Você está visualizando atualmente Registro de candidatura

Registro de candidatura

Os seis candidatos ao governo do Amazonas já registraram a candidatura no TRE-AM. O prazo para o registro de candidatura é até quarta-feira (15).

Os olhos agora se voltam para o registro de candidatura da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB).

Tendência

O movimento de dirigentes do PSB e PT que buscavam inviabilizar a candidatura à reeleição de Vanessa deve naufragar.

A articulação nacional da senadora pode mudar o tabuleiro político no Amazonas, reposicionar peças e dependendo do que pode acontecer, até mudar o rumo das eleições.

O PSB estadual que antes pressionava, agora é pressionado e tem duas opções: Ou macha com Vanessa e o PT, ou sem nenhum dos dois.

Vanessa recebe apoio

Senadores e deputados federais de outros Estados gravaram vídeos e fizeram publicações em redes sociais em apoio a senadora Vanessa.

Centrais Sindicais como a CUT, CTB, NCST, CSB, movimentos sociais como a União Brasileira de Mulheres, o Diretório Estadual das Mulheres do PT e até a Dilma Bolada, um dos mais famosos perfis humorístico e político do Brasil, se solidarizaram com Vanessa.

O mais rico

Os candidatos nas eleições para o governo do Amazonas declararam patrimônios que vão de R$ 55,9 mil a mais de R$ 3 milhões. A declaração de patrimônio é obrigatória para quem disputa as eleições.

O mais rico é o governador Amazonino Mendes (PDT), com R$ 3,42 milhões. Em seguida, está o senador Omar Aziz (PSD), com R$ 1,55 milhão em bens. David Almeida (PSB) declarou R$ 582 mil. Sidney Cabral (PSTU), apresentou R$ 163 mil e Berg da URG (PSOL), apresentou R$ 65 mil em bens.

Wilson Lima (PSC), é o que apresentou menor patrimônio com R$ 55,9 mil em bens.

A mais rica

A candidata a deputada estadual pelo PSD, Nejmi Aziz, declarou patrimônio de R$ 30 milhões à Justiça Eleitoral.

O valor é cinco vezes maior que a soma do patrimônio de todos os candidatos ao Governo do Amazonas juntos.

A ex-primeira dama também possui mais recursos que a maioria dos candidatos à presidência da República como Lula/Haddah, Ciro Gomes e Geraldo Alckmin.

Botou pra correr

Nas eleições a gente se acostuma a ver todo tipo de candidato, escutar promessas e presenciar cenas cômicas que já fazem parte do processo. E nesse início já foi noticiado em grupos de whatsapp que temos o primeiro candidato, ou melhor candidata, que foi expulsa de uma comunidade por fazer campanha e entregar brindes.

Quem será o próximo que o povo vai botar pra correr?

Calote

Muitas equipes que iniciaram a pré-campanha de candidatos estão sendo desfeitas por falta de pagamento. O conto do vigário já não funciona como antes e muitos profissionais já ensaiam entrar na justiça antes do início do processo eleitoral.

Um dos exemplos mais famosos e recentes de calote que foi parar na justiça, foi a do marketeiro responsável pela campanha vitoriosa que reelegeu Artur Virgílio em 2016. Dos R$ 900 mil contratados para a campanha de 1º e 2º turno, Martinelli recebeu apenas R$ 120 mil.

CMM autoriza Marcos Rotta

A Câmara Municipal de Manaus (CMM) aprovou em urgência o decreto legislativo que autoriza o vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta (sem partido) a licenciar-se do cargo até o 31 de dezembro de 2018 para exercer a função de Secretário de Estado da Região Metropolitana de Manaus.

Após insatisfação e racha com o prefeito Artur Virgílio, Rotta foi convidado pelo governador para chefiar a recuperação do sistema viário de Manaus. Oficialmente ele ainda não disse se aceita ou não o convite, mas legalmente já pode assumir.

Amoêdo tem patrimônio de R$ 425 milhões

João Amoêdo, candidato ao Planalto pelo Partido Novo, declarou ao TSE um patrimônio de R$ 425.066.485,46, informa Lauro Jardim.

O economista, que foi executivo do mercado financeiro por mais de duas décadas, tem R$ 217,5 milhões em aplicação de renda fixa. É dono de seis apartamentos, uma casa, cinco veículos e um barco avaliado em R$ 4,1 milhões.

É o mais rico dos candidatos à Presidência nesta eleição – em patrimônio declarado, pelo menos.

Fernando Lula Haddah vem aí

Quando puder se registrar como candidato do PT, o ex-prefeito de São Paulo planeja se inscrever com o nome Fernando Lula Haddad.

Bomba relógio

A Folha informa que o socorro financeiro do governo federal ao pagamento de dívidas de estados e municípios com a União terá impacto de R$ 90,3 bilhões nas contas públicas até 2019.

O valor é quase duas vezes o que foi gasto no ano passado com investimento.

Seja quem for o próximo presidente, ele terá de desarmar essa bomba, porque vai explodir na cara do povo!

 

 

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214                                                                                                                               

E-mail: [email protected]

Este post tem um comentário

  1. Evangelista Cordeiro

    Precisamos mandar todos esses venezuelano devvolta o culpado de tudoisso e o presidente dele e nós tamos pagando o pato nao e justo.

Deixe um comentário