Luz Para Todos e garantias aos funcionários da Eletrobras Amazonas

Luz Para Todos e garantias aos funcionários da Eletrobras Amazonas

A prorrogação, por lei, do Programa Luz Para Todos até o fim de 2022 e as garantias aos trabalhadores da Eletrobras Amazonas, caso a empresa venha a ser privatizada, voltarão a ser tratadas pelo senador Eduardo Braga, agora com o novo ministro de Minas e Energia, Moreira Franco.

Anúncios

A proposta do senador ao deputado Júlio Lopes (PP/RJ), relator da Medida Provisória 814/2017, é de incluir um artigo na matéria que garanta a prorrogação do Luz Para Todos, pois várias localidades do Amazonas ainda não contam com os benefícios do programa.

A sugestão do senador amazonense beneficia, principalmente, os cidadãos que residem no interior do Brasil, em especial, na Amazônia. “Até 2022, poderemos atender as demandas de investimento na universalização do setor elétrico. No Amazonas, por exemplo, ainda temos comunidades que são sistemas isolados dos isolados. Além disso, outros estados brasileiros ainda têm demandas dentro do Luz para Todos, como Bahia e Pará”, disse.

Privatização – O senador Eduardo Braga também está tratando das garantias aos trabalhadores da Eletrobras Amazonas, caso a empresa venha a ser privatizada. Ele entende que o trabalhador da companhia precisa ter essa segurança, pois vários colaboradores no interior e na capital já contabilizam mais de 30 anos de serviço e não podem ficar desamparados de repente neste momento.

“Consegui emplacar uma emenda à MP 814/2017 (que trata sobre os serviços de energia elétrica no país) para dar estabilidade aos funcionários da Eletrobras Amazonas de, no mínimo, dois anos. Em caso de demissão, estou propondo a criação de um fundo que pague ao trabalhador uma indenização de dois anos de salários, mais décimos terceiros e férias. Isso, é claro, se, por ventura, a privatização vier, o que eu acredito que não deva acontecer esse ano”, disse.

 

Deixe um comentário