Repeteco

Repeteco

Está parecendo notícia repetida, mas não é. O secretário de Educação do Estado, Lourenço Braga, foi convocado para comparecer à Assembleia Legislativa nesta quinta-feira (5), para explicar ao Poder Legislativo quais são as propostas do governo para a categoria dos profissionais da Educação que estão em greve há 14 dias.

Anúncios

Na última terça-feira, o secretário não atendeu à convocação do Poder Legislativo, irritando a bancada da oposição que reforçou a convocação.

Aceno

Mas pode nem ser preciso tanta preocupação, já que Lourenço Braga já anunciou novas propostas para a categoria dos docentes.
Nesta quinta-feira, também, educadores de todo o Estado se reúnem para avaliar a nova proposta e, se for o caso, encerrar a greve. É aguardar para ver o que acontece primeiro.

Melhorou muito

A nova proposta do governo estadual aos grevistas é de reajuste salarial de 15,53%, sendo 7,41% nos anos de 2017 e 2018, a contar de 1º de março, e 8,12% da data-base de 2015, a contar de 1º de setembro.

Também inclui promoção vertical de 3.516 professores e pedagogos do interior e da capital; aumento do auxílio-alimentação para R$ 420 para todos os profissionais em atuação nas escolas e a volta dos R$ 220 para os servidores administrativos e, por fim, o fim do desconto de 6% no contracheque do vale-transporte. Está bem sedutora a proposta!

Acomodações

Ontem, quarta-feira (4), foi um dia de revelações, ajustes e pernadas no campo das filiações partidárias.

Terminando o prazo para mudança de partidos, chamado de “janela partidária”, no próximo sábado (7), os candidatos já vão se acomodando nos novos partidos.
O deputado estadual Orlando Cidade trocou o Podemos pelo PV e o deputado Dr. Gomes deixou o PSD pelo PRP.

Rasteiras

As “pernadas” do dia ficaram por conta da filiação dos irmãos Lins, Átila e Belarmino, deputados federal e estadual, respectivamente, que praticamente tomaram o PP das mãos da quase candidata ao governo, Rebecca Garcia.

Os dois manobraram na direção nacional do partido e se filiaram ao PP ontem à tarde. Rebecca ficou meio como o marido traído, a última a saber.

Mas informações de bastidores dão conta de que foi o próprio pai da ex-deputada, o empresário Francisco Garcia, quem articulou o processo, aliando-se a Amazonino. É esperar a formação das chapas para ver se isso se confirma.

Paradoxo

Vítima de rasteira desde a semana passada, quando foi preterido pelo PSL que sonhava comandar no Amazonas, o deputado Platiny Soares declarou que aceitou o convite do PSB e nesta quinta assina sua filiação assumindo a bandeira de um partido socialista, de viés totalmente oposto ao direitista PSL, que tem como candidato à presidência o deputado federal Jair Bolsonaro.

Se confirmada a candidatura do ex-ministro do STF, Joaquim Barbosa, à Presidência, Platiny muda da água para o óleo.

Mais trocas

Já devidamente desfiliados mas ainda sem anunciar nova sigla, estão os deputados Wanderley Dallas e Sidney Leite.

Desincompatibilizados

Deixaram seus cargos nesta quarta, para concorrer a cargos eletivos, o vice-prefeito de Manaus, Marcos Rotta, o secretário de Segurança do Estado, Bosco Saraiva e a secretária estadual de Esportes, Janaina Chagas.

Lula sofre derrota no STF e poderá ser preso

Após mais de 10 horas de julgamento, a ministra Cármen Lúcia desempatou a votação e negou o pedido da defesa do ex-presidente. Além dela, votaram contra o habeas corpus os ministros Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luís Roberto Barroso, Rosa Weber e Luiz Fux. Gilmar Mendes, Dias Toffoli, Ricardo Lewandowski, Marco Aurélio e Celso de Mello votaram a favor. O ex-presidente poderá ser preso após o TRF-4 confirmar que não há mais recursos disponíveis na 2ª instância.

Gilmar ataca PT e imprensa: ‘Aprenderam na oficina do diabo’

Segundo ministro a votar na sessão que julga o habeas corpus pedido por Lula, Gilmar Mendes fez várias críticas ao PT, partido do ex-presidente, e à imprensa do país. Apesar disso, ele votou favoravelmente ao petista.

Barroso começa seu voto citando Lula

Luís Roberto Barroso citou explicitamente o fato de que é o habeas corpus para Lula — nome evitado por Gilmar Mendes – que está sendo julgado.

“Não me é indiferente que este seja o caso de um ex-presidente da República, mas não é o seu legado político que está em questão. Encaro o julgamento como um teste para esta corte. O princípio republicano considera que todos devem ser tratados com igualdade”, disse ele.

Sistema penal do Brasil desmoraliza o país

Luís Roberto Barroso mencionou, sem citar todos os nomes, os casos de Luiz Estêvão, Pimenta Neves e Edmundo como “exemplos” de não cumprimento da condenação por crimes.

E acrescentou o que qualquer brasileiro decente endossaria: um sistema penal que permite esse tipo de coisa desmoraliza o país.

“Devido processo legal não é o que não acaba nunca. E garantismo não significa que ninguém é punido por coisa nenhuma, não importa o que tenha feito.”

‘Mudar para quê? Pior, mudar para quem?’

Luís Roberto Barroso fez uma pergunta essencial sobre a mudança que o STF pretendia fazer no entendimento da prisão após condenação em segunda instância.

O “quem” da pergunta, obviamente, é Lula – o nome impronunciável.

Barroso: “Criamos um país de ricos delinquentes”

“Criamos um país de ricos delinquentes, com um sistema penal que só pune quem ganha menos de cinco salários mínimos.”

Siga a Direto ao Ponto:

Facebook:
 facebook.com/diretoaopontonews1

Instagram: @diretoaopontonews

Twitter: @diretoaoponto1_

 

Fale com a gente:

WhatsApp: 92 984132214                                                                                                                               

E-mail: [email protected]

Deixe um comentário