Você está visualizando atualmente Deram um prêmio de economia a Dilma

Deram um prêmio de economia a Dilma

Deram um prêmio de economia a Dilma

O sistema Cofecon/Corecons, que reúne o Conselho Federal de Economia e os Conselhos Regionais de Economia, elegeu a ex-presidente Dilma Rousseff, como “Mulher Economista de 2023”.

A atual presidente do Novo Banco de Desenvolvimento (NDB, na sigla em inglês), mais conhecido como Banco dos Brics, foi escolhida devido à sua “significativa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do país ao longo de sua carreira”, embora tenha sido responsável pela maior recessão da história do Brasil.

“A escolha de Dilma Rousseff como a Mulher Economista de 2023 reflete o reconhecimento do seu legado e expertise no campo econômico, bem como seu papel fundamental na formulação e implementação de políticas que moldaram a trajetória econômica do Brasil”, afirmou a Cofecon em comunicado.

Antes de Dilma, o prêmio também já foi concedido às economistas Denise Lobato Gentil (2020) e Esther Dweck (2021), ambas ligadas ao PT, e Tania Bacelar (2022), que fez parte da equipe de transição de Lula em 2022.

Vale lembrar que Dilma Rousseff foi condenada em um processo de impeachment por maquiar o resultado das contas públicas durante sua gestão. As pedaladas fiscais levaram o Brasil à maior recessão de sua história, com queda acumulada de quase 7% do PIB (Produto Interno Bruto) em 2015 e 2016.

Leia a nota do Conselho Federal de Economia na íntegra:

“O Sistema Cofecon/Corecons anunciou a escolha de Dilma Rousseff como a Mulher Economista de 2023. A decisão foi tomada durante a 729ª Plenária Ordinária do Cofecon, realizada neste sábado, 9 de dezembro, em um formato híbrido.

Dilma Rousseff, atual presidente do Banco dos Brics, ex-presidente do Brasil e renomada economista, foi escolhida por sua significativa contribuição para o desenvolvimento econômico e social do país ao longo de sua carreira.

A escolha de Dilma Rousseff se deu em quatro fases, conforme regulamento aprovado pela Resolução nº 2.064, de 22 de março de 2021. Inicialmente houve a formação de lista de indicadas pelos conselheiros federais, Conselhos Regionais de Economia e Comissão Mulher Economista e Diversidade. Em lista secreta, o Plenário do Cofecon formou lista décupla, a partir da qual os Corecons, por meio de seus plenários, formaram lista tríplice. Entre os três nomes mais votados, a economista foi eleita a Mulher Economista do Ano, em votação secreta, pelo Plenário do Cofecon.

A premiação marca não apenas a celebração do mérito da economista, mas também destaca a importância de reconhecer e valorizar as mulheres que desempenham papéis relevantes na promoção do desenvolvimento com responsabilidade social. O Sistema Cofecon/Corecons reafirma seu compromisso com a promoção da igualdade de gênero e o reconhecimento do talento feminino em todas as esferas profissionais.

A escolha de Dilma Rousseff como a Mulher Economista de 2023 reflete o reconhecimento do seu legado e expertise no campo econômico, bem como seu papel fundamental na formulação e implementação de políticas que moldaram a trajetória econômica do Brasil.

A solenidade de entrega da honraria ocorrerá no ano de 2024, durante a Solenidade de Posse da nova diretoria do Cofecon, em data a ser confirmada.”

Fonte: O Antagonista

Deixe um comentário