constantes as conversas entre o Senador Omar Aziz e o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto. Na pauta, o futuro candidato a Governo. Alguém arrisca?

Deixe um comentário