You are currently viewing Projeto de Lei de Roberto Cidade que promove atenção à depressão infanto-juvenil é aprovado na Aleam

Projeto de Lei de Roberto Cidade que promove atenção à depressão infanto-juvenil é aprovado na Aleam

Projeto de Lei de Roberto Cidade que promove atenção à depressão infanto-juvenil é aprovado na Aleam

Considerada o mal do século, a depressão ganhou, nesta quarta-feira (6) mais um mecanismo de enfretamento com a aprovação do Projeto de Lei n 306/2021, de autoria do presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), deputado estadual Roberto Cidade (UB), que institui a Semana Estadual de Conscientização sobre a Depressão Infanto-Juvenil. O projeto segue agora para sanção governamental.

Anúncios

 

Dados da Organização Mundial de Saúde (OMS) indicam que há atualmente 350 milhões de pessoas em todo mundo com depressão e cerca de 1% a 2% dessas pessoas são crianças. As causas da doença variam. Podem incluir predisposição genética; traumas, como abuso sexual ou psicológico; problemas de convivência familiar e outros.

 

Conforme o projeto aprovado nesta quarta, além de promover o fortalecimento da rede de serviços para as crianças e adolescentes, a medida visa garantir o acompanhamento psicológico adequado às crianças e aos jovens.

 

“Precisamos dar o suporte necessário para que a doença seja identificada o mais brevemente possível e, consequentemente, o tratamento seja disponibilizado com mais agilidade. O projeto prevê a realização de campanhas educativas e conscientização sobre o tema, encaminhamento para a rede de saúde para o tratamento e envolvimento da escola, dos pais e responsáveis no acompanhamento dessa criança ou desse jovem. A depressão causa um sofrimento que podemos ajudar a amenizar. A lei tem esse objetivo”, resumiu.

Alerta aos sintomas

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) aponta alguns sinais de alerta para pais e professores que podem indicar que a criança está passando por um processo de depressão. Entre eles estão, problemas com o sono, mudança nos padrões alimentares como falta de apetite, dificuldade de se separar dos pais, irritabilidade e/ou raiva persistentes, reclamações, baixa autoestima, desinteresse pelas atividades habituais ou brincadeiras e dificuldade de concentração.

Deixe um comentário