“Limite prudencial” impede convocação dos concursados, alega Susam

“Limite prudencial” impede convocação dos concursados, alega Susam

Na tarde desta quarta-feira (28), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), foi realizada uma Audiência Pública que reuniu representantes da Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam), do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM), da Defensoria Pública e dos aprovados no concurso de 2014 da Susam que ainda não foram convocados e empossados em seus cargos.

Anúncios

Os profissionais das áreas de enfermagem, psicologia, serviço social, bioquímica, farmácia, nutrição, administração e contabilidade estão aguardando pela convocatória de todos os classificados no concurso, que tem vigência até abril de 2019. Do total de aprovados, cerca de três mil aguardam convocação.

Para o deputado estadual José Ricardo (PT), autor da Audiência Pública, a resolução do impasse pelo qual passam esses profissionais pode diminuir os problemas nos hospitais no Amazonas, onde faltam profissionais para atender a população.

“Os técnicos da secretaria de Saúde informaram agora que existe, sim, a necessidade de novos servidores, mas por conta da Lei de Responsabilidade Fiscal e do limite prudencial de gastos com pessoal não será possível convocar os profissionais agora”, informou.

Como resultado da Audiência, o deputado afirmou que irá formalizar um relatório e fazer uma consulta sobre a natureza das despesas com terceirizados na Susam. “Nós vamos pedir informações ao TCE sobre o enquadramento da despesa com terceirizados, se esses contratos são contabilizados como despesa de pessoal ou não”, afirmou.

Deixe um comentário