You are currently viewing Na abertura do ano legislativo, Bolsonaro faz defesa do governo e ataca o PT

Na abertura do ano legislativo, Bolsonaro faz defesa do governo e ataca o PT

Na abertura do ano legislativo, Bolsonaro faz defesa do governo e ataca o PT

No discurso lido na abertura do ano legislativo, o presidente Jair Bolsonaro (PL) enumerou feitos de seu governo e fez ataques ao PT e ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Na sessão solene do Congresso Nacional, o mandatário do país também elencou projetos prioritários para a gestão federal para o ano de 2022. Também discursaram os presidentes da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), do Senado e do Congresso, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Luiz Fux.

Anúncios

Na primeira parte de seu discurso, Bolsonaro disse que “todas as vacinas [contra a Covid-10] aplicadas foram distribuídas pelo governo federal”, acrescentando que “seguimos comprando e distribuindo essas doses, a serem aplicadas de forma não obrigatória”. Além de enumerar propostas aprovadas para garantir o que chamou de “retomada econômica sólida, contínua e sustentável”, como a lei de licitação, o novo marco legal das startups e a lei do gás, por exemplo, o presidente da República pediu “atenção do Congresso” na tramitação de três matérias: portabilidade da conta de luz, novo marco legal das garantias e reforma tributária. “Em 2022, continuaremos trabalhando para o desenvolvimento, o progresso e o bem-estar de nosso povo, sempre calcados em nossos princípios e valores”, resumiu.

Sem citar nominalmente o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Bolsonaro também fez ataques ao petista e disse que nunca se dirigiu ao Congresso Nacional para pedir a regulação da mídia ou a contrarreforma trabalhista, propostas aventadas por integrantes do PT. Sob aplausos de deputados bolsonaristas que acompanhavam o discurso do plenário da Câmara, o chefe do Executivo federal disse que “a nossa liberdade está acima de tudo”. “Ao entregar a presente mensagem presencial, reiteramos nosso compromisso com o Brasil, com o povo brasileiro e reafirmamos nosso objetivo de construir um país mais justo, próspero e voltado ao cidadão. Não deixemos que qualquer um de nós, quem quer que seja que esteja no planalto central, ouse regular a mídia, não interessa por qual intenção e objetivo. A nossa liberdade, a liberdade de imprensa não pode ser violada por quem quer que seja nesse país”, finalizou.

Fonte: Jovem Pan

 

Deixe um comentário